Petecof toma Räikkönen como exemplo para lidar com “grande passo” rumo à F2

Gianluca Petecof vai direto da F-Regional para a F2, assim como Kimi Räikkönen foi da F-Renault para a F1 20 anos atrás. O finlandês vira exemplo para o brasileiro

Para a surpresa de muitos, Gianluca Petecof é agora um piloto da Fórmula 2. O brasileiro assinou com a Campos e dá um grande salto adiante na carreira, vindo direto da Fórmula Regional Europeia para o certame imediatamente abaixo da Fórmula 1. Soa como uma situação delicada, mas que Petecof se vê em condições de superar – e com ninguém menos do que Kimi Räikkönen como referência.

É que Räikkönen é um caso de sucesso para pilotos que pulam categorias no automobilismo: depois de uma temporada de sucesso na Fórmula Renault Britânica em 2000, Kimi virou titular da Sauber na Fórmula 1 em 2001, iniciando carreira de sucesso. É com isso em mente que Petecof vai para a F2.

“É um grande passo, mas o grande exemplo que eu tenho nessa experiência nova é o Kimi [Räikkönen], que foi de uma categoria equivalente a uma Fórmula Renault direto para a Fórmula 1”, disse Petecof, em entrevista acompanhada pelo GRANDE PRÊMIO. “Esses grandes passos são às vezes as grandes oportunidades que você precisa na carreira. Eu tô preparado, vai ter muita coisa para aprender, mas é disso que o automobilismo é feito”, seguiu.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Gianluca Petecof está pronto para escrever um novo capítulo na sua carreira (Foto: F-Regional Europeia/RF1)

O rumo mais óbvio após o título na F-Regional seria a F3. Só que problemas financeiros surgiram, principalmente após a decisão da Shell de não mais patrocinar Petecof no meio de 2020. Sem condições de bancar uma equipe de ponta na F3, uma vaga intermediária na F2 virou o melhor negócio.

O que deixa Petecof tranquilo é a sensação de que, de um jeito ou de outro, 2021 seria um ano de adaptação. Melhor fazer isso um degrau acima, pois.

“Eu acho que a F2, se você for olhar, tem um formato bem parecido com a F3. A pré-temporada, o sistema de corridas… As sessões são iguais, salvo a corrida principal da F2, que tem pit-stop. De qualquer maneira, já teria suas características e exigiria uma adaptação. A gente sabia desde o começo que esse seria um ano diferente. Talvez muitos pensavam que o trajeto natural seria fazer a F3 com a Prema. Só que, com as dificuldades financeiras e com o fim tardio dos campeonatos, a gente começou a expandir nossa visão para 2021. Quando a gente olhou para a frente, com a F3 sendo uma categoria que você normalmente faz só um ano antes de ir para a F2, onde faz mais diferença fazer dois anos… Era uma oportunidade que, se a gente não abraçasse, talvez eu não teria nem a F3 mais. Eu concordo que é um passo grande, um carro com muito mais potência, muita coisa para aprender, mas era a oportunidade que eu tinha”, encerrou.

Petecof terá Ralph Boschung como companheiro de equipe em 2021. Além de Gianluca, Felipe Drugovich também representa o Brasil na Fórmula 2.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube