Smedley diz que carro de 2017 combina “perfeitamente” com estilo de pilotagem de Massa e lembra: “É como em 2008”

De acordo com Rob Smedley, as novas regras da F1, que tornaram os carros mais velozes e agressivos em 2017, combinam bem com o estilo de pilotagem de Felipe Massa. Daí o bom desempenho do brasileiro na pré-temporada em Barcelona com a Williams

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
As novas regras da F1 tornaram os carros mais agressivos e velozes. E essa nova era de carros se adapta muito bem ao estilo de pilotagem de Felipe Massa, de acordo com o chefe de desempenho da Williams, Rob Smedley. O engenheiro ainda foi mais longe e afirmou que o piloto vem demonstrando nesta pré-temporada um nível de conforto que não via desde 2008, quando Felipe disputou o título mundial contra Lewis Hamilton

 
O brasileiro havia anunciado a aposentadoria da maior das categorias em setembro do ano passado, mas precisou voltar atrás na decisão depois que a Williams lhe pediu para substituir Valtteri Bottas, o escolhido pela Mercedes para ocupar o lugar do campeão Nico Rosberg, que optou por encerrar sua carreira após a conquista do campeonato do ano passado.
 
E apesar de ter vivido uma temporada difícil em 2016, Massa mostrou um desempenho muito forte com a Williams durante os testes coletivos em Barcelona. Felipe chegou a ser o mais rápido na abertura da segunda semana de atividades em Montmeló. 
Felipe Massa (Foto: AFP)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

"Acho que o estilo de condução dele combina perfeitamente", disse Smedley aos jornalistas na Espanha. "Os carros que temos agora são muito parecidos com os carros em que ele esteve seus anos mais bem-sucedidos. Então, é como um carro de 2008, com um pneu dianteiro mais largo, muita, mas muita aderência. Nós definitivamente perdemos isso nesses últimos sete anos, e ele sofreu um pouco por conta disso", completou.

 
O britânico também revelou que Massa se sente mais confortável em um carro mais rápido em curva, algo que agora é mais possível devido ao novo tamanho dos bólidos e dos pneus. "Quanto mais aderência na frente o carro proporcionar, contanto que tenha uma traseira bem estável, Felipe será capaz de ser rápido por conta de seu estilo de pilotagem."
Felipe Massa (Foto: XPB)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

"Acredito que com Felipe, é possível saber se ele está gostando ou não do carro devido a quantidade de erros que comete desde a primeira vez que entra em um novo carro. Agora, por exemplo, quando colocamos um composto diferente ou quando mexemos na configuração do motor ou ainda no nível de combustível, Felipe faz aquilo que a gente espera que ele faça. Isso mostra que ele está muito, muito confortável com o carro", encerrou.

 
O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e em TEMPO REAL a primeira semana de atividades da F1 no circuito da Catalunha e traz cobertura 'in loco' com o repórter Thiago Arantes, além do fotógrafo Arnau Puig Hernandez.

PADDOCK GP #68 ANALISA SEGUNDA SEMANA DE TESTES DA F1 EM BARCELONA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube