Com tempo da manhã, Verschoor lidera dia 2 dos testes da F2 em Barcelona. Drugovich é 3º

Richard Verschoor foi o mais rápido deste sábado de testes coletivos da Fórmula 2 no circuito de Barcelona, sendo seguido por Ralph Boschung e Felipe Drugovich. No período da tarde, David Beckmann liderou o 1-2 da Charouz com Guilherme Samaia em segundo e Gianluca Petecof em quarto

Volta rápida na pista de Miami, que recebe a F1 em 2022 (Vídeo: Miami)

A Fórmula 2 promoveu neste sábado (24) o segundo de três dias de testes coletivos no circuito de Barcelona. Richard Verschoor, da MP Motorsport, foi o mais rápido na junção dos tempos aferidos pela manhã e no período da tarde no circuito catalão. Com a melhor volta sendo registrada antes do almoço, o holandês cravou 1min28s280 na melhor de 51 passagens, com Ralph Boschung, da Campos, em segundo lugar. Felipe Drugovich, piloto da UNI-Virtuosi, completou o top-3 com tempo 0s264 inferior na comparação com o ponteiro do dia.

O período da manhã foi muito mais equilibrado e aquele que reuniu os melhores tempos do dia como um todo. Os 18 primeiros colocados foram separados por menos de 1s. Marcus Armstrong, da DAMS, foi o quarto, seguido por Bent Viscaal, da Trident. Roy Nissany, companheiro de equipe de Armstrong, foi o sexto, seguido por Théo Pourchaire, da ART Grand Prix.

LEIA MAIS
ANÁLISE: Drugovich tem caminho tortuoso rumo à F1 mesmo se brigar pelo título da F2 em 2021

RICHARD VERSCHOOR; BARCELONA; TESTE COLETIVO; MP; FÓRMULA 2;
Richard Verschoor, com o tempo da manhã, foi o mais rápido deste sábado de testes coletivos da F2 em Barcelona (Foto: Fórmula 2)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Lirim Zendeli, da MP Motorsport, foi o oitavo, à frente de Christian Lundgaard, da ART Grand Prix, e Liam Lawson, da Hitech. Líder do campeonato e companheiro de equipe de Drugovich da UNI-Virtuosi, Guanyou Zhou foi o 12º, seguido pela Carlin de Jehan Daruvala e por Gianluca Petecof, piloto da Campos, que se colocou em 14º pela manhã. Dan Ticktum e Oscar Piastri, dois grandes destaques da rodada tripla que abriu a temporada no Bahrein, finalizaram em 15º e 16º, respectivamente.

Guilherme Samaia, da Charouz, foi o 19º mais rápido pela manhã, atrás de Marino Sato e Robert Shwartzman, 17º e 18º, respectivamente, e à frente de David Beckmann, seu companheiro de Charouz.

FELIPE DRUGOVICH; FÓRMULA 2; STOCK CAR;
Felipe Drugovich ficou novamente entre os primeiros colocados nos testes coletivos da F2 em Barcelona (Foto: Fórmula 2)

No período da tarde, no entanto, os tempos aferidos foram mais lentos, com o foco das equipes no trabalho de avaliação dos pneus e também em ritmo de corrida. Beckmann registrou 1min29s384 na sua volta mais rápida e comandou a tabela de tempos no desfecho do dia e liderou o 1-2 da Charouz, com Samaia terminando em segundo, 0s126 mais lento que o piloto alemão.

Verschoor, que acabou tendo confirmado o melhor tempo do dia, foi o terceiro depois do almoço com melhor volta em 1min29s951, 0s567 mais lento que Beckmann. Petecof registrou o quarto melhor tempo, 1min30s684, enquanto Drugovich voltou a ocupar o top-5 e concluiu os trabalhos do dia na quinta posição.

GIANLUCA PETECOF; BARCELONA; TESTES COLETIVOS; FÓRMULA 2; CAMPOS;
Gianluca Petecof foi o quarto mais rápido do período da tarde deste sábado (Foto: Fórmula 2)

Lirim Zendeli foi o sexto, à frente do italiano Matteo Nannini, da HWA. Christian Lundgaard ficou em oitavo, seguido por Boschung e Shwartzman.

A Fórmula 2 encerra os testes coletivos em Barcelona neste domingo, mas, diferente da Fórmula 3, não vai correr na Catalunha nesta temporada. A próxima etapa do campeonato da principal classe de acesso à Fórmula 1 acontece somente dentro de um mês com a rodada tripla em Mônaco nos dias 21 e 22 de maio.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube