F1

“Temos muito trabalho a fazer com o equilíbrio”: Hamilton se queixa de falta de aderência após treinos na Espanha

Lewis Hamilton ficou a apenas 0s049 do melhor tempo da sexta-feira (10), registrado por Valtteri Bottas. Mesmo assim, o pentacampeão mundial não ficou de todo satisfeito com a performance do carro e reclamou da falta de aderência com os três tipos de pneus, citando também o vento. Ainda assim, o dono do carro #44 classificou o dia como positivo

Grande Prêmio, de Barcelona / Redação GP, de Sumaré
Um box, dois pilotos, tempos parecidos e impressões pós-treinos completamente distintas. Enquanto Valtteri Bottas, o mais rápido desta sexta-feira (10) de treinos livres de GP da Espanha de Fórmula 1, tenha comemorado a grande evolução do Mercedes W10 em relação aos testes de pré-temporada, há menos de três meses, Lewis Hamilton se queixou da falta de aderência do carro prateado em Barcelona. O pentacampeão do mundo, que ficou a apenas 0s049 da melhor marca do dia, entende que até o vento atrapalhou e que não conseguiu encontrar o melhor equilíbrio com os pneus. Ainda assim, classificou a jornada como um todo como positiva.
 
“Foi um dia interessante. Ventou muito lá fora e foi difícil com os níveis de aderência, particularmente entre os três tipos de pneus. Mas nós cumprimos nossos programas sem problemas e há muito a analisar nesta noite, como sempre”, explicou o piloto em vídeo divulgado pelo site oficial da F1.
 
Hamilton aproveitou para também fazer um comparativo entre a performance do carro em relação aos testes de pré-temporada.
Diferente de Valtteri Bottas, Lewis Hamilton não ficou muito satisfeito com o dia em Barcelona (Foto: AFP)
“O carro mudou muito, mas no inverno, com as temperaturas mais baixas, ele provavelmente se comportou melhor. Não sei se nós estamos mais rápidos, mas pareceu bem difícil hoje com a pista. Isso não é particularmente legal em termos de aderência”, observou.
 
“Escorreguei muito com os pneus na comparação com o inverno no último dia... Mas, novamente, provavelmente tem a ver com as cargas de combustível e tudo o mais, então, obviamente, quando chegarmos à classificação espero que seja uma história diferente”, acrescentou Hamilton.
 
A Mercedes foi cerca de 0s3 mais rápida que a Ferrari nesta sexta-feira, mas Hamilton não descarta a rival italiana da briga e lembrou que os carros de Sebastian Vettel e Charles Leclerc têm um trunfo. “Acho que a Ferrari está ganhando algo como 0s4 nas retas, não sei se isso é porque eles estão com o motor atualizado”.
 
Por fim, Hamilton voltou a pedir atenção com o equilíbrio do W10 para a sequência do fim de semana. “Para nós, temos muito trabalho a fazer com o equilíbrio, mas ainda assim é muito positivo para nós estarmos lá”, complementou.
 
“Todo mundo trabalhou duro para trazer o novo pacote aqui e há muito esforço em cima dele. Parece que funciona, mas é difícil saber porque essa pista é bem diferente de Baku. Há algum trabalho a fazer para melhorar o equilíbrio, mas tudo foi positivo”, finalizou o pentacampeão.
 
O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO, em TEMPO REAL e 'in loco' o fim de semana do GP da Espanha de F1 com o repórter Eric Calduch. Siga tudo aqui.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.