Na Garagem: Di Grassi vence eP de Pequim após acidente incrível com Heidfeld

Foi num 13 de setembro como hoje, mas em 2014, que a Fórmula E realizou a primeira corrida da história. Nick Heidfeld efetuava a ultrapassagem da vitória sobre Nicolas Prost, que se desesperou, causou uma batida e fez o rival voar. A vitória ficou para Lucas Di Grassi

Após um ano de deliberações e dúvidas sobre como seria a nova categoria importante do cenário internacional, a abertura da história da Fórmula E foi realizada num 13 de setembro como este, um sábado, em 2014. Há exatos cinco anos. Em Pequim, uma corrida até um tanto quanto monótona teve um acidente que ainda é recordado e a vitória inaugural caiu no colo de Lucas Di Grassi.
 
A capital chinesa sediava a prova no trecho da cidade onde está o parque olímpico construído na cidade para os Jogos de 2008. O Estádio Ninho do Pássaro, mais famoso símbolo daquela Olimpíada, estava no cenário para quem quisesse ver. O dia era de sol no céu, tudo favorável para os novos bólidos, recém-entregues, desfilarem pela rua. 
 
Após o 'esquenta' nos treinos livres, a Renault e.dams conseguiu dar o primeiro passo para confirmar que tinha o melhor carro do grid: Nicolas Prost anotou a pole-position de abertura. Atrás dele, Lucas Di Grassi, Daniel Abt, Karun Chandhok, Franck Montagny e Jaime Alguersuari formaram as três filas iniciais. 
 
Prost largou bem e manteve a liderança com segurança durante a primeira troca de carros já vista. O francês levou o bólido azul para o pit-lane, desceu, entrou no outro bólido e voltou para a pista ainda na dianteira, mas não mais com segurança. 
O carro de Heidfeld voando (Foto: Reprodução/Twitter)

Quem se deu bem foi Nick Heidfeld, então piloto da Venturi, que superou os dos carros da Audi ABT na troca de carros e passou a incomodar o francês insistentemente. Heidfeld tinha claramente um carro melhor que Prost e se colocava em posição para o ataque – embora o resto do pelotão conseguisse ser mais veloz que o francês, a briga se limitava aos dois.

 
Na última volta e com sobras de carro, Heidfeld partiu para o bote. De maneira limpa e irreparável, posicionou para a ultrapassagem na curva derradeira, onde tomou a linha de dentro. Prost se desesperou com a possibilidade de perder a corrida e jogou o carro para cima da Venturi de Heidfeld, que avançava. 
 
A forte pancada tirou Heidfeld do controle e mandou o carro em direção à zebra alta colocada no contorno da curva. Com o toque na zebra, o carro levantou voo e bateu de lado em cima do muro. O acidente fez os dois abandonarem e abriu caminho para Di Grassi, que aceitara o terceiro posto, ser o primeiro vencedor de corrida da história.
 
Heidfeld e Prost, que na época eram companheiros no WEC, chegaram a bater boca rapidamente na saída dos carros, mas Prost assumiu culpa pelo acidente na sequência. "Sinto-me muito mal pelo incidente… Entendo que sou o responsável. Simplesmente não o vi e me sinto mal. O mais importante é que meu amigo Nick Heidfeld está ok. Sinto muito novamente, Nick, você sabe que eu jamais faria algo assim [de propósito]", comentou. 
Pódio do eP de Pequim de 2014 (Foto: Malcolm Griffiths/LAT/ Formula E)

Logo após sair do carro, Heidfeld chiou. "Não esperava que ele fosse ter um movimento suicida desses no fim da corrida. Minha vitória foi roubada, é muito difícil", falou. Depois, no entanto, aceitou as desculpas e falou que Nico "jamais bateria de propósito em alguém".

 
Sem Heidfeld e Prost, Di Grassi teve no pódio a companhia de Montagny e Sam Bird. Ainda pontuaram Charles Pic, Chandhok, Jérôme D'Ambrosio, Oriol Servià, Nelsinho Piquet, Stéphane Sarrazin e Abt. Dono da melhor volta, Takuma Sato – que participou apenas desta prova – anotou dois pontos. O japonês gastou tanta energia para fazer a melhor volta que abandonou a corrida.
 
Aquela primeira corrida apresentou ainda a estreia do FanBoost, vencido na oportunidade por Di Grassi, Bruno Senna e Katherine Legge.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube