Temendo problemas mecânicos em carros rivais, FIA proíbe pilotos de tirar sobreviseiras durante GPs da F1

A FIA acredita que as sobreviseiras, proteção de plástico que visa facilitar a visão dos pilotos ao longo de uma prova, representam um risco para carros adversários. Quando a cobertura é retirada do capacete e solta, esta pode ficar presa em outro bólido, causando problemas mecânicos

A temporada 2016 da F1 nem começou direito e uma nova regra polêmica já apareceu: a FIA proibiu os pilotos de tirar as sobreviseiras de seus capacetes, temendo que estas possam ficar presas em carros de adversários, causando abandonos.
 
A medida havia sido adotada anteriormente, mas estava sendo desrespeitada pelos pilotos nas atividades do GP da Austrália. Isso levou a FIA a recordar a regra em um comunicado enviado às equipes neste sábado (19).
 
A regra acaba criando um impasse: as sobreviseiras são, de certa forma, um dispositivo de segurança para os pilotos. Quando muita sujeira se acumula na viseira do capacete, a ponto de comprometer a visão, o competidor precisa apenas arrancar uma das várias coberturas.
As sobreviseiras são importantes para os pilotos (Foto: Getty Images)
Ainda de acordo com a FIA, aqueles que não cumprirem as ordens podem acabar recebendo punições. A entidade não deixa claro qual seria a extensão destas.
 
E, de fato, sobreviseiras já causaram problemas para pilotos em anos anteriores. Fernando Alonso precisou abandonar o GP da Espanha de 2015 quando a cobertura ficou presa em seu duto de freio. Anteriormente, no GP dos Estados Unidos de 2014, Nico Hülkenberg disse ter perdido uma volta rápida quando o material ficou preso em um de seus pneus, levando o carro a travar as rodas em uma freada.
 
O GP da Austrália, com Lewis Hamilton na pole-position, está marcado para este domingo (20).
 
VEJA A EDIÇÃO #20 DO PADDOCK GP, QUE ABORDA F1, MOTOGP, INDY E F-E

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube