Vettel diz que Hamilton não quis causar acidente em ‘brake-test’ em Baku, mas cutuca: “A F1 é para adultos”

Lewis Hamilton deu uma freada em regime de safety-car para comprometer a relargada de Sebastian Vettel, que não ficou nem um pouco feliz. O tetracampeão acredita que a atitude do rival no Azerbaijão “não era necessária”

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Sebastian Vettel vai deixar o Azerbaijão em pé de guerra com Lewis Hamilton. Os dois pilotos se enroscaram em regime de safety-car na corrida deste domingo (25)Hamilton usou um ‘brake-test’ para prejudicar a relargada de Vettel, que se irritou e jogou a Ferrari para cima da Mercedes em seguida. Seb foi o único punido no lance, mas não se vê como culpado.
 
“Não aconteceu nada, certo? Ele usou o ‘brake-test’ em mim, o que você esperava? Tenho certeza de que ele não fez isso de propósito, mas certamente não foi a coisa certa a ser feita”, opinou Vettel. “Se estou com dificuldades [atrás do Hamilton], quem estava atrás tinha ainda mais dificuldades. Não acho que era necessário. A F1 é para adultos, isso não faz sentido”, cutucou.
Hamilton faz 'brake test' e Vettel não evita toque na traseira da Mercedes (Foto: Reprodução/Twitter)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“Eu tive danos, ele correu o risco de sofrer danos. Ele fez algo parecido em uma relargada na China alguns anos atrás. Acho que não é o jeito certo de agir. Depois do incidente, eu fiquei ao lado dele e levantei minha mão para mostrar que não estava feliz”, completou.

Depois do enrosco, Vettel promete uma conversa particular para encerrar o assunto. “Não vou dizer mais nada. Acho que vou falar com o Hamilton e vamos resolver isso”.

 
Vettel foi punido em 10s pelo acidente e acabou em quarto. Hamilton não foi considerado culpado, mas acabou em quinto depois de fazer um pit-stop emergencial. O resultado amplia a vantagem de Seb na liderança do campeonato de 12 para 14 pontos.

A temporada da F1 volta em duas semanas, 9 de julho, com o GP da Áustria. No ano passado, Lewis Hamilton foi quem ficou com a vitória. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades AO VIVO e EM TEMPO REAL.

NOVA DERROTA EM 2017 MOSTRA QUE TOYOTA E LE MANS SÃO COMO ‘ÁGUA E ÓLEO’

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:

0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe,
.embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;

top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube