Sem motor para 2022, chefe da AlphaTauri rejeita nova parceria com Renault

AlphaTauri e Red Bull ainda não sabem qual motor vão usar em 2022, já que a Honda deixa a Fórmula 1, mas Franz Tost, chefe do time italiano, sabe quem não quer: a Renault

A saída anunciada da Honda da Fórmula 1 ao final da temporada 2021 segue rendendo. Ainda sem motor para 2022, Red Bull e AlphaTauri vão buscando a melhor saída e, ao menos para os italianos, a Renault, que seria a lógica, não é opção.

Franz Tost, chefe da AlphaTauri, afirmou que não vê como reais as chances de reatar a parceria com a Renault. É que o dirigente entende que os franceses brigam na mesma faixa do pelotão e, por isso, não seriam capazes de ajudar tanto uma rival. Ainda, colocou a Red Bull como empecilho.

“A Renault é uma equipe de fábrica. Eu não consigo imaginar que eles vão nos dar um motor que realmente nos faça competir com eles nas corridas. Fora que a Red Bull e o Dietrich Mateschitz têm também outras exigências, outros objetivos”, disse ao site alemão Motorsport-Magazin.

Franz Tost, chefe da AlphaTauri, não quer ter a Renault de fornecedora (Foto: Red Bull Content Pool)

Como a Renault ainda não fornece motor a nenhum time, Mercedes – que fornece a quatro – e Ferrari – com três times – não poderiam receber Red Bull e AlphaTauri. Mesmo assim, Tost ainda espera outra resolução que não a volta da parceria tumultuada com os franceses, apostando em uma solução da Red Bull com a Honda, que ainda não descartaram o desenvolvimento de uma unidade de potência específica para os próximos anos.

“Eles [Red Bull] querem brigar pelo título e precisam do equipamento certo para isso. Vai ser muito difícil sem um motor, precisamos resolver isso”, completou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube