Abt supera Turvey em classificação incomum e fica com pole do eP da Cidade do México. Buemi e Di Grassi largam longe

A classificação do eP da Cidade do México não foi das mais comuns. Sébastien Buemi e Lucas Di Grassi abandonaram o jogo de gato e rato pela briga das primeiras posições, foram muito mal e largam bem longe. A Superpole teve nomes incomuns com um pole-position inesperado: Daniel Abt


determinarTipoPlayer(“16179865”, “2”, “0”);
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

O treino que definiu o grid de largada para o eP da Cidade do México deste sábado (1) foi um tanto incomum. Primeiro porque os dois pilotos que se acostumaram a dominar a categoria, Sébastien Buemi e Lucas Di Grassi, logo mostraram que não brigariam pela pole-position. Ficaram bem longe e terão um longo caminho pela frente para marcar bons pontos. Assim, Jean-Éric Vergne, o 'terceiro favorito', tinha tudo para assumir as rédeas. Não aconteceu. Será de Daniel Abt a pole na capital mexicana.

Abt ficou com o segundo tempo na fase dos grupos e mostrou que a Audi ABT, ao contrário da Renault e.dams, não teve um problema endêmico com a pista durante a hora da classificação. Superou a marca de 1min03s duas vezes. A segunda, 1min02s711, o colocou na pole-position após uma briga boa com Oliver Turvey. O inglês andou 0s156 mais lento e completa a primeira fila.
 
Chama a atenção a diferença dos dois para os companheiros de equipe. Abt é o pole-position enquanto Di Grassi larga no 18º lugar. Turvey, ao seu lado, é segundo e vê Nelsinho Piquet, parceiro de China NextEV, partir do 19º posto.
 
José María López sai no terceiro lugar e teria a companhia de Maro Engel na segunda fila, mas o alemão da Venturi vai ter de pagar a punição por ter mudado a caixa de câmbio após o TL1 – e sai em 13º. Assim, Jean-Éric Vergne larga no quarto lugar. Nick Heidfeld, Sam Bird, António Félix da Costa, Jérôme D'Ambrosio, Buemi e Felix Rosenqvist completam o top-10.
Daniel Abt (Foto: Formula E)
Há que se entender o motivo de Buemi e Di Grassi terem ido tão mal no primeiro grupo da sessão classificatória, mas o fato dos dois líderes do campeonato largando atrás acaba deixando a corrida bastante atraente. O 100% de aproveitamento de Buemi volta a ficar em dúvida, embora ele já saído de último para vencer nesta temporada.
 
A largada para o eP da Cidade do México é às 19h (de Brasília).

Confira como foi o segundo treino livre:

Grupo 1: Sébastien Buemi, Lucas Di Grassi, Sam Bird, Nick Heidfeld e Mitch Evans
 
Buemi correu para a pista para tomar as rédeas do primeiro grupo. O que se viu, porém, não foi o brilhantismo dos primeiros treinos livres. O líder do campeonato não foi bem, anotou um estranho 1min03s402 e ficou na espera. Ao que dependesse de Di Grassi, porém, estava seguro. O maior rival na briga pelo título foi ainda pior e deu um cheiro de esquisitice ao treino classificatório.

A confirmação de que os dois haviam ido mal, de fato, veio na sequência. Bird passou mais rápido que eles, ao passo que Evans superou Lucas. Heidfeld foi o último e tirou tudo da Mahindra para anotar 1min03s022 e o primeiro lugar do mais concorrido grupo.

 
Di Grassi ficava praticamente fora da briga, visto que ninguém mais poderia superá-lo. Enquanto isso, Buemi esperava os outros 3/4 de grid e só iria à Superpole se menos de três pilotos batessem seu número.
 
Grupo 2: António Félix da Costa, Daniel Abt, José María López, Stéphane Sarrazin e Oliver Turvey
 
Os sonhos, se alguns restavam, de Buemi e Di Grassi caíram por terra em instantes. Isso porque Abt saiu de cara e logo baixou facilmente o tempo da classificação para 1min02s765. E José María López engrenou uma volta bem próxima. 
 
Félix da Costa bateu Buemi por pouco, mas Sarrazin ficou atrás do suíço. No final do grupo, o aniversariante do dia, Turvey, encaixou um 1min02s712 e pulou para a ponta.
 
Após dez pilotos e dois grupos, Di Grassi ocupava a última posição enquanto Buemi era o sétimo. Os dois já sabiam a essa altura que largariam bem longe da disputa pela vitória do eP da Cidade do México.
Grupo 3: Nicolas Prost, Nelsinho Piquet, Loïc Duval, Jean-Éric Vergne e Robin Frijns

determinarTipoPlayer(“16179863”, “2”, “0”);
O grupo começava a esquentar para a volta a 200 kw de potência, mas Duval atrapalhou a sequência. O francês da Dragon traseirou e cravou o meio do bólido na barreira de proteção, forçando bandeira vermelha. Todo mundo de volta ao pit-lane, então.
 
Uma vez que os quatro pilotos remanescentes foram permitidos a voltar à pista, Vergne saiu na frente. O piloto da Techeetah passou a ser o favorito na linha sucessória uma vez que Buemi e Di Grassi foram incapazes de brigar pela pole – e fez o quarto tempo, sem se colocar como certeza.
 
O Grupo 3, porém, se provou ainda mais incapaz que o primeiro. A parada de Duval, que acabou com o 15º e último lugar parcial, quebrou o ritmo. Prost concluiu uma decepcionante sessão para a Renault e.dams e fez só o 11º tempo. Frijns, exatamente abaixo. E Piquet, com o tempo acima de 1min04s, o 14º colocado. Nenhum dos quatro teve uma volta de instalação própria para tentar o giro voador – culpa de Duval.
Grupo 4: Felix Rosenqvist, Esteban Gutiérrez, Maro Engel, Jérôme D'Ambrosio e Adam Carroll
 
Quem pulou na frente do segundo grupo foi Rosenqvist. Em meio a seu pior dia até agora na F-E, o sueco tentou apressar o passo para não cair numa armadilha como a de Duval, mas não foi bem. Ficou apenas com o nono tempo. Que nem no nono posto se sustentou, porque o pole do ano passado, D'Ambrosio, fez a oitava marca.
 
Carroll colocou a Jaguar no meio do pelotão, 13º posto. Mas quem voou mesmo no grupo foi Engel. O alemão da Venturi vinha andando muito bem durante o dia e consolidou o espaço dele na Superpole. O estreante Gutiérrez não foi mal e sai em 13º.
Superpole: Oliver Turvey, Daniel Abt, José María López, Maro Engel e Jean-Éric Vergne
 
Vergne, dono do quinto tempo, foi o primeiro a ir à pista tentar mostrar que era a autoridade da Superpole após se safar do acidentado Grupo 3 de Duval. Mas o francês não encantou. Fez um irregular 1min03s202 e ficou observando e torcendo contra os outros quatro. Logo, porém, Engel mostrou que já entendeu os carros da F-E. Colocou a Venturi na ponta com tempo sobrando, 1min03s045.
 
O terceiro na fila foi Pechito López. O argentino não teve problemas em se colocar à frente de Vergne desde o primeiro setor do Hermanos Rodríguez. 
 
E então, Abt. O companheiro de Di Grassi voou e mostrou que o problema com a pista não é da equipe. Fez 1min02s711 e ficou esperando. Turvey, por fim, foi bem. Na casa de 1min02s. Mas não bom o bastante. Abt ficou com a pole, Turvey a seu lado. López e Vergne na segunda fila, visto que Engel perde dez postos por conta da troca de câmbio efetuada após o TL1. 

F-E, eP da Cidade do México, Grid de Largada:

1 DANIEL ABT ALE AUDI ABT 1:02.711    
2 OLIVER TURVEY ING CHINA 1:02.867 +0.156  
3 JOSÉ MARÍA LÓPEZ ARG VIRGIN 1:03.072 +0.361  
4 JEAN-ÉRIC VERGNE FRA TECHEETAH 1:03.202 +0.491  
5 NICK HEIDFELD ALE MAHINDRA 1:03.022 +0.311  
6 SAM BIRD ING VIRGIN 1:03.099 +0.388  
7 ANTÓNIO FÉLIX DA COSTA POR ANDRETTI 1:03.363 +0.652  
8 JÉRÔME D'AMBROSIO BEL DRAGON 1:03.366 +0.655  
9 SÉBASTIEN BUEMI SUI E.DAMS 1:03.402 +0.691  
10 FELIX ROSENQVIST SUE MAHINDRA 1:03.425 +0.714  
11 STÉPHANE SARRAZIN FRA VENTURI 1:03.491 +0.780  
12 ESTEBAN GUTIÉRREZ MEX TECHEETAH 1:03.509 +0.798  
13 MARO ENGEL ALE VENTURI 1:03.045 +0.334 P +10
14 ADAM CARROLL IRN JAGUAR 1:03.553 +0.842  
15 MITCH EVANS NZL JAGUAR 1:03.563 +0.852  
16 NICOLAS PROST FRA E.DAMS 1:03.589 +0.878  
17 ROBIN FRIJNS HOL ANDRETTI 1:03.688 +0.977  
18 LUCAS DI GRASSI BRA AUDI ABT 1:03.690 +0.979  
19 NELSINHO PIQUET BRA CHINA 1:04.082 +1.371  
20 LOÏC DUVAL FRA DRAGON 1:11.575 +8.864  
 

  

DEBATE QUENTE SOBRE AS ESTREIAS DE F1 E MOTOGP. ASSISTA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube