Bird acerta com Jaguar e deixa Virgin após fim da temporada da Fórmula E

A informação é do site inglês 'The Race'. Segundo a publicação, Bird já está fechado com a Jaguar e assume o lugar atualmente nas mãos de James Calado

Há uma bomba rondando a Fórmula E cerca de um mês antes da maratona que encerrará a temporada 2019/20. Sam Bird está de partida da Virgin. O inglês acertou os termos de um acordo com a Jaguar e frequentará casa nova a partir da temporada que começa em janeiro de 2021.

A informação é do site inglês ‘The Race’. Segundo o veículo, Bird já fechou o acordo e começará a testar o carro da Jaguar para 2021 tão logo seja permitido. Na marca do felino, substituirá James Calado, que está em sua primeira e última temporada por lá. Bird fará dupla com Mitch Evans.

A Jaguar sempre viu Bird com bons olhos e, por isso, tentou contratá-lo quando entrou na Fórmula E, em dezembro de 2015, para disputar o campeonato 2016/17. Naquela ocasião, a Virgin era equipe oficial da DS Citröen, e o piloto quis ficar.

A fábrica inglesa poderia ativar uma cláusula automática no contrato de Calado para mantê-lo por mais um ano, mas preferiu não fazer; Bird, da mesma forma, tem uma cláusula de renovação automática que é ativada caso piloto e equipe concordem. Neste caso, o piloto prefere deixar a Virgin.

Calado e Bird, na verdade, são velhos conhecidos e foram companheiros de equipe pela Ferrari no Mundial de Endurance antes da jornada elétrica.

Antes da mudança, claro, Sam terminará a temporada com a Virgin, equipe na qual está desde o começo da categoria. Bird na Virgin, Sébastien Buemi na Renault/Nissan e Lucas Di Grassi na Audi são os únicos que se mantém nas mesmas equipes em que estavam naquele eP de Pequim de setembro de 2014. Junto também a Di Grassi e a Daniel Abt são os únicos pilotos que largaram em todas as 63 corridas do campeonato.

Neste período, Bird se converteu num dos principais pilotos da Fórmula E. É o único que venceu ao menos uma corrida em todas as seis temporadas – Di Grassi, é verdade, pode igualar o feito caso triunfe em uma das provas na capital alemã. Ao todo, venceu nove corridas, foi a 18 pódios e anotou cinco poles, além de 570 pontos. Em todos estes quesitos é top-5 da história.

Apesar dos números, Bird só chegou com chances reais de título na decisão da temporada 2017/18, porém não foi bem e terminou com a terceira colocação geral da tabela de pontos.

A despeito de vencer a primeira corrida do campeonato atual, em Ad Diriyah, Bird só marcou mais dois pontos nas quatro corridas seguintes. Com isso, ocupa o décimo lugar na classificação e está a distantes 38 tentos do líder António Félix da Costa. Tem, entretanto, quase o triplo dos pontos do companheiro Robin Frijns, 29 a 10.

A Fórmula E retorna com três rodadas duplas no Aeroporto de Tempelhof, em Berlim: dias 5/6, 8/9 e 12/13 de agosto.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube