F1

Em grande fase, Bottas comanda 1-2 da Mercedes no segundo treino em Barcelona. Ferrari fica 0s3 atrás

Valtteri Bottas encerrou a sexta-feira de treinos livres em Barcelona com o melhor tempo: 1min17s284. Desta vez, Lewis Hamilton foi melhor e terminou apenas 0s049 atrás do finlandês. Já a dupla da Ferrari, mesmo com o novo motor, não conseguiu ser páreo para as Flechas de Prata

Grande Prêmio, de Barcelona / FERNANDO SILVA, de Sumaré
A julgar pela sexta-feira (10) de treinos livres do GP da Espanha, a Mercedes tem tudo para sair de Barcelona com a quinta dobradinha consecutiva e ampliar o recorde histórico da F1. Líder do campeonato, Valtteri Bottas mostrou novamente que está em grande fase e com ganas de manter a dianteira contra Lewis Hamilton. Nesta tarde, o finlandês foi ainda melhor em relação à manhã e anotou o melhor tempo do dia: 1min17s384, com pneus macios. O pentacampeão ficou bem perto, apenas 0s049 mais lento na comparação com seu companheiro de equipe.

Só então veio a dupla da Ferrari. Mesmo contando com novo motor neste fim de semana, Charles Leclerc e Sebastian Vettel desta vez ficaram um pouco mais distantes em relação à Mercedes. O melhor da dupla foi o monegasco, que ficou a 0s301 do tempo de Bottas. Vettel, quarto colocado, terminou a sessão 0s398 mais lento que o finlandês da Mercedes. E Max Verstappen, depois de ter enfrentado problema com o vazamento de óleo do motor pela manhã, conseguiu se colocar na quinta colocação com a Red Bull.
Valtteri Bottas foi o mais rápido desta sexta-feira de treinos livres em Barcelona (Foto: Mercedes)
Romain Grosjean foi o melhor do resto, ratificando a grande performance da Haas na abertura dos trabalhos em Barcelona. O franco-suíço terminou em sexto, pouco à frente de Pierre Gasly, companheiro de equipe de Verstappen. A outra Haas, de Kevin Magnussen, finalizou em oitavo. Carlos Sainz, da McLaren, e Daniil Kvyat, da Toro Rosso, completaram a lista dos dez primeiros colocados.

A F1 retorna à pista em Barcelona na manhã deste sábado, com o terceiro treino livre previsto para 7h (horário de Brasília), enquanto a sessão classificatória está marcada para 10h. O GRANDE PRÊMIO cobre AO VIVO, em TEMPO REAL e 'in loco' o fim de semana do GP da Espanha com o repórter Eric Calduch. Siga tudo aqui.

A partir do GP de Indianápolis, o DAZN transmite as corridas da temporada 2019 da Indy. Experimente grátis por um mês e assista quando e onde quiser.



Saiba como foi o segundo treino livre do GP da Espanha


Por conta do vazamento de óleo do motor Honda pela manhã, a Red Bull optou por colocar no carro de Max Verstappen a unidade de potência usada pelo holandês em Baku, há duas semanas. Valtteri Bottas sofreu o mesmo problema no fim do TL1, depois de ter sido o piloto mais rápido, mas a Mercedes conseguiu solucionar o problema sem precisar efetuar uma troca.

A sessão da tarde começou diante da expectativa de um novo confronto entre Mercedes e Ferrari depois do equilíbrio visto no primeiro treino, com a Flecha de Prata pilotada por Bottas ligeiramente à frente. Kevin Magnussen abriu a tabela de tempos da sessão da tarde, mas Vettel tratou de logo colocar a Ferrari na ponta com 1min18s989. Enquanto Seb estava com os pneus médios, Charles Leclerc fez seus primeiros tempos usando os compostos duros. Mas foi Magnussen quem voltou ao topo da tabela com 1min18s873, também com os médios.
A Haas voltou a mostrar boa performance em Barcelona nesta tarde (Foto: Haas)
Só que Vettel deu o troco na sequência com 1min18s766, tomando a ponta do dinamarquês por 0s107. Ainda bem longe do 1min17s951 estabelecido por Bottas pela manhã. Na sequência do seu stint, o tetracampeão melhorou mais um pouco ao estabelecer 1min18s546. Enquanto os mecânicos da Racing Point trabalhavam nos reparos do carro de Lance Stroll, que bateu no fim do TL1, Pierre Gasly subia para terceiro com a Red Bull, deixando Leclerc para trás.

A Mercedes também adotou programas distintos para seus pilotos. Com os pneus médios, Bottas bateu Vettel e subiu para a ponta com 1min18s259. Hamilton, por sua vez, acelerava com os compostos duros e virava tempos bem mais lentos. E Max Verstappen já aparecia em terceiro com os médios, entre Vettel e Magnussen.
Charles Leclercassumiu a liderança na metade do treino (Foto: AFP)
Enquanto Hamilton perdia o controle do carro na entrada da chicane, Bottas encaixava outra grande volta, a melhor do fim de semana até então, e reforçava sua liderança com 1min17s835. Lewis continuou na pista para fazer uma nova tentativa de volta e registrou 1min18s647 com os pneus duros, subindo para a quarta posição.

Foi aí que a Ferrari chamou seus pilotos para a pista e trocou os pneus, optando pelos macios para a sequência da sessão. E aí não deu outra: 1-2 para os carros de Maranello, com Vettel na frente com 1min17s673, 0s027 mais rápido que Leclerc. Foi a senha para que todos, nos minutos seguintes, fizessem uso dos pneus vermelhos para simulações em ritmo de classificação. Grosjean subia para a quarta colocação, na esteira do ótimo desempenho da Haas, enquanto Magnussen se sentia atrapalhado por Leclerc e gesticulava dentro do seu carro.

Então era chegada a vez de Leclerc liderar o treino ao cravar 1min17s585 quando restavam 55 minutos para o fim da sessão. Naquele momento, a Mercedes se preparava para mandar de volta à pista Hamilton e Bottas com os pneus macios. Na sua primeira volta, Lewis deixou toda a concorrência para trás com uma grande volta: 1min17s410, superando Leclerc por 0s175. Só que Bottas veio ainda melhor, com uma ótima performance no terceiro setor. Foi o bastante para o líder do campeonato desbancar o colega de Mercedes por 0s126 e marcar 1min17s284. A diferença da melhor Mercedes para a melhor Ferrari era de 0s301.


Verstappen marcava o quinto tempo, mas reclamava da perda de potência do motor em determinados trechos. O holandês estava com tempo 0s751 mais lento em relação a Bottas. Pierre Gasly era o sétimo, com Grosjean entre as duas Red Bull. Hamilton melhorou sua volta para ficar a apenas 0s049 de Bottas quando o treino já se encaminhava para a parte final e as simulações de corrida. Neste período, Gasly chegou a fechar a passagem de Daniel Ricciardo no fim da reta dos boxes, com o australiano tendo de recuar para evitar uma colisão.

Em termos de posição na tabela de tempos, já estava tudo definido, com a Mercedes dando as cartas, Bottas mais rápido que Hamilton e Leclerc superando Vettel no duelo interno na Ferrari.

F1 2019, GP da Espanha, treino livre 2, final:

1 V BOTTAS Mercedes 1:17.284   35
2 L HAMILTON Mercedes 1:17.333 +0.049 35
3 C LECLERC Ferrari 1:17.585 +0.301 42
4 S VETTEL Ferrari 1:17.673 +0.389 41
5 M VERSTAPPEN Red Bull Honda 1:18.035 +0.751 30
6 R GROSJEAN Haas Ferrari 1:18.153 +0.869 42
7 P GASLY Red Bull Honda 1:18.238 +0.954 34
8 K MAGNUSSEN Haas Ferrari 1:18.355 +1.071 40
9 C SAINZ JR McLaren Renault 1:18.658 +1.374 45
10 D KVYAT Toro Rosso Honda 1:18.722 +1.438 40
11 K RÄIKKÖNEN Alfa Romeo Ferrari 1:18.727 +1.443 30
12 A ALBON Toro Rosso Honda 1:18.779 +1.495 44
13 L STROLL Racing Point Mercedes 1:18.839 +1.555 33
14 N HÜLKENBERG Renault 1:18.861 +1.577 43
15 D RICCIARDO Renault 1:18.934 +1.650 40
16 L NORRIS McLaren Renault 1:19.041 +1.757 43
17 A GIOVINAZZI Alfa Romeo Ferrari 1:19.427 +2.143 37
18 S PÉREZ Racing Point Mercedes 1:19.448 +2.164 40
19 G RUSSELL Williams Mercedes 1:20.191 +2.907 38
20 R KUBICA Williams Mercedes 1:20.781 +3.497 23
    Tempo 107% 1:22.694 +5.410  
           
REC L HAMILTON Mercedes 1:16.173 12/05/2018  
MV D RICCIARDO Red Bull TAG Heuer 1:18.441 13/05/2018  




Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.