BMW recebe autorização da FIA, vira construtora da F-E e fala em criar equipe de fábrica para 2018

A BMW já tinha chegado na F-E, mas agora está se mudando de mala e cuia. Depois de quase um ano trabalhando ao lado da Andretti, a marca alemã agora tem licença para produzir trens de força para a temporada 2018/19 da F-E - e fala em time de fábrica

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

O interesse recente da BMW pela F-E não era segredo, mas agora atingiu um novo nível. A montadora alemã foi aceita pela FIA como uma das nove fabricantes de trem de força para a temporada 2018/19, a quinta da história da categoria. A BMW foi incluída numa lista de mais oito fábricas que se habilitaram a produzir trens de força. De quebra, a marca falou abertamente em ter um time de fábrica.

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
O OK da FIA fecha um compromisso com as marcas para três temporadas, começando em 2018 e terminando em 2021. Além da BMW, DS Citroën, ABT (que está se tornando equipe de fábrica da Audi), Mahindra, Renault, Jaguar Land Rover, NextEV, Penske e Venturi, todas já veteranas da F-E, também estão na lista.

 
O começo de uma parceria técnica entre BMW e Andretti nesta terceira temporada e com duração de dois anos já dava a ideia de que a esquadra alemã estava considerando se envolver mais a partir de 2018. Diretor-esportivo da BMW, Jens Marquadt, afirmou que a decisão é fruto do crescimento da F-E e que o planejamento para um time totalmente de fábrica está em curso.
 
"Desde a temporada inaugural a F-E está evoluindo rapidamente e é agora considerada uma categoria de mais alto nível", elogiou. "O planejamento está em curso para competir como construtora na temporada cinco. Ainda temos muito trabalho a fazer, mas ainda estamos dando os primeiros passos. Se a categoria continuar o desenvolvimento positivo, queremos estar perfeitamente preparados para uma potencial entrada como equipe de fábrica na quinta temporada", disse.
BMW na F-E (Foto: BMW)
É uma vitória em particular para a F-E, que havia recebido uma negativa da BMW no primeiro semestre de 2015. Na época houve uma rejeição anunciada pelo próprio Marquadt, sobretudo pelo fato da troca de carros durante as corridas. O que se espera na quinta temporada é que as novas baterias, criadas pela McLaren, aguentem uma corrida inteira.

Quem não está na lista, porém, é a Mercedes. A fábrica que comanda a operação mais poderosa da F1 na atualidade havia reservado um espaço no grid da quinta temporada, mas não aproveitou. Segundo a revista inglesa 'Autosport', porém, a marca alemã está avaliando que time poderia ser um parceiro a partir da temporada 2018/19 para que passe a produzir um trem de força na jornada seguinte, 2019/20. O regulamento permite tal decisão.

 
É bom lembrar que mais duas equipes além das dez atuais estarão no grid na quinta temporada. Levando em conta que a BMW seja a 11ª equipe envolvida, a identidade do último componente do grid segue sendo um mistério. 
 
O presidente da FIA, Jean Todt, mostrou todo o otimismo com a F-E por conta das homologações para a quinta temporada. "A homologação dos trens de força que serão usados a partir da quinta temporada é muito significativo, porque indica que os chassis terão de durar o dobro do tempo enquanto mantém o mesmo nível de performance", falou.
 
"Isso mostra como o esporte a motor pode estimular e acelerar o desenvolvimento de novas tecnologias que podem ser aplicadas aos carros de passeio e, neste caso, isso significa ainda mais, porque a eletricidade é uma das alternativas práticas de uma mobilidade mais sustentável no futuro", seguiu.
A BMW nutre uma parceria com Andretti desde o ano passado (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Por fim, o diretor-executivo da FEH, Alejandro Agag, contou que a expectativa que a direção da categoria tinha para os cinco primeiros anos da F-E era ter três montadoras no grid: serão nove.
 
"Quando lançamos a categoria em 2012, imaginamos ter ao menos três construtoras na quinta temporada. A notícia de hoje mostra o número e a qualidade das fábricas que estão se juntando ao campeonato e triplicando nossas expectativas originais. Isso só mostra a relevância da F-E para a indústria a motor e como é uma proposta atraente", encerrou o espanhol.
 
A próxima etapa da terceira temporada da F-E acontece no próximo dia 1º de abril com o eP da Cidade do México.

 

PADDOCK GP #69 DEBATE ABERTURA DA INDY, TESTES DA F1 E MOTOGP E LEMBRA JOHN SURTEES

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube