Vice-líder do mundial e piloto mais regular do grid, Räikkönen minimiza desempenho: "Não há mágica"

Finlandês da Lotus tem uma vitória e três segundos lugares nas cinco provas realizadas em 2013. Realista como de costume, Kimi minimizou a marca e afirmou que um piloto sempre quer ir além: "Ainda que você vença toda as corridas, você não estará 100% feliz", disse

 
Kimi Räikkönen faz um início de temporada surpreendente – não necessariamente por suas qualidades como piloto, mas sim pelo excelente rendimento do E21, carro construído pela Lotus para o campeonato de 2013 da F1.
 
A vice-liderança no campeonato – onde o finlandês aparece apenas quatro pontos atrás do líder Sebastian Vettel, 89 a 85 – não é o único ponto de destaque do campeão mundial de 2007 neste ano. 
 
Kimi é o piloto mais regular do ano. Até o momento, das cinco corridas já disputadas, o piloto terminou nada menos que quatro delas no top-2. Além da vitória na Austrália, foram três segundos lugares consecutivos entre os GPs da China e da Espanha.
Kimi Räikkönen tem quatro pódios em cinco corridas em 2013 (Foto: Getty Images)
 
"Queríamos melhorar em relação ao início do ano passado e temos feito isso. Conheço a equipe e eles me conhecem, temos mais experiência e temos sido muito rápidos e consistentes neste ano."
 
Räikkönen é especialista neste tipo de performance. Foi graças à regularidade que seu único título foi conquistado: em 2007, foram 12 pódios em 17 corridas, com cinco vitórias. 
 
Em 2003, seu primeiro vice-campeonato veio de forma semelhante: com apenas um triunfo no ano, o finlandês terminou apenas dois pontos atrás de Michael Schumacher, que ficou com o título. Tudo porque o nórdico cravou dez pódios em 16 etapas, contra oito do alemão, que, no entanto, venceu em seis oportunidades.
 
"O objetivo era começar as primeiras provas melhor e já nos colocamos em uma posição forte. Queríamos vencer mais corridas, mas isso não aconteceu", explicou.
 
"Olhando no geral, você nunca está feliz. Ainda que você vença toda as corridas, você provavelmente não estará 100% feliz."
 
Por fim, Räikkönen afirmou que não vê tanta diferença entre a F1 do ano passado e a atual, sobretudo com relação aos pneus da Pirelli – grande ponto de discórdia entre equipes e pilotos em 2013.
 
"[As corridas] mudaram um pouco neste ano, mas acho as principais coisas ainda são as mesmas. Se você não for rápido, você não vai estar no pódio", explicou. "Primeiro você tem que ser forte o suficiente para se colocar lá."
 
"Talvez haja mais espaço para fazer a diferença com diferentes tipos de pneus ou coisas assim, mas antes você tem que lidar melhor com o combustível", concluiu.
 
O GP de Mônaco, sexta etapa da temporada, ocorre no próximo domingo, dia 26 de maio.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube