Da Costa mantém boa fase na Fórmula E e leva pole do primeiro eP de Berlim

António Félix da Costa sobrou: o português foi 0s3 melhor que o resto na superpole, encabeçando dobradinha da Techeetah, com Jean-Éric Vergne em segundo. Brasileiros ficam devendo, com Felipe Massa sendo o melhor na décima posição

A Techeetah teve o melhor recomeço possível de temporada na Fórmula E. A equipe chinesa conseguiu não só uma pole-position nesta quarta-feira (5) em Berlim, como também fez dobradinha: António Félix da Costa sobrou e levou a posição de honra no Tempelhof, ganhando a companhia de Jean-Éric Vergne na primeira fila.

Da Costa, que já tinha sido o melhor na primeira fase da classificação, voltou a se portar como líder do campeonato na segunda. O português foi melhor que Vergne nos três setores, terminando com giro 0s322 melhor. André Lotterer tirou proveito de voltas não tão boas dos rivais da superpole para conseguir o terceiro lugar no grid.

O quarto posto coube a Sébastien Buemi, que até chegou a pintar como candidato à pole em certo momento. Nyck de Vries foi quinto, seguido por Jérôme D’Ambrosio, sexto. Sam Bird, Oliver Rowland e Mitch Evans vieram atrás, sem figurar na superpole.

António Félix da Costa segue em alta na FE (Foto: Fórmula E)

A classificação foi difícil para os brasileiros, com os três incapazes de ir à superpole. O melhor deles foi Felipe Massa, dono do décimo melhor tempo. Lucas Di Grassi, que errou no fim do giro, larga em um distante 21° lugar, o que representa um golpe duro na luta pelo bicampeonato. Sérgio Sette Câmara, estreando e aprendendo, teve uma volta conturbada e larga em 23°.

A corrida, primeira de seis no antigo aeroporto de Berlim, começa às 13h30 (de Brasília). Depois da corrida de quarta-feira, a categoria repete a dose já na quinta-feira.

Saiba como foi o treino classificatório da Fórmula E

Grupo 1: Vandoorne, Di Grassi, Da Costa, Evans, Günther, Sims

Alexander Sims foi o primeiro na pista, o que não era ideal: o traçado de Tempelhof seguia com pouca aderência e seria difícil fazer uma boa volta. Stoffel Vandoorne, Maximilian Günther, Lucas Di Grassi e Mitch Evans vieram atrás.

Em condições similares, Da Costa sobrou. O português conseguiu volta 0s4 melhor que os demais, o que o deixava em boa posição para sonhar com a superpole. Evans foi quem chegou mais perto do português, seguido por Günther, Vandoorne e Sims. Di Grassi vinha em boa forma, com dois ótimos primeiros setores. Um fim de volta ruim, entretanto, deixou Lucas 1s mais lento que António.

FÓRMULA E; BERLIM; DS TECHEETAH; JEAN-ÉRIC VERGNE;
Jean-Éric Vergne completou dobradinha da Techeetah (Foto: DS Techeetah)

Grupo 2: Bird, Rowland, Buemi, Vergne, Lotterer, Mortara

O segundo grupo foi à pista junto, mas não a ponto de se atrapalhar. Quem mostrou isso foi Sébastien Buemi, que conseguiu o segundo melhor tempo, apenas 0s145 pior que Da Costa.

Vergne completou a volta logo depois, e sem um tempo tão empolgante. O francês foi 0s152 pior que o companheiro Da Costa, mesmo com pista teoricamente um pouco pior. O terceiro lugar provisório não dava muitas garantias de avanço à superpole.

Situação ainda mais delicada era de André Lotterer, Sam Bird e Oliver Rowland. O trio fez voltas 0s3 mais lentas que as de Da Costa, tomando posições quarto, cinco e seis. Ou seja, o português era o único do primeiro grupo ainda com chances de ir à superpole.

Grupo 3: Frijns, De Vries, Massa, Abt, Calado, D’Ambrosio

Ao contrário do visto nos dois primeiros grupos, o terceiro teve pressa para deixar os boxes. De Vries veio à pista o mais rápido possível, conseguindo bom tempo na sequência: apenas 0s186 pior que Da Costa, o holandês se consolidava em quarto lugar. Isso tirava Rowland da briga pela super-pole.

FÓRMULA E; BERLIM; CORRIDA 1; ANDRÉ LOTTERER. PORSCHE;
André Lotterer conseguiu um inesperado terceiro lugar (Foto: Porsche)

Foi só algum tempo depois que o resto do grupo partiu para a volta rápida. Dois deles vieram sem ritmo algum. Daniel Abt foi 1s4 pior que Di Grassi e garantia presença na rabeira do grid com a fraquíssima NIO. Só não foi pior que James Calado: incapaz de participar dos dois treinos livres por problemas mecânicos, o britânico acabou 3s mais lento.

Restavam D’Ambrosio e Frijns. O belga conseguiu volta decente, aparecendo em sexto. O tempo 0s366 pior que o de Da Costa o deixa na superpole, mas vulnerável. Quem estava definitivamente fora era Bird, agora sétimo. Robin Frijns fez trabalho apenas ok e surgiu em 11°. Massa foi apenas um pouco melhor, surgindo em décimo.

Grupo 4: Turvey, Sette Câmara, Müller, Jani, Rast, Lynn

O quarto grupo começou com a participação de Sérgio Sette Câmara. A primeira classificação do brasileiro na FE servia para trazer experiência, e logo ficava claro o motivo: uma volta com alguns erros acabou com o piloto na penúltima posição, melhor apenas que Calado.

O resto do grupo começava a fazer melhor, mas não a ponto de mudar a briga pela pole. Alex Lynn foi o melhor do sexteto, mas apenas com o 12° tempo no geral. Rast foi 14°, decepcionando após boa atuação nos treinos livres. Jani, Turvey e Müller surgiram respectivamente em 18°, 19° e 20°.

FÓRMULA E; BERLIM; MERCEDES; NYCK DE VRIES;
Nyck de Vries fecha a segunda fila (Foto: Mercedes Fórmula E)

Superpole: Da Costa, Buemi, Vergne, De Vries, Lotterer, D’Ambrosio

D’Ambrosio, sexto na primeira fase da classificação, herdou a duvidosa honra de ser o primeiro na pista. Isso, entretanto, não impediu uma atuação bem decente: o belga anotou 1min07s371, 0s1 melhor que o visto anteriormente.

Lotterer veio na sequência e tratou de mostrar que também tinha garrafa vazia para vender. O alemão conseguiu 1min07s235, garantindo pole provisória. Parecia, todavia, improvável que o piloto da Porsche seria capaz de se sustentar.

De Vries tentou, mas não foi o responsável por derrubar Lotterer. O holandês fritou pneus na volta rápida e acabou não realizando o potencial da Mercedes, sendo 0s067 pior que o ainda pole provisório.

Foi só com Vergne que Lotterer caiu. O francês fez um bom serviço ao melhorar na comparação com a volta anterior, mas ainda tinha tempo vulnerável. Restavam Buemi e Da Costa para atacar.

Buemi tentou, mas errou na volta rápida. Da Costa, por sua vez, não deixou a bola quicando: o português foi impecável nos três setores, levando pole com 0s3 de vantagem sobre Vergne.

FE 2019/20, eP de Berlim, Tempelhof, grid de largada:

1A F DA COSTADS Techeetah1:06.799
2J E VERGNEDS Techeetah1:07.121+0.322
3A LOTTERERPorsche1:07.235+0.436
4S BUEMINissan1:07.248+0.449
5N DE VRIESMercedes1:07.302+0.503
6J D’AMBROSIOMahindra1:07.371+0.572
7S BIRDVirgin Audi1:07.492+0.693
8O ROWLANDNissan1:07.521+0.722
9M EVANSJaguar1:07.555+0.756
10F MASSAVenturi Mercedes1:07.563+0.764
11R FRIJNSVirgin Audi1:07.581+0.782
12A LYNNMahindra1:07.646+0.847
13M GÜNTHERBMW1:07.685+0.886
14R RASTAudi1:07.777+0.978
15E MORTARAVenturi Mercedes1:07.826+1.027
16S VANDOORNEMercedes1:07.993+1.194
17A SIMSBMW1:07.996+1.197
18N JANIPorsche1:08.014+1.215
19O TURVEYNIO1:08.089+1.290
20N MÜLLERDragon Penske1:08.118+1.319
21L DI GRASSIAudi1:08.136+0.834
22D ABTNIO1:08.554+1.252
23S SETTE CÂMARADragon Penske1:08.628+1.326
24J CALADOJaguar1:10.194+2.892

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube