F1

Vettel lembra erro de 2018 e fala em “compensar o que aconteceu” em Hockenheim

Um ano depois do erro que mudou a história da temporada passada, Sebastian Vettel volta a correr em casa neste fim de semana. Em Hockenheim, o tetracampeão e a Ferrari só buscam dar a volta por cima com uma grande atuação diante dos fãs alemães

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
22 de julho de 2018. Há um ano e um dia, Sebastian Vettel largava na pole-position do GP da Alemanha como líder do campeonato e tinha a grande chance de ampliar a vantagem e vencer diante dos seus fãs em Hockenheim. Mas o tetracampeão, nas voltas finais da corrida, errou sozinho na entrada do estádio por conta da pista úmida, bateu na barreira de proteção e abandonou. Para piorar, ainda viu Lewis Hamilton, que havia largado em 14º, cruzar a linha de chegada na frente e triunfar na casa do rival. O revés de Vettel mudou os rumos do campeonato e impulsionou Hamilton no caminho rumo ao penta no fim do ano.
 
Neste fim de semana, Vettel e Hockenheim voltam a se encontrar. É a chance que o tetracampeão tem de se redimir do erro cometido no ano passado e tentar triunfar em casa. “Temos de compensar o que aconteceu no ano passado, sobretudo eu, estou ansioso para pilotar em Hockenheim”, comentou o dono da casa.
 
“O ambiente é sempre fenomenal e os fãs são incríveis. Lembro de muitas bandeiras alemãs no entorno da pista no ano passado, foi encantador”, descreveu Seb.
Vettel ainda não esquece o acidente sofrido há um ano em Hockenheim (Foto: Twitter)
“Quanto à pista, parece fácil à primeira vista. Sobretudo a última parte da volta, gosto muito, mas também é muito técnica. Há muitos fãs ali e acho que é realmente a parte a se destacar da pista. Diria que a curva 1 é uma das mais difíceis. É muito rápida e termina antes que você se dê conta, de modo que é importante fazê-la bem para o restante da volta”, complementou.
 
Já Charles Leclerc, que vem em ascensão na temporada e terminou o último GP da Inglaterra em terceiro, aposta na evolução do carro da Ferrari em classificação para estar ali perto da Mercedes, mas traz a esperança de uma melhora significativa em ritmo de corrida para brigar de fato pela vitória, o que não aconteceu em Silverstone.
 
“Estou ansioso para ir a Hockenheim. Evoluímos nos últimos finais de semana em classificação. Agora temos de nos concentrar no ritmo de corrida porque parece que é nisso que estamos sofrendo mais agora”, comentou o monegasco. “Quanto ao circuito, tem boas características, uma mescla de curvas distintas e retas. A última corrida foi muito emocionante e divertida dentro do carro, espero que a da Alemanha também seja boa e que possamos lutar pela vitória”, emendou.
 
Para a Ferrari, mesmo sem atualizações para o fim de semana, é prioridade voltar a lutar pela vitória em Hockenheim depois de tudo o que aconteceu no ano passado. “O GP da Alemanha é, antes de tudo, a corrida de casa para Sebastian, de modo que esperamos fazer um bom trabalho em Hockenheim, sobretudo depois da corrida do ano passado lá, quando a vitória nos escapou no desfecho de um fim de semana em que nossa performance foi a correta”, disse Mattia Binotto, chefe da equipe de Maranello.
 
“Não vamos ter atualizações específicas, mas estudamos as informações da corrida de Silverstone para entender melhor nosso carro”, acrescentou.
Paddockast #25
Bênçãos e Maldições da Fórmula E


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.