Bird herda ponta após quebra de Rosenqvist, resiste aos ataques de Di Grassi e Evans e vence eP de Roma

A primeira corrida da Fórmula E em Roma terminou caindo no colo de Sam Bird. Após uma quebra no carro de Felix Rosenqvist, Bird assumiu controle da corrida e precisou segurar fortes ataques vindos de trás. Conseguiu, venceu e agora vê Jean-Éric Vergne na alça de mira

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A vitória parecia destinada a Felix Rosenqvist. Piloto mais rápido dos treinos livres, do treino classificatório e da corrida, mas não foi assim que aconteceu. Em Roma, assim como no eP da Cidade do México, algo deu errado. Desta vez uma zebra que custou a suspensão traseira  e tirou o sueco da disputa. Sam Bird foi quem ficou com a vitória no eP italiano deste sábado (14) para colocar um ponto de exclamação na briga pelo título da Fórmula E

Bird fez boa corrida e conseguiu se manter perto de Rosenqvist ainda que o sueco parecesse ter melhor ritmo. Após a corrida, Bird afirmou que achou que Felix venceria a prova, inclusive. Só que Rosenqvist passou forte demais numa zebra e entregou o primeiro lugar de mão beijada. Com parcimônia, Bird não tratou de disparar, mas buscar controlar o resto da prova. Mitch Evans e Lucas Di Grassi chegaram perto o bastante para ameaçar, mas Bird se defendeu com propriedade. 
 
Com a vitória, Bird chega a 101 pontos e assume a vice-liderança da competição. Jean-Éric Vergne, numa jornada esquecível, acabou tirando um quinto lugar da cartola nas voltas finais e conseguiu somar dez pontos: são 119 agora. De qualquer forma, a diferença é de 18 pontos. Oficialmente, Vergne está na alça de mira de Bird.
Sam Bird (Foto: DS Virgin)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Lucas Di Grassi não fez uma boa primeira perna da corrida, andava em oitavo quando foi para a troca de carros. E voltou como numa missão. Foi recuperando posições, limpando o terreno com belas ultrapassagens e chegou a Mitch Evans para protagonizar o que foi a briga da corrida. No fim das contas, após muita insistência das duas partes, Evans se viu com dificuldades de energia, foi passado por Di Grassi e por vários outros. Lucas foi segundo, seguido de André Lotterer, que também chegou para incomodar os que estavam na dianteira.

 
Daniel Abt ficou com o quarto lugar seguido por Vergne, que fez uma prova fraca. Caiu para nono na largada, ganhou posições na troca de carros e depois errou na pista ao tentar ultrapassar Sébastien Buemi. Perdeu posição novamente, mas acabou levando o lugar de Buemi, que vinha lento demais, e o de Evans, sem energia na bateria. Conseguiu um quinto lugar mais com sorte que juízo e somou dez pontos. 
 
Buemi, Jérôme D'Ambrosio, Maro Engel, Evans e Edoardo Mortara ficaram no top-10. A melhor volta foi de Abt. Nelsinho Piquet teve problemas no momento da troca de carro e perdeu várias voltas em relação ao resto do pelotão.
 

A FE volta em duas semanas com o eP de Paris.

Nem todo herói usa capa, mas alguns usam (Foto: FIA)

Confira como foi o eP de Roma:

A largada só aconteceu após uma enorme confusão da organização da corrida para organizar os carros no grid de largada. A reta dos boxes da pista de Roma é logo em seguida a uma série de curvas bem estreitas, afinal. Uma vez que a partida aconteceu, nenhum grande incidente. Felix Rosenqvist manteve a ponta, mas sem conseguir escapar: Sam Bird embarcou na dele, sempre colado.
 
Após bater nos dois treinos livres, Alex Lynn tocou o muro ainda na primeira volta, embora não na largada. No meio da disputa de posição com Nelsinho Piquet, acabou relando no muro e deixando pedaços da DS Virgin na pista. Um pouco depois, recebeu bandeira preta com disco laranja e precisou ir aos boxes.
 
Entre os primeiros colocados, quem executou uma ultrapassagem foi Oliver Turvey, para cima de Lucas Di Grassi e logo em seguida para Sébastien Buemi. Em quatro voltas já ocupava a quarta colocação. Maro Engel e Piquet disputavam fortemente a 12ª colocação. Mais atrás, pelo 16º posto, Edoardo Mortara chegou a ficar de lado em velocidade durante disputa de posição com José María López enquanto as rodas dos dois se tocavam. E, num primeiro momento, foi Mortara quem se deu melhor. O argentino recuperou a posição na sequência.
 
López não parava de ganhar ritmo. Após se dar melhor contra Mortara, passou Luca Filippi com manobra ousada e enfileirou também Nicolas Prost. Além das ultrapassagens, fez de sua oitava volta a melhor da corrida naquele momento. 
 
Depois das três voltas iniciais, Rosenqvist começou a abrir para Bird. Na décimo volta, o sueco tinha 3s3 de vantagem para o inglês, que por sua vez mantinha uma frente de 2s7 para Mitch Evans, o terceiro colocado.
 
Os vencedores do FanBoost foram Di Grassi, Buemi e Filippi, o piloto da casa.
 
Di Grassi e o líder do campeonato, Jean-Éric Vergne, largaram nas posições seis e oito, mas ocupavam oitavo e nono lugares após alguns giros. Com a configuração que se apresentava perto da metade da corrida, com Rosenqvist em primeiro e Vergne em nono, os dois ficavam afastados por apenas quatro tentos no campeonato.
 
Bird acelerou após a 13ª volta. Começou a tirar a desvantagem que Rosenqvist havia imposto e, quando os dois entraram nos boxes para troca de carros, na volta 16, a diferença estava apenas em 0s8.
 
Ainda antes do começo da janela de boxes, Piquet não contornou a curva como mandava o figurino e acabou tocando o muro levemente. Depois, quando parou o carro, não conseguiu entrar na garagem. O carro da Jaguar tinha um problema óbvio. Logo na sequência, Nick Heidfeld, Tom Blomqvist, Nicolas Prost e Filippi se tocaram e ficaram parados na pista por instates – e Heidfeld tocou o muro.
Janela de troca de carro realizada, e Rosenqvist seguia tendo uma frágil vantagem para Bird. Buemi agora era o terceiro colocado, à frente de Evans, com Lotterer em quinto e seguido por Di Grassi. Como o brasileiro, Vergne também ganhou uma posição nos boxes e assumiu o oitavo posto. 
 
Quando a briga pela vitória se aproximava de um momento mais claro de confronto, Rosenqvist passou forte por cima de uma zebra e viu sua roda traseira direita ficar solta. Assim como na Cidade do México, Felix abandonava uma corrida em que era o favorito para vencer e via as chances de título cada vez mais inalcançáveis. Bird, por outro lado, passava a se tornar a ameaça mais sólida a Vergne.

 

Com o segundo carro, Di Grassi voava. Com a ajuda do FanBoost, ultrapassou Buemi e se afastou – aliás, Lotterer também foi para cima de Buemi e tomou o quarto lugar. Lucas marcou a melhor volta da prova e encostou nos dois ponteiros. Bird já não tinha o ritmo de outro momento e era ameaçado por Evans e Di Grassi.

Lynn ainda aparecia mais uma vez no fim de semana e fazendo o que mais fez neste dia: bater. Foi assim que tocou o lado esquerdo da DS Virgin no muro e abandonou. Foram batidas em dois treinos livres e duas na corrida.

Os dois chegaram juntos, e Evans foi abusado, colocou o carro na frente da DS Virgin. Bird foi firme e defendeu-se muito bem. Neste momento, Bird fugiu e Lotterer encostou nos outros dois membros da batalha. Di Grassi passou a investir contra Evans, que começava a se ver em apuros com a bateria. Quando, a três voltas do fim, Di Grassi enfim passou, Evans não conseguiu resistir a Lotterer. E despencou na classificação, até o oitavo posto.
 
Ainda antes do fim, uma bandeira amarela mais: 'Pechito' López parou na pista com a suspensão traseira direita danificada.
 
Vergne, apesar do erro de pouco antes, ultrapassava Buemi e ainda tomava um posto que Evans praticamente estava cedendo para que conseguisse se arrastar até o fim da corrida. Em quinto, diminuiu o prejuízo que teria com a vitória de um dos rivais. 
 
Di Grassi chegou a se aproximar de novo de Bird, mas sem fòlego para atacar. Vitória do inglês da DS Virgin, com Di Grassi, Lotterer, Abt, Vergne, Buemi, D'Ambrosio, Engel, Evans e Mortara fecharam o top-10.

Fórmula E, eP de Roma, Resultado final:

1 SAM BIRD ING VIRGIN DS 33 voltas  
2 LUCAS DI GRASSI BRA AUDI ABT +0.970  
3 ANDRE LOTTERER ALE TECHEETAH +9.518  
4 DANIEL ABT ALE AUDI ABT +10.167  
5 JEAN-ÉRIC VERGNE FRA TECHEETAH +17.444  
6 SÉBASTIEN BUEMI SUI RENAULT +19.835  
7 JÉRÔME D'AMBROSIO BEL DRAGON +24.379  
8 MARO ENGEL ALE VENTURI +26.350  
9 MITCH EVANS NZL JAGUAR +37.709  
10 EDOARDO MORTARA ITA VENTURI +40.739  
11 ANTÓNIO FÉLIX DA COSTA POR ANDRETTI +42.680  
12 OLIVER TURVEY ING NIO +48.833  
13 LUCA FILIPPI ITA NIO +49.331  
14 NICOLAS PROST FRA RENAULT +1:13.880  
15 NICK HEIDFELD ALE MAHINDRA +1:31.832  
16 TOM BLOMQVIST SUE ANDRETTI +1:44.774  
17 JOSÉ MARÍA LOPEZ SUI DRAGON +4 voltas NC
18 FELIX ROSENQVIST SUE MAHINDRA +11 voltas NC
19 NELSINHO PIQUET BRA JAGUAR +14 voltas NC
20 ALEX LYNN ING VIRGIN DS +18 voltas NC

”O IMPORTANTE NÃO É SÓ LEVAR DINHEIRO”

SETTE CÂMARA TRAÇA F1 COMO META E MIRA CARREIRA SÓLIDA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube