Vandoorne brilha em casa e vence fácil corrida marcada por acidente grave de De Jong em Spa

Um susto marcou a corrida deste sábado da GP2 em Spa-Francorchamps. Daniel de Jong bateu muito forte depois de ser fechado por Pierre Gasly na entrada da Blanchimont. Mas o holandês escapou ileso, apesar da força da batida. Na prova, quem levou a melhor foi o piloto da casa, Stoffel Vandoorne

Em casa, diante da sua torcida, Stoffel Vandoorne venceu a corrida que abriu a rodada dupla de Spa-Francorchamps pela GP2, na tarde deste sábado (22). O belga impôs seu melhor ritmo e adotou a melhor estratégia ao ter antecipado seu pit-stop obrigatório, de modo que mesmo quando esteve atrás dos pilotos que não haviam feito a parada, perdeu o controle da corrida. Assim, Vandoorne, pupilo do programa de jovens pilotos da McLaren, rumou para uma vitória tranquila em Spa-Francorchamps.

A corrida, contudo, teve um momento dos mais tensos quando Daniel de Jong foi fechado por Pierre Gasly enquanto passava pela velocíssima curva Blanchimont na sexta volta. O holandês perdeu o controle do carro e bateu de frente e muito forte na barreira de pneus. A prova teve a intervenção do safety-car e, em seguida, foi interrompida com bandeira vermelha, causando uma grande apreensão. Mas De Jong foi retirado do carro e, segundo informado pela própria GP2, passa bem.

Arthur Pic cruzou a linha de chegada em segundo lugar. Destaque para Artem Markelov, que saiu do fundo do grid para ver a bandeirada final em um ótimo terceiro posto. Por sua vez, André Negrão, único brasileiro da categoria, teve um sábado difícil, enfrentou duas punições e terminou a disputa apenas em 20º lugar.

Stoffel Vandoorne levou a melhor em casa e venceu neste sábado em Spa-Francorchamps (Foto: GP2)

Confira como foi a corrida 1 da GP2 em Spa-Francorchamps:

A largada da corrida da GP2 neste sábado foi das mais confusas, mas sem acidentes mais sérios, no fim das contas. Piloto da casa, Stoffel Vandoorne tracionou mal e perdeu a liderança na largada para Sergey Sirotkin, mas acabou recuperando a ponta depois de ver o russo escapar na saída da La Source. Aí o belga aproveitou a deixa para não apenas reassumir a ponta, mas para abrir vantagem perante os rivais.

Mas é fato que Spa-Francorchamps sempre produz corrida boa, e não foi diferente neste sábado, ainda mais com o ímpeto dos jovens pilotos da GP2. Rowland, que é líder da World Series, categoria que rivaliza com a GP2, caiu de segundo para 24º depois de ter sido acertado pela ART de Nobuharu Matsushita, companheiro de equipe de Vandoorne. O incidente foi posto sob investigação pelos comissários de prova.

Enquanto Vandoorne ampliava sua vantagem perante a concorrência, Alexander Rossi vinha num bom segundo lugar. O norte-americano, por sua vez, abria uma frente confortável perante Siroktin, que por sua vez tinha ‘no seu cangote’ Mitch Evans.

Diferente do que a F1 adota para o fim de semana, a Pirelli adotou para a GP2 os pneus macios e duros (laranja). Assim, havia uma diferença muito grande em termos de performance em relação aos dois compostos, de modo que a tática era fundamental neste sábado.

Forte acidente de De Jong na GP2 na Bélgica (Foto: Reprodução)

Aí, na sexta volta da corrida, Daniel de Jong lutava por posição com Pierre Gasly, quando o francês, pupilo do programa de jovens pilotos da Red Bull, acabou fechando o holandês, que acabou perdendo o controle do seu carro na rapidíssima curva Blanchimont e bateu muito forte na barreira de pneus.

Imediatamente, a direção de prova acionou o safety-car para possibilitar o resgate do carro de De Jong. Nesse meio-tempo, alguns pilotos na pista aproveitaram a bandeira amarela para a realização dos pit-stops obrigatórios. Mas em seguida, depois de a ambulância e muitos carros de serviço estarem ao local da batida, a direção da GP2 optou por suspender a corrida com bandeira vermelha.

Apesar do enorme susto proporcionado pela batida de Daniel na Blanchimont, o piloto nada sofreu. Depois de alguns minutos sem informações a respeito, a GP2, por meio do Twitter, informou que o holandês passa bem e está em boas condições, possibilitando assim que a corrida fosse retomada em Spa-Francorchamps.

Depois de quase meia hora, os motores da GP2 voltaram a roncar em Spa para o recomeço da corrida.

Com a saída do safety-car, Rossi era o líder, seguido por Evans Mas os ponteiros ainda não haviam feito as respectivas paradas obrigatórias, diferente de Vandoorne, que já estava usando os pneus duros, e por isso ocupava o nono lugar. Em contrapartida, o brasileiro André Negrão, que vinha em XX, sofreu uma punição de 5s por ultrapassar os limites da pista e ganhar vantagem. O campineiro vinha apenas em 18º.

Aproveitando o pneu mais rápido, Rossi procurava abrir vantagem antes de fazer sua parada. Um pouco mais atrás, Vandoorne vinha em oitavo, mas conseguiu ganhar na raça a posição do espanhol Sergio Canamasas, avançando para sétimo.

Vandoorne seguia com sua corrida de recuperação e vinha num bom sexto lugar, distante 11s do líder, Rossi. Mas o norte-americano foi chamado aos boxes após queixar-se de queda de performance dos pneus. Fatalmente o belga ganharia mais uma colocação em sua ‘remontada’ rumo ao topo da prova. Rossi voltou apenas em 14º lugar.

Stoffel Vandoorne é o primeiro piloto da casa a vencer em Spa na GP2 (Foto: Reprodução)

Dentre os pilotos na ponta que restavam fazer a parada obrigatória, apenas Sirotkin estava na pista e vinha 4s5 à frente de Vandoorne, segundo colocado. Ou seja, era mesmo uma questão de tempo para o belga voltar com facilidade à primeira posição em Spa-Francorchamps.

Finalmente Vandoorne voltou à ponta na 20ª volta para não mais sair, levando o carro #5 da ART Grand Prix até a bandeirada final para comemorar mais uma grande vitória na temporada 2015 da GP2.

GP2, Spa-Francorchamps, corrida 1, final:

1 STOFFEL VANDOORNE BEL ART 1:22:18.099 25 voltas
2 ARTHUR PIC FRA CAMPOS +9.979  
3 ARTEM MARKELOV RUS RUSSIAN TIME +12.856  
4 JULIÁN LEAL COL CARLIN +13.106  
5 MITCH EVANS NZL RUSSIAN TIME +19.264  
6 ALEXANDER ROSSI EUA RACING ENGINEERING +19.527  
7 NATHANAËL BERTHON FRA LAZARUS +23.723  
8 JORDAN KING ING RACING ENGINEERING +29.267  
9 SERGEY SIROTKIN RUS RAPAX +34.144  
10 MARLON STÖKINGER SUI STATUS +34.859  
11 GUSTAV MALJA SUE TRIDENT +35.169  
12 ALEX LYNN ING DAMS +35.610  
13 SERGIO CANAMASAS ESP LAZARUS +35.797  
14 PIERRE GASLY FRA DAMS +35.857  
15 RIO HARYANTO INA CAMPOS +41.571  
16 RICHIE STANAWAY JAP STATUS +43.894  
17 RAFFAELE MARCIELLO ITA TRIDENT +46.546  
18 SAM GELAEL ROM CARLIN +50.840  
19 ROBERT VIȘOIU ROM RAPAX +51.632  
20 ANDRÉ NEGRÃO BRA ARDEN +1:03.453 NC
21 OLIVER ROWLAND ING MP +7 voltas NC
22 NICK YELLOLY ING HILMER +14 voltas NC
23 NOBUHARU MATSUSHITA JAP ART +15 voltas NC
24 DANIËL DE JONG HOL MP +21 voltas NC
25 NORMAN NATO AUT ARDEN +25 voltas NC

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube