Bottas tem na Alfa Romeo chance de ouro para ser protagonista da própria história na F1

Valtteri Bottas vai correr pela Alfa Romeo nos próximos anos de Fórmula 1. O finlandês deixa a Mercedes em baixa e vai ocupar o lugar deixado por Kimi Räikkönen com a perspectiva inédita na carreira: a de formar uma equipe em torno de si

A onboard do acidente entre George Russell e Valtteri Bottas em Ímola (Vídeo: F1)

Lá em junho, quando o GRANDE PRÊMIO trouxe a informação em primeira mão no mundo sobre as negociações entre Valtteri Bottas e Alfa Romeo, houve quem desdenhasse e até tirasse sarro. Até porque, numa eventual saída da Mercedes, um retorno à Williams que deu ao finlandês a oportunidade de estrear na Fórmula 1 parecia mesmo mais plausível. Entretanto, neste 6 de setembro, a informação dada meses atrás se provou certeira. O nórdico vai substituir Kimi Räikkönen na equipe de Hinwil a partir da próxima temporada e voltará a trabalhar com Frédéric Vasseur após assinar um contrato plurianual. Está feito!

Tão logo se encerrar a temporada 2021 com o GP de Abu Dhabi, marcado para 12 de dezembro, a vida de Bottas quanto à Fórmula 1 vai mudar bastante. Claro, o piloto de 32 anos vai deixar aquela que tem sido, desde o início da era híbrida de motores, a grande força do grid. Sob os comandos de Toto Wolff, Valtteri ganhou a grande chance de lutar por vitórias mesmo sabendo, desde sempre, que fora contratado para substituir o recém-aposentado Nico Rosberg na condição de coadjuvante.

À época, no fim de 2016, alguns outros nomes foram cotados como eventuais postulantes à vaga deixada por Nico: Pascal Wehrlein e Esteban Ocon despontaram com boas chances por estarem vinculados ao programa de desenvolvimento da Mercedes. Mas, Toto Wolff optou por um nome conhecido fortalecido pela sua ótima campanha com a Williams: um piloto muito bom e que não causava problemas nos bastidores. A equipe anglo-alemã tinha claro que não queria mais uma batalha interna como a travada por Rosberg e Hamilton entre 2014 e 2016.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

O momento da primeira assinatura de contrato de Valtteri Bottas com a Mercedes (Foto: Mercedes)

Assim, Bottas foi contratado para ser o novo companheiro de equipe de Hamilton, este sim, protagonista dentro da equipe e da própria Fórmula 1.

À sua maneira, Valtteri cumpriu seu papel: venceu nove corridas, conquistou 17 poles, ficou marcado por algumas atuações praticamente perfeitas, como no GP da Austrália de 2019 e no GP da Áustria do ano passado. O piloto nascido em Nastola e morador de Mônaco ajudou a Mercedes a conquistar os títulos mundiais de Construtores nas quatro últimas temporadas, embora tivesse oscilado bastante, por exemplo, em 2017 e 2018. Em 2019 e 2020, alcançou o ápice com dois vice-campeonatos.

A F1 já fala em mudar as regras para evitar a repetição de uma não-corrida. Mas o que mudar? Ouça no Paddockast #119

Mas também é verdade que o piloto teve algumas atuações desastrosas. O GP da Turquia de 2020, famoso pelas seis rodadas de Bottas no asfalto molhado de Istambul, ainda está na retina. E também teve de amargar, muitas vezes, a infame mensagem via rádio: “Valtteri, it’s James”. Como não se lembrar, por exemplo, da ordem de equipe no GP da Rússia para abrir passagem para o colega de time vencer em Sóchi em 2018?

Nos anos de Mercedes, Bottas correu entre a cruz e a espada, entre a dor e os (raros) dias de glória. Anos que ficarão no passado depois de dezembro.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

VALTTERI BOTTAS; WILLIAMS; GP DA ÁUSTRIA; 2014;
Valtteri Bottas encantou quando correu (e conquistou pódios) pela Williams (Foto: LAT/Williams)

Valtteri sai de uma equipe de ponta, talvez a melhor de todos os tempos, para uma escuderia do meio do grid, em patamar inferior até mesmo da Williams por onde Bottas correu entre 2013 e 2016. Foi na escuderia de Grove que o então jovem finlandês floresceu, despontou como grande talento, encarou — e superou — Felipe Massa, conquistou nove pódios e até foi cortejado pela Ferrari, que preferiu renovar contrato com Kimi Räikkönen para 2016.

Curiosamente, os destinos de Kimi e Valtteri voltam a se entrelaçar. Bottas vai substituir o compatriota e partirá para um novo ciclo na sua carreira. Em Hinwil, o piloto vai reeditar uma parceria vitoriosa com Vasseur, que foi seu chefe nos tempos de ART Grand Prix na empreitada que culminou com a conquista do título da GP3, hoje FIA Fórmula 3.

O piloto do carro #77 vai substituir aquele que guia o #7 e levará à Alfa Romeo ampla bagagem adquirida nos últimos tempos: Bottas carrega consigo a experiência adquirida ao lado de Hamilton, sabe como funciona as entranhas de uma equipe vitoriosa e ainda vai levar para a Suíça os segredos do motor Mercedes. Recentemente, Toto Wolff negou os rumores de um eventual fornecimento das unidades motrizes construídas em Brixworth ao time comandado pelo amigo Vasseur, que mantém a união histórica com a Ferrari.

LEWIS HAMILTON; VALTTERI BOTTAS; GP DA HOLANDA; F1; FÓRMULA 1;
Com Hamilton a condição de protagonista, Bottas foi um coadjuvante natural na Mercedes (Foto: Steve Etherington/Mercedes)

Mas diferente do que já vivenciou na Williams e na Mercedes, Bottas vai ter a primeira chance real de ser o líder de uma equipe. Quem quer que seja seu futuro companheiro de equipe — Nyck de Vries e Alexander Albon despontam como as duas opções mais plausíveis —, é Valtteri quem será o piloto mais experiente da nova Alfa Romeo. E diante de um 2022 que se avizinha cheio de novidades em razão da revolução no regulamento e com a chegada de uma nova geração de carros, a bagagem trazida por Bottas é fundamental para quem deseja dar um passo além no grid e deixar de fazer número.

Na Alfa Romeo, o finlandês tem a oportunidade de ouro não apenas de construir uma equipe em torno de si e voltar a ser aquele piloto que encantou nos tempos de Williams. Definitivamente, Valtteri Bottas tem a chance para ser o protagonista da própria história.

COMO FOI O GP DA HOLANDA DA F1 2021 | Resumo, melhores momentos e resultado da Fórmula 1

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar