F-E anuncia eP de Zurique em 2017/18 e marca volta do automobilismo à Suíça pela primeira vez desde 1955

Banido após a morte de 84 pessoas nas 24 Horas de Le Mans de 1955, o automobilismo suíço está de volta. Zurique entrou no calendário 2017/18 da F-E e tem prova marcada para 10 de junho de 2018

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A quinta-feira (21) reservou uma notícia histórica para o automobilismo suíço. O Conselho Mundial da FIA aprovou a disputa do eP de Zurique, que passa a fazer parte do calendário 2017/18 da F-E. A etapa elétrica marca a primeira corrida em solo suíço desde 1955, quando o automobilismo foi banido no país.
 
A corrida em Zurique ainda depende de novas aprovações e aparece no calendário com um asterisco ao lado. Mesmo assim, a F-E já dá a adição como certa. A prova está marcada para 10 de junho.
 
Além de Zurique, as cidades de Santiago, São Paulo e Roma também estreiam no calendário da F-E em 2017/18.
 
"Reintroduzir este esporte em um país em que esteve banido desde 1955 representa um cenário animador e a conquista de um importante objetivo da FIA”, disse Jean Todt, presidente da entidade. “Quero agradecer a todos que ajudaram a transformar isso em realidade. É importante para nós continuar a levar o automobilismo a novos públicos ao redor do mundo", seguiu.
A Suíça volta ao mapa do automobilismo (Foto: Reprodução)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A lei que proíbe o automobilismo no país foi derrubada ainda em 2015, o que logo chamou a atenção da F-E. No mesmo ano a categoria trabalhou junto da equipe Trulli para promover uma corrida em Lugano, na fronteira com a Itália. Mas a falência da escuderia e outras questões burocráticas acabaram retardando o retorno.
 
A proibição foi consequência da tragédia nas 24 Horas de Le Mans de 1955. Na ocasião, a Mercedes do piloto Pierre Levegh bateu e voou na direção da arquibancada principal, causando a morte de 84 pessoas – Levegh incluso. O desastre gerou um debate sobre a segurança no automobilismo, e a proibição foi a resposta da Suíça durante 60 anos.
'SOLDADINHO' DA PENSKE?

CASTRONEVES TEM FALTA DE TÍTULO COMO MANCHA NA CARREIRA  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube