F2

Em corrida marcada por engarrafamento, De Vries vence com facilidade em Mônaco. Sette Câmara é quarto

A movimentada corrida 1 da Fórmula 2 em Mônaco, nesta sexta-feira (24), teve até engarrafamento provocado por Mick Schumacher. Nyck de Vries venceu com facilidade, seguido por Luca Ghiotto e Nobuharu Matsushita, com Sérgio Sette Câmara ficando em quarto

Grande Prêmio / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 

A corrida que abriu a rodada dupla da Fórmula 2 em Mônaco foi bastante tumultuada e teve uma interrupção de pouco mais de meia hora por conta de um engarrafamento causado por Mick Schumacher, que acertou o carro de Tatiana Calderón na curva La Rascasse, impedindo a passagem de quem vinha atrás. Contudo, em termos de briga pela vitória, foi uma prova bastante tranquila para Nyck de Vries. O holandês largou da pole-position nesta sexta-feira (24) e jamais foi ameaçado, antes ou depois da bandeira vermelha. Líder praticamente de ponta a ponta, o piloto da ART Grand Prix cruzou a linha de chegada à frente de Luca Ghiotto e Nobuharu Matsushita.

Sérgio Sette Câmara largou em quinto, mas pulou para terceiro logo nas primeiras curvas. O brasileiro andou no top-3 praticamente a corrida toda, mas acabou perdendo performance depois do seu pit-stop, já na reta final da disputa. Sérgio acabou sendo ultrapassado por Matsushita e cruzou a linha de chegada em quarto, voltando aos pontos depois de uma rodada dupla complicada em Barcelona. Dorian Boccolacci foi o quinto. Guanyu Zhou, Artem Markelov, Louis Delétraz, Ralph Boschung e Anthoine Hubert fecharam o top-10.

Já o líder do campeonato, Nicholas Latifi, enfrentou uma jornada marcada por uma série de manobras desastradas, chegou a ser punido pela direção de prova e terminou apenas em 13º, fora dos pontos. Assim, De Vries encostou no canadense e soma 92 pontos, contra 93 de Latifi. Ghiotto soma 85 e é o terceiro colocado no campeonato. Jack Aitken, que não pontuou nesta sexta-feira, manteve os 62 tentos, enquanto Sette Câmara subiu para quinto e agora tem 45 pontos.

A corrida que fecha a rodada dupla da Fórmula 2 acontece neste sábado, pouco depois do treino classificatório do GP de Mônaco de F1.
Nyck de Vries vence praticamente de ponta a ponta em Mônaco (Foto: Reprodução)
Saiba como foi a corrida 1 da Fórmula 2 em Mônaco


A corrida começou com a pista majoritariamente seca, mas úmida em determinados trechos, fruto da chuva que deu as caras no Principado durante a noite. O grid de largada teve Nyck de Vries na pole, seguido por Callum Ilott, Luca Ghiotto, Mick Schumacher e Sérgio Sette Câmara em quinto, enquanto o líder do campeonato, Nicholas Latifi, era o oitavo do grid. Mas depois da volta de apresentação, o carro de Ilott apresentou problemas e ficou parado, tendo de ser renovido para o pit-lane. O britânico não conseguiu largar e abandonou a disputa.

Assim, os pilotos tiveram de fazer mais uma volta de formação do grid de largada. De Vries manteve a liderança, com Ghiotto subindo para segundo. Quem se deu bem foi Sette Câmara, que passou para terceiro logo na primeira curva, deixando Schumacher para trás, com o alemão sendo superado também pelo francês Anthoine Hubert. Mas na volta 3, o filho do heptacampeão mundial de F1 fez uma grande manobra e retomou o quarto lugar na entrada da curva Mirabeau.
Mick Schumacher passa Anthoine Hubert na entrada da curva Mirabeau (Foto: Reprodução)
Com bom ritmo de corrida, Schumacher começava a se aproximar de Sette Câmara. O brasileiro, por sua vez, acelerava para buscar Ghiotto. De Vries seguia na frente, mas não conseguia se desgarrar do restante do pelotão.

Pouco depois, Schumacher foi aos boxes para cumprir o pit-stop obrigatório, assim como Latifi e Louis Delétraz. Na pista, o destaque era a briga pelo quinto lugar entre Dorian Bocolacci e Artem Markelov, de volta ao grid da Fórmula 2 neste fim de semana. Mas o russo, assim como Tatiana Calderón e Ralph Boschung, foi punido com 10s no tempo de prova por ter cortado caminho e obtido vantagem. Outra briga boa, mas no fundo do pelotão, era protagonizado por Mahaveer Raghunathan e Jack Aitken.

Na luta pela ponta, no entanto, a corrida seguia bem morna. Com 16 das 41 voltas da prova, De Vries liderava com quase 5s de frente para Ghiotto que, por sua vez, tinha 2s7 de vantagem para Sette Câmara. Nobuharu Matsushita, que aparecia em quarto, não era uma ameaça real para o brasileiro e estava 10s atrás.
Nicholas Latifi tenta passar Mick Schumacher em manobra desastrada (Foto: Reprodução)
Na mesma volta, Latifi tentou ultrapassar Schumacher, mas fez uma manobra desastrada na curva Loews, subiu pela calçada e acertou o carro do alemão. Mick, contudo, não teve maiores problemas e seguiu na prova. Mas Latifi teve a asa dianteira danificada e precisou ir aos boxes para fazer a troca, jogando fora qualquer chance de um bom resultado nesta sexta-feira.

Mas a cena da corrida ainda estava por vir. Tatiana Calderón, que estava na nona colocação, foi tocada por Schumacher, que vinha logo atrás, e rodou na saída da curva La Rascasse. Pelo fato de ser um trecho bastante estreito, ninguém que estava atrás conseguiu passar, o que formou um grande engarrafamento. Bandeira vermelha em Mônaco.
Batida de Schumacher em Calderón causa engarrafamento e gera bandeira vermelha (Foto: Reprodução)
De um total de 41 voltas, 20 haviam sido completadas antes do engarrafamento. A partir daí, a perspectiva da corrida mudou completamente, especialmente para os primeiros colocados. Isso porque, mesmo com troca de pneus permitida durante a paralisação, o pit-stop obrigatório precisava ser cumprido fora do regime de bandeira vermelha.

A relargada foi autorizada depois de pouco mais de 30 minutos de paralisação. Com a bandeira verde, veio a punição imposta a Schumacher, um drive-through por conta da batida em Calderón. De Vries manteve a liderança, seguido por Ghiotto e Sette Câmara. De Mick Schumacher, que aparecia em nono, para trás, todos os pilotos apareciam com uma volta de desvantagem para o líder.

As posições da frente estavam estáveis. Em quarto, Matsushita se aproximava de Sette Câmara, sendo que o japonês também não tinha feito seu pit-stop obrigatório. Mais atrás, Latifi protagonizava outra manobra desastrosa e quase provocou novo engarrafamento ao acertar o carro de Sean Gelael na entrada da La Rascasse. Pelo incidente, o canadense foi punido com um drive-through, minando qualquer chance de terminar a prova em décimo, o que garantiria a primeira posição do grid da corrida 2, no sábado.
Sérgio Sette Câmara flertou com o pódio durante praticamente toda a prova (Foto: Dams/Twitter)
Era chegada a hora do pit-stop obrigatório para os líderes. Dentre os ponteiros, Ghiotto foi o primeiro a parar, na volta 36, seguido por Matsushita e Boccolacci. De Vries parou na volta seguinte, assim como Sette Câmara. O mineiro conseguiu voltar à frente de Matsushita, mas em seguida foi ultrapassado pelo japonês. Sérgio não tinha um bom ritmo depois do pit-stop e passava a ter até o quarto lugar ameaçado por Boccolacci.

O safety-car foi acionado por conta do forte acidente de Juan Manuel Correa, ocorrido na saída do S da Piscina. Antes, Aitken foi tocado por Raghunathan na Loews e bateu no guard-rail, ficando também fora da prova. Ainda houve tempo para uma volta com bandeira verde antes da confirmação da vitória dominante de Nyck de Vries, com Ghiotto e Matsushita completando o pódio monegasco. Sette Câmara voltou a pontuar ao cruzar a linha de chegada em quarto.

Fórmula 2, Mônaco, corrida 1, final:

1 N DE VRIES ART 42:36.192 41 voltas
2 L GHIOTTO UNI-Virtuosi +3.000
3 N MATSUSHITA Carlin +4.000
4 S SETTE CÂMARA DAMS +5.400
5 D BOCCOLACCI Campos +9.100
6 G ZHOU UNI-Virtuosi +1:02.500
7 A MARKELOV MP +1 volta
8 L DELÉTRAZ Carlin +1 volta
9 R BOSCHUNG Tirdent +1 volta
10 A HUBERT Arden +1 volta
11 N MAZEPIN ART +1 volta
12 M SCHUMACHER Prema +1 volta
13 N LATIFI DAMS +1 volta
14 G ALESI Trident +1 volta
15 M RAGHUNATHAN MP +2 voltas
16 T CALDERÓN Arden +2 voltas
17 J CORREA Sauber Junior +4 voltas
18 J AITKEN Campos +5 voltas
19 S GELAEL Prema +9 voltas
20 C ILOTT Sauber Junior NL


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.