Sob pressão na Ferrari, Räikkönen se frustra com começo de temporada: “Sempre doloroso não ter bons resultados”

Kimi Räikkönen reconhece que não começou a temporada 2017 do jeito que gostaria e se mostrou frustrado com a falta de bons resultados. Enquanto Sebastian Vettel já foi ao pódio duas vezes, o ‘Homem de Gelo’ sequer flertou com o top-3 na Austrália e tampouco na China

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Ao menos neste começo de temporada, Kimi Räikkönen não acompanhou a melhora evidente da Ferrari e conseguiu resultados bem discretos considerando o potencial da nova SF70H. Após os GPs da Austrália e da China, o ‘Homem de Gelo’ soma 22 pontos. Por um lado, é o melhor início de ano de Kimi na F1 desde 2013, quando estava na Lotus e venceu a corrida de abertura daquela temporada. Por outro, o finlandês de 37 anos tem quase metade dos pontos logrados por Sebastian Vettel, líder do campeonato empatado com Lewis Hamilton, os dois com 43 tentos somados.

 
Sob pressão dentro da Ferrari, Räikkönen não escondeu a frustração com a falta de bons resultados e só espera melhorar a partir deste fim de semana, quando a F1 realiza a terceira etapa da temporada, no Bahrein.
 
“Sempre é doloroso não ter bons resultados. Estou neste esporte há temos e não são muitas as vezes que você está todo sorridente e feliz. Faz parte do trabalho. É frustrante. Mas sei o que nós precisamos e temos uma ideia muito clara do que nós queremos fazer”, declarou o finlandês durante entrevista coletiva na Ferrari no último domingo (9) em Xangai.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Kimi Räikkönen começa a ser pressionado na Ferrari em razão da falta de bons resultados em 2017 (Foto: Ferrari)
Kimi bate na tecla de que o fato de não ter conseguido acumular quilometragem na sexta-feira caótica e quase sem treinos em Xangai o atrapalhou. Mas depois de um novo revés na temporada, ainda mais quando seu companheiro de equipe foi ao pódio, Räikkönen só almeja dar a volta por cima o quanto antes.
 
“Não ter corrido na sexta-feira foi um pouco ruim, mas foi o jeito. Estou confiante de que nós vamos estar onde queremos estar. Precisamos começar a marcar mais pontos para estar na briga, mas vai ser um grande ano. É decepcionante terminar em quinto, mas vou levar esses pontos e espero estar em uma posição melhor na próxima corrida”, explicou.
 
Räikkönen jamais venceu no Bahrein, mas ainda assim tem um histórico respeitável. É o piloto com mais pódios conquistados em Sakhir: oito. Lewis Hamilton, segundo na lista, alcançou o top-3 em cinco oportunidades, contra três de Fernando Alonso, Felipe Massa, Sebastian Vettel e Nico Rosberg.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O piloto voltou a lamentar a estratégia da Ferrari e o fato de não ter conseguido passar Daniel Ricciardo em Xangai. O australiano terminou imediatamente à sua frente na China. A Red Bull, aliás, conseguiu colocar seus dois carros logo à frente do nórdico, com Max Verstappen fechando em terceiro.

 
“Obviamente, não foi legal não ter passado Ricciardo, mas nós brigamos um pouco para tentar assar. Uma série de pequenas coisas que poderiam ter sido melhores para nós, e o resultado poderia ter sido um pouco melhor, mas faz parte. Não estou feliz com isso, mas são corridas e há muitas corridas pela frente. Nós certamente temos coisas para melhorar”, salientou.
 
“Fui melhor aqui em relação à última corrida, mas o resultado mostra que nós ainda temos melhorias para fazer no acerto, mas eu acho que nós sabemos o que nós queremos. A situação de não ter corrido na sexta não facilitou as coisas. Há muito potencial, mas nós temos de fazer um trabalho melhor”, concluiu o campeão do mundo em 2007.
 
PADDOCK GP #72 TRAZ ÁTILA ABREU E DISCUTE ETAPAS DA STOCK CAR, F1, INDY E MOTOGP

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube