Chefe da F-E afirma que Mercedes ainda pode pintar no grid em 2018. Mas apenas como equipe cliente

Mesmo fora da lista da FIA de construtoras para a quinta temporada da história da F-E, que inicia no segundo semestre de 2018, ainda pode pintar no grid do campeonato como equipe de fábrica. Mas Alejandro Agag, chefão da F-E, garante que não terá exceção para a gigante alemã

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Apesar de perder o prazo para se inscrever para entrar na quinta temporada da F-E como construtora, a Mercedes ainda pode aparecer como equipe de fábrica na quinta temporada do campeonato. O que a montadora terá de fazer, caso queira ingressar na categoria em 2018, é chegar como equipe cliente de uma das construtoras permitidas pela FIA. O chefão Alejandro Agag confirmou que a F-E não irá mudar as regras do jogo pela marca alemã.

 
A Mercedes assegurou junto à F-E a primazia de uma das duas vagas adicionais para equipes novas caso decida entrar na categoria na quinta ou sexta temporada. Só que perdeu o prazo para legalizar o certificado de utilização de um trem de força da F-E na temporada 2018/19 e, portanto, não terá uma tecnologia própria disponível então.
 
Segundo Agag disse em entrevista para a revista inglesa 'Autosport', a Mercedes ainda tem a porta aberta. Mas terá que esperar um ano mais para colocar na pista seu motor, câmbio, inversos e sistema de resfriamento. 
Agag (Foto: F-E)
"Eu sei que o interesse é muito forte, mas, para a temporada 2018/19, se eles vierem, não estão registrados como montadora. Vão precisar ser clientes de alguém. Para 2019/20 eles ainda podem ser construtora. Veremos o que eles farão, ainda têm condição de tomar essa decisão até outubro. Podem escolher exercitar a opção ou não. Se exercitarem, será como cliente", disse.
 
Sem a Mercedes, a FIA confirmou BMW, DS (braço da Citroën), ABT (Audi), Mahindra, Renault, Jaguar, NextEV, Penske e Venturi como construtoras para a quinta temporada – que terá novas baterias produzidas pela McLaren Applied Technologies e um chassi que dure corridas inteiras.

O CANADÁ É PARA HAMILTON O QUE MÔNACO FOI PARA SENNA?

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube