Testes a cada 48 horas e isolamento: F1 detalha planos de segurança para retorno

Em entrevista à Sky Sports, Ross Brawn detalhou os planos da categoria para um retorno seguro em julho, minimizando os riscos de transmissão do coronavírus. Equipes terão contato limitado com outras, inclusive com hotéis separados

Como parte do plano para retomar atividades em julho, os membros do paddock da Fórmula 1 serão testados para o coronavírus a cada dois dias. 
 
Diretor da categoria, Ross Brawn afirmou que está trabalhando com a FIA para articular corridas sem presença de público, começando com o GP da Áustria, no dia 5 de julho. Por conta da pandemia, sete provas foram adiadas e três canceladas.
 
"A FIA está fazendo um grande trabalho ao montar a estrutura que precisamos. Todos serão testados e precisarão estar limpos antes de entrar no paddock. Os testes acontecerão a cada dois dias com um sistema e uma autoridade responsável”, disse Brawn à emissora inglesa Sky Sports.
F1 planeja retorno em julho com GP da Áustria (Foto: AFP)
“Certamente utilizaremos a mesma instalação para conduzir os exames nas corridas europeias. Podemos garantir que todos daquele ambiente serão testados regularmente", completou.
 
A ideia da F1 em testar funcionários é completamente diferente da Nascar, que planeja retornar no dia 17 de maio. A categoria norte-americana de turismo afirmou que "não parece ser um uso produtivo dos testes" e qualquer funcionário, incluindo pilotos, precisará se isolar por 14 dias caso apresente sintomas da doença. 
 
 
"Teremos restrições sobre como as pessoas poderão se movimentar no paddock. Não podemos nos distanciar socialmente dentro das equipes, então precisamos criar um ambiente dentro de si, uma pequena bolha de isolamento. As equipes permanecerão em seus próprios grupos, não se misturarão com outros e definirão seus próprios hotéis. Não teremos motorhomes", seguiu.
 
"Estamos trabalhando com as pessoas que precisam ir a todas as garagens, como isso funcionará e o que podemos fazer. Existe uma quantidade enorme de trabalho em andamento entre nós e a FIA. Estou confiante pelo que vejo e ouço, seremos capazes de fornecer um ambiente seguro que ainda possamos correr adequadamente", concluiu.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

assine agora