carregando
F1

Vettel admite ano abaixo do esperado: “Sei que posso melhorar”

Batido por um companheiro de equipe pela primeira vez na Ferrari, Sebastian Vettel admitiu que o 2019 foi longe do ideal. Tetracampeão mundial registrou uma vitória e duas poles durante a temporada marcada por diferentes erros. Alemão pretende contar com experiência para reverter situação em 2020

Grande Prêmio / Redação GP, de Campinas
2019 foi um dos piores anos da carreira de Sebastian Vettel. Após dois vice-campeonatos consecutivos, em 2017 e 2018, o alemão da Ferrari se viu apenas em quinto na classificação final, batido pelo companheiro de equipe Charles Leclerc, algo que não acontecia desde 2014, seu último ano de Red Bull, quando foi superado por Daniel Ricciardo.
 
Vettel teve pontos altos na temporada, como as poles no Canadá e no Japão, além da vitória em Singapura que encerrou um jejum de 13 meses sem triunfos, mas os pontos baixos, como o acidente com Max Verstappen na Inglaterra e a rodada na Itália, deixaram o tetracampeão mundial em situação ruim.
 
"Não foi um grande ano da minha parte. Não acho tão ruim quanto parece porque aconteceram coisas que prejudicaram a imagem ao fim do ano, mas eu sou o primeiro a olhar para mim, e se eu for honesto, sei que posso melhorar. Este é o meu objetivo no próximo ano, dar um passo a mais", citou em entrevista ao site da F1.
Sebastian Vettel (Foto: Pirelli)
Vettel também sofreu com falta de sorte em 2019. No GP do Canadá, teria vencido se não recebesse uma contestável punição por sair da pista e não retornar de forma segura. Na Rússia, liderava a corrida até uma falha de motor que rendeu um abandono.
 
"Acho que poderia ter ido melhor em algumas corridas, como Monza. Houve corridas em que não era para ser, como no Canadá. Corridas em que faltou sorte, como na Rússia. Por diversos motivos, aqui e ali, poderia ter sido melhor", comentou.
 
"Penso que as coisas não 'clicaram' do jeito que deveriam. Não temos muita coisa a ser mudada, apenas pequenos detalhes que podem ser ajustados e fazem a diferença. Estou há um tempo aqui, então usarei minha experiência, o pouco de sabedoria que tenho para colocar as coisas ao meu favor, eu espero", concluiu o alemão, na Fórmula 1 desde 2007 e na Ferrari desde 2015.
 

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.