F1

Williams agita noite de sexta-feira ao anunciar Nasr como reserva e patrocínio do Banco do Brasil

Em horário não muito convencional, o brasileiro Felipe Nasr confirmou que será piloto reserva da Williams na temporada 2014 do Mundial de F1. O Banco do Brasil, que o apoiou nas categorias de base, entra junto na empreitada
Warm Up / RENAN DO COUTO, de São Paulo


Felipe Nasr chegou à F1. Como reserva, ele vai vestir pela primeira vez o uniforme de uma equipe da categoria máxima do automobilismo, no caso, a Williams. O piloto de 21 anos será mais um a falar português dentro do lendário time de Frank Williams, fazendo companhia ao xará Felipe Massa. O Banco do Brasil entra junto na empreitada, anunciada na noite desta sexta-feira (21).

A estreia é imediata: neste sábado, o brasiliense acelera o FW36 no quarto dia de testes de pré-temporada da F1 em Sakhir, no Bahrein.
Felipe Nasr entra na F1 como reserva pela porta da Williams (Foto: GP2)
Nasr estava encaminhado para assinar com a Williams para a função no fim do ano passado, como reportou Américo Teixeira Jr. no Diário Motorsport, mas reviravoltas nas negociações quase abriram uma porta de titular para o brasiliense -- negociações com a Sauber estiveram adiantadas. Ao ver a porta do time suíço se fechar -- Esteban Gutiérrez e Adrian Sutil foram escolhidos como pilotos oficiais --, a Williams tornou a ser boa opção para ele, enfim, ingressar na F1 após dois anos na GP2. Ele terá a oportunidade de treinar em cinco sessões de treinos livres às sextas-feiras e em três dias de testes.

Consigo, vai o Banco do Brasil, que já o patrocinou nas divisões de base. Lá, ele se junta a outra empresa nacional, a Petrobras, cuja parceria fora confirmada no início da semana, no Rio de Janeiro. A petrolífera fornecerá combustíveis a partir de 2015, mas já terá sua marca estampada na carenagem do FW36.

Dando indícios de que mais firmas tupiniquins podem estar envolvidas, a Williams replicou no Twitter uma mensagem na qual Nasr fazia menção a outros dois patrocinadores: a companhia aérea Azul e a operadora de TV a cabo Sky.

Macacão da Williams na pré-temporada já ostenta marca do Banco do Brasil (Foto: Twitter/Williams)
"Eu estou realmente feliz por me juntar à família da Williams. Eles têm uma grande história no esporte e alguns dos maiores pilotos brasileiros de todos os tempos pilotaram para eles, então é uma honra me juntar a nomes como Piquet, Senna e Massa", declarou Nasr.

"É uma fantástica oportunidade para eu dar o próximo passo da minha carreira e mal posso esperar para sentar ao volante de um carro de F1 pela primeira vez no Bahrein", completou o piloto.

Campeão da F3 Inglesa em 2011, Nasr se mudou para a GP2 no ano seguinte, onde fez boas apresentações. Essas boas apresentações, contudo, não foram o bastante para que ele conseguisse subir ao alto do pódio na categoria. Felipe passou a maior parte do ano disputando o título em 2013, porém, perdeu rendimento na reta final e terminou na quarta colocação no campeonato de pilotos.

"Felipe tem resultados fortes na carreira e estivemos observando-o por algum tempo", disse o chefe Frank Williams. "Temos um histórico na Williams de trazer novos talentos e dar a eles a chance de mostrar o que podem fazer na elite. Pilotando em cinco sessões de treinos livres nesta temporada, Felipe vai ter a chance perfeita para mostrar suas habilidades e estou confiante de que será uma adição importante ao nosso plantel", concluiu o britânico de 71 anos.

Além dos já mencionados Nelson Piquet e Ayrton Senna, e, claro, Massa, a história de brasileiros na Williams ainda tem Antonio Pizzonia, Rubens Barrichello e Bruno Senna como titulares e Bruno Junqueira, Ricardo Sperafico e Max Wilson no papel de pilotos de testes.

O Mundial de F1 tem início daqui a três semanas, em 16 de março, em Melbourne, onde acontece o GP da Austrália.

Flavio Gomes: Isso é hora?
Renan do Couto: Mais um Felipe