F-E anuncia traçado do ePrix de Mônaco com parte da versão original, mas sem curvas famosas

Traçado só terá metade da famosa versão original. Consequentemente, ePrix de Mônaco não contará com trechos tradicionais, como o Túnel e a curva Loews. Monte Carlo será a única cidade a receber tanto a F1 quando a F-E.

Ano passado, quando o calendário da F-E foi montado, a etapa de Mônaco chamou a atenção dos fãs da F1. Com a certeza de que os carros elétricos utilizariam pelo menos parte da versão histórica, restava saber com precisão o traçado a ser utilizado. A resposta veio neste sábado (28), quando foi anunciado que o novo formato só contará com metade de seu modelo original.
 
O novo formato abre mão de muitos trechos famosos. Sem passar pelo Túnel ou pela apertada Loews, o circuito gira em torno da reta dos boxes e do consagrado porto do principado.
Traçado do eP de Mônaco não será o mesmo da F1 (Foto: F-E)
Jarno Trulli, vencedor da edição de 2004 do GP de Mônaco e atual piloto da F-E, gostou da versão apresentada.
 
"Acho que é pista razoavelmente boa e, obviamente, a localização é fantástica. É metade do circuito da F1, o que é suficiente para um carro da F-E e tenho certeza que proporcionará boas ultrapassagens", analisou.
 
Como os carros da F-E são consideravelmente mais lentos que os da F1, uma volta pelo circuito inteiro poderia ser demais para os carros elétricos. Além disso, os traçados da nova categoria precisam de uma quantidade razoável de curvas fechadas e lentas. Assim, o uso da bateria dos bólidos é otimizado, e as corridas, viabilizadas.
Mônaco receberá etapa da F-E em Maio (Foto: F-E)
Trulli tratou de explicar como os carros da F-E vão se comportar em solo monegasco.
 
"Você pode ver que, na curva 1, existe um hairpin. Daí, vamos em direção à saída do túnel, onde temos outra freada forte como possível ponto de ultrapassagem. De lá, vamos até a curva Tabac e o trecho da Piscina, que na F1 é incrível e desafiador. Na F-E, será um pouco mais fácil, mas ainda desafiador, especialmente na saída, que estará bem escorregadia", contou.
 
Os fãs do esporte não vão precisar pagar nada para, no dia 9 de maio, assistir ao eP: a entrada será franca.
 
Agora só resta esperar a versão modificada receber a homologação da FIA, necessária para realizar a prova.
O REI DAS PISTAS

A chuva veio forte durante a classificação e fez a direção de prova interromper o treino antes do Q3. Mas se a pista molhada podia embaralhar as ações, Lewis Hamilton tratou de mostrar quem é que manda na F1. O inglês fez a pole, mas viu uma perigosa aproximação da Ferrari, com Sebastian Vettel batendo Nico Rosberg no fim. Felipe Massa será o sétimo do grid, enquanto o xará Felipe Nasr vai sair apenas de 16º no GP da Malásia.

McNARDI

Reestreando pela McLaren neste fim de semana, Fernando Alonso tem motivos para comparar o carro preto e prata que dirige em 2015 àquele que guiou pela Minardi em 2001. E não é nem que a sua memória está afetada pelo acidente sofrido nos testes de pré-temporada da F1 em Barcelona, há 26 dias. Quem comprova isso é o cronômetro. Com a Minardi, em 2001, o novato Alonso se classificou em 22º e último lugar para o GP da Malásia. Seu tempo: 1min40s239. Melhor que o feito na classificação com a McLaren…

O DIFERENCIAL

Felipe Nasr não conseguiu ter o mesmo rendimento de Marcus Ericsson durante o Q1 do treino de classificação para o GP da Malásia, dificultado por um problema no diferencial. Tentando sair do buraco da eliminação inicial, Nasr errou na última volta que fez, ficando de fora do treino junto com as McLaren e as Manor. Ainda assim, Felipe crê que, saindo em 16º, pode se recuperar na corrida deste domingo em Sepang e conseguir mais pontos no campeonato.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube