FE
20/08/2018 14:34

Lotterer se anima com FE, mas diz que precisou de “muito trabalho e paciência” para se acostumar

André Lotterer chegou na Fórmula E antes do campeonato passado para um novo desafio na carreira já cheia deles. Demorou um pouco, custou bastante disposição, mas agora ele se entende com a categoria e planeja um salto maior no campeonato que vem por aí
Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Andre Lotterer (Foto: Dalton Yamashita/Grande Prêmio)
Perto de completar 37 anos de idade, André Lotterer é um veterano. Conta com um pouco de experiência em quase tudo, de carros GT à F1, passando por três vitórias em Le Mans. Quando ingressou na Fórmula E para a disputa da temporada 2018/19, no entanto, Lotterer foi em busca de algo novo. Segundo ele, após o ano de estreia, custou bastante para se entender com o desafio, mas agora o caminho é claro e certo.
 
Lotterer embarcou como companheiro de equipe na Techeetah, uma equipe privada e cliente da Renault que fazia apenas seu segundo ano no campeonato - e a estreia havia sido bem problemática. No fim das contas, a Techeetah comemorou o título de Pilotos com Vergne e ficou com o vice-campeonato de Construtores.
 
De acordo com o alemão, os trabalhos de pré-temporada e no começo do campeonato foram com alguma pulga atrás da orelha. Mas quando o calendário chegou a Santiago, no Chile, a equipe deslanchou.
 
"No começo, em Valência, eu honestamente não sabia o que faria, porque tudo parecia distante do que eu conhecia. Foi em Santiago que as coisas realmente andaram, mas eu ainda precisava de mais informação de que não era sorte. Isso veio e provou que podíamos fazer, mas custou muito trabalho e paciência", disse ao site inglês 'E-Racing365'.
Lotterer forma dupla com Vergne na ascendente Techeetah (Foto: Dalton Yamashita/Grande Prêmio)
Naquela etapa, Vergne descolou a pole e Lotterer partiu em quarto. Na corrida, uma dobradinha para lançar o time à disputa pelo título.
 
Após todo um caminho cheio de percalços para entrar no ritmo da categoria - em uma temporada de estreia que marcou 64 pontos e ficou com o oitavo posto do campeonato de Pilotos -, agora Lotterer se prepara de outra forma para o ano vindouro.
 
"Minha abordagem é realmente diferente agora, entrando na quinta temporada [da categoria]. Estou muito confiante agora, mas não foi fácil. Mas fiquei calmo, trabalhei duro e passei muitos dias com a equipe no simulador", afirmou.
 
Antes da FE, Lotterer havia corrido apenas uma prova de rua na vida: uma prova da F3 em Pau no já distante 2000. Mas ele não acha que isso atrapalha.
 
"Eu realmente gosto de correr em pistas de rua. Fico animado, especialmente na classificação. É esse o divertimento da FE, e creio que na temporada que vem teremos um desafio ainda maior. Não estava confortável nas pistas lá no início do ano, mas então se tornou completamente natural e é divertido se esforçar nessas pequenas margens", falou.
 
"Não creio que minha falta de corridas em circuitos de rua seja um grande fator, para ser honesto, porque você precisa se adaptar rapidamente. É tudo ou nada, e creio que me dou bem nesse tipo de corridas", encerrou.
 
A temporada 2018/19 da FE começa com o eP de Riad, na estreia na Arábia Saudita, em 15 de dezembro.