Vettel não vê motivos para pânico diante de crise extrema da Red Bull: “Não há razão para dramatizar”

Equipe austríaca voltou a apresentar sérios problemas, alemão não conseguiu completar nenhuma volta neste sábado (1) e ficou em último lugar no penúltimo dia de testes de pré-temporada. "Não adianta ficar emotivo nessa fase. Temos que dar um passo de cada vez"

 
Às vésperas do início do campeonato de 2014 da F1, a Red Bull ainda não conseguiu se encontrar. A situação do time de Milton Keynes é caótica. Neste sábado (1), Sebastian Vettel não conseguiu completar sequer uma volta, e ficou com a última posição entre os 11 carros que participaram da penúltima sessão de testes de pré-temporada no Bahrein.
 
A cena se repetiu ao longo de praticamente todos os 11 dias de testes totalizados até aqui: o RB10 parado na pista, Vettel e Daniel Ricciardo em pé encarando o problemático carro. Para o tetracampeão, contudo, não há nenhum motivo para pânico, apesar da frustração.
 
“Pensamos que poderíamos estar em um lugar muito melhor nesta semana, em comparação com a semana passada. Realmente, esse não foi o caso”, disse o alemão.
E agora, Red Bull? (Foto: Mark Thompson/Getty Images)

“Não adianta ficar muito emotivo nessa fase. Realmente temos que dar um passo de cada vez. Nós sabemos o quanto isso é sério, especialmente dentro da equipe, tanto da parte da Renault quanto da nossa parte. Temos sido um time nos últimos cinco anos e as coisas tem sido fantásticas.” Ao lado da Red Bull, a marca francesa dominou inteiramente os últimos quatro campeonatos, e ainda ficou com o vice-campeonato na temporada 2009.
 
“Houve dias difíceis e períodos difíceis, como quando vimos o motor explodir com duas corridas pela frente em 2010, perto de decidirmos o campeonato, o que não foi legal”, recordou Vettel, que mesmo assim ganhou o título daquele ano. “Houve outras falhas também de nossa parte e da parte dos pilotos. Somos uma equipe. Isso acontece.”
 
“Não há nenhuma razão para dramatizar isso. Sabemos que é um momento difícil, mas todos estão conscientes disso e motivados para sair dessa situação”, destacou.
 
“Acho que algumas coisas vão se acalmar apenas pelo fato de que dentro de duas semanas, teremos muitas peças novas. Obviamente, tivemos muitos problemas, o que fez com que muitas peças fossem danificadas e não estivessem disponíveis durante à noite. Estamos no Bahrein, então não é tão fácil assim consertar as coisas”, considerou o piloto da Red Bull. “Isso vai ficar melhor quando chegarmos à Austrália.”
 
Apesar dos problemas todos, contudo, Vettel elogiou o RB10 – mesmo com um comentário quase irônico. “Nas pouquíssimas voltas que fizemos, o carro estava bom”, disse. “Fiquei muito feliz com o carro. Obviamente, há um passo para trás em relação ao ano passado a respeito da aderência, mas não foi tão ruim. Há esperança nesse sentido”, encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube