F1

Verstappen lidera novo 1-2 da Red Bull no México, mas tem problema no motor. Sainz bate Vettel e é 3º

A Red Bull foi o carro mais equilibrado com os pneus hipermacios, que apresentaram alto nível de desgaste durante todo o dia no México. Max Verstappen fechou o segundo treino na ponta, mas viu seu motor falhar com dez minutos para o fim da sessão. E a Renault voltou a andar bem
Warm Up, da Cidade do México / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Max Verstappen (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

No fim de semana que tem tudo para coroar Lewis Hamilton como pentacampeão mundial, a Red Bull promete roubar a cena. Com uma performance impecável, os taurinos marcaram nova dobradinha no segundo treino livre do GP do México, na tarde desta sexta-feira (26). Max Verstappen encabeçou novamente a tabela de tempos e registrou 1min16s720 — tempo um pouco acima do registrado pela manhã, 1min16s656. Mas o holandês de 21 anos foi absoluto e conseguiu gerenciar como ninguém os pneus hipermacios, que apresentaram alto nível de desgaste durante todo o dia. Só que o piloto teve um problema de potência do motor e parou o carro quando restavam dez minutos para o fim da sessão.

Daniel Ricciardo completou o novo 1-2 da Red Bull, mas desta vez conseguiu reduzir bem a diferença para Verstappen, ficando 0s153 atrás depois de ver o companheiro de equipe ter sido quase 0s5 mais rápido pela manhã. A ótima performance dos motores Renault na altitude de 2.200 m da Cidade do México foi confirmada com a terceira colocação obtida por Carlos Sainz. O espanhol, que já havia finalizado a manhã em terceiro, repetiu a posição no segundo treino e marcou 1min17s953, apenas 0s001 à frente de Sebastian Vettel, P4. Para Verstappen, a diferença foi um grande abismo: 1s233.

A Ferrari foi uma das equipes que sofreu para administrar os pneus hipermacios ao longo da sexta-feira e nem de longe conseguiu tirar o melhor desmepenho dos compostos. A ponto de ter Kimi Räikkönen apenas em oitavo lugar. A Renault completou o top-3 com Nico Hülkenberg. Outra boa surpresa da sessão é a presença de Brendon Hartley, com a Toro Rosso empurrada pelo motor Honda, em sexto, enquanto Lewis Hamilton só finalizou em sétimo. A Mercedes também andou melhor com os ultramacios do que os hipermacios. Valtteri Bottas foi o nono colocado.

O que se vê na tabela de tempos é um grande equilíbrio nos tempos a partir do terceiro lugar. De Sainz para Sergio Pérez, o décimo lugar, a diferença foi de pouco mais de 0s2, um equilíbrio como poucas vezes é visto na F1. Em contrapartida, a McLaren foi novamente muito mal, sobretudo com Fernando Alonso, penúltimo colocado, só à frente de Kevin Magnussen, da Haas.
Max Verstappen sobrou nesta sexta-feira de treinos livres no Autódromo Hermanos Rodríguez (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
A F1 volta a acelerar neste sábado com a disputa do terceiro treino livre, a partir de 12h (horário de Brasília), e com a sessão classificatória, marcada para 15h. O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o GP do México de F1 neste fim de semana com a repórter Evelyn Guimarães.
 
E o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 acontece este ano nos dias 9, 10 e 11 de novembro, no autódromo de Interlagos. Os ingressos para a corrida estão disponíveis no único site oficial do evento: www.gpbrasil.com.br.

Saiba como foi o segundo treino livre do GP do México de F1


Uma vez que deu apenas duas voltas no primeiro treino e não chegou a marcar tempo, Pierre Gasly foi o primeiro a acelerar nesta tarde no México e não tinha tempo a perder, uma vez que precisava verificar as condições do novo motor após a troca providenciada pela Toro Rosso em conjunto com a Honda. 

Como no primeiro treino, Kimi Räikkönen abriu a tabela de tempos da sessão da tarde com 1min20s027. Desta vez, a Ferrari abriu os trabalhos com os pneus supermacios, os mais duros do fim de semana. Vettel fez sua primeira volta em seguida, assim como a dupla da Sauber, formada por Marcus Ericsson e Charles Leclerc, que assumiu seu carro à tarde após a presença de Antonio Giovinazzi no TL1.

A pista ainda continuava muito suja, e os pilotos sofriam com a falta de aderência e davam suas escapadas, como o próprio Vettel, além de Kevin Magnussen e Romain Grosjean, da Haas. Mesmo assim, os tempos iram melhorando pouco a pouco, ainda que apenas a Ferrari figurava na pista entre os carros mais rápidos.
Nico Hülkenberg voltou a andar bem no treino da tarde no México (Foto: AFP)
Mas a Mercedes não tardou a mandar seus pilotos para a pista. E logo na primeira tentativa, Lewis Hamilton tomou a ponta com 1min19s207 com os pneus supermacios. Só que o quase pentacampeão viu seu tempo ser superado em seguida pela Renault de Nico Hülkenberg, que cravou 1min19s176. O carro aurinegro continuava a surpreender depois de uma ótima jornada no primeiro treino.

Na sequência do seu stint, Vettel voltou à ponta e superou Hülkenberg em 0s169. Muitas mudanças de posição nos primeiros minutos do treino da tarde, enquanto a Red Bull ainda tinha seus dois carros nos boxes. Então foi a vez do carro taurino de Brendon Hartley, empurrado pelo motor Honda, surpreender ao assumir a ponta com 1min18s928. O neozelandês usava pneus hipermacios logo de cara.

A sessão ainda trouxe mais mudanças na ponta. Hamilton marcou 1min18s859 e chegou a retomar a liderança, mas foi superado por Sergio Pérez, este com os hipermacios, segundos depois. Só que o dono da casa sequer esquentou na primeira posição porque Max Verstappen voou com a melhor parcial nos três setores e, com 1min17s437, colocou a Red Bull na frente com pneus ultramacios. Esteban Ocon posicionava a outra Force India em quinto.
Com tantas mudanças no topo, até Hartley chegou a ocupar a ponta no começo do treino (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
A Red Bull reiterou sua força no Hermanos Rodríguez com Ricciardo. O australiano seguiu 0s5 atrás de Verstappen, mas completou a dobradinha taurina ao subir para a segunda posição logo na sua primeira volta rápida. A mensagem era que, ao menos no começo do fim de semana, a Red Bull estava um degrau acima das rivais.

Minutos depois, a Ferrari abriu a segunda fase do treino com Vettel e Räikkönen usando os hipermacios. Contudo, nem com os pneus mais rápidos do fim de semana Seb conseguiu superar Verstappen na sua primeira passagem. Räikkönen também teve problemas de falta de aderência dos pneus e não conseguia tirar deles a melhor performance pelo alto desgaste de borracha. O finlandês não passou do quarto lugar.
Sergio Pérez levantou a torcida nas arquibancadas do Hermanos Rodríguez (Foto: Racing Point Force India)
Quem andava bem mesmo e conseguia tirar o máximo dos hipermacios era, além da Red Bull, a Renault, que tinha Carlos Sainz numa excelente segunda colocação depois da volta do espanhol em 1min17s953, desbancando Vettel por 0s001. Hamilton, em seguida, veio para fazer sua volta com os hipermacios, mas não passou do sexto tempo, enquanto Bottas aparecia em oitavo, atrás também de Räikkönen.

A questão era ver a performance da Red Bull com os hipermacios. Ao contrário dos seus oponentes, Verstappen melhorou bem seu tempo e estabelecer 1min16s720, mas nem por isso ficou totalmente satisfeito com o equilíbrio do carro. "Está tudo fora do lugar. O motor não está fazendo o que deveria fazer. Precisamos analisar isso", disse o piloto via rádio. Voltas depois, foi a vez de Ricciardo melhorar e encostar no holandês com 1min16s873, somente 0s153 atrás. Brendon Hartley aparecia numa ótima sexta posição.

Daí em diante, nos 35 minutos finais, as equipes trabalharam com o foco voltado para as simulações de corrida e procuraram usar os três tipos de pneus disponíveis para o fim de semana. E mesmo com o tanque cheio, a Red Bull mostrava estar um patamar acima das rivais, com Verstappen sobrando com tempos muito consistentes, entre 1min21s e 1min23s. Hamilton, na sequência de um stint de 13 voltas, virava acima dos 1min26s.

Com menos de dez minutos para o fim, contudo, acendeu o sinal de alerta para a Red Bull. Verstappen parou seu carro na área de escape por conta de um problema no motor. Fica, então, a grande interrogação sobre o que os taurinos vão poder entregar na sequência do fim de semana no México.




F1 2018, GP do México, Autódromo Hermanos Rodríguez, treino livre 2:

1 M VERSTAPPEN Red Bull Tag Heuer 1:16.720   21
2 D RICCIARDO Red Bull Tag Heuer 1:16.873 +0.153 32
3 C SAINZ JR Renault 1:17.953 +1.233 35
4 S VETTEL Ferrari 1:17.954 +1.234 42
5 N HÜLKENBERG Renault 1:18.046 +1.326 36
6 B HARTLEY Toro Rosso Honda 1:18.061 +1.341 35
7 L HAMILTON Mercedes 1:18.100 +1.380 40
8 K RÄIKKÖNEN Ferrari 1:18.133 +1.413 42
9 V BOTTAS Mercedes 1:18.140 +1.420 40
10 S PÉREZ Force India Mercedes 1:18.167 +1.447 24
11 E OCON Force India Mercedes 1:18.485 +1.765 24
12 R GROSJEAN Haas Ferrari 1:18.733 +2.013 39
13 C LECLERC Sauber Ferrari 1:19.024 +2.304 39
14 P GASLY Toro Rosso Honda 1:19.047 +2.327 36
15 S VANDOORNE McLaren Renault 1:19.096 +2.376 30
16 L STROLL Williams Mercedes 1:19.219 +2.499 25
17 M ERICSSON Sauber Ferrari 1:19.322 +2.602 41
18 S SIROTKIN Williams Mercedes 1:19.335 +2.615 37
19 F ALONSO McLaren Renault 1:19.543 +2.823 31
20 K MAGNUSSEN Haas Ferrari 1:19.670 +2.950 35
    Tempo 107% 1:22.090 +5.370  
           
REC S VETTEL Ferrari 1:16.488 28/10/2017  
MV S VETTEL Ferrari 1:18.785 29/10/2017