Piquet diz que funciona bem em pista como a de Londres: “Quanto mais ‘Mario Kart’, mais eu gosto”

Se a expectativa sobre a pista do Parque Battersea, em Londres, é de que seja um local desafiador e bem complicado, Nelsinho Piquet não se incomoda. Por ele, conforme mais pareça com um videogame, melhor. Lucas Di Grassi promete não fazer nada muito diferente do que tentou no resto do ano: vencer

A classificação da F-E após o eP de Moscou

O esquema que a F-E vai apresentar neste final de semana dos dias 27 e 28 em Londres é diferente do que foi visto no resto da temporada. Se trata, primeiro, de uma rodada dupla, e o programa ser decidido entre treinos livres, classificação e corrida nos dois dias torna as coisas muito mais cansativas. E mais importante: isso acontece enquanto três pilotos se digladiam para o título da temporada inaugural da categoria. 

 
O líder do campeonato, Nelsinho Piquet, notoriamente tem se dado bem nas pistas mais travadas do calendário. Foi assim nas duas que venceu, Long Beach e Moscou, por exemplo. Segundo o piloto definiu em entrevista ao GRANDE PRÊMIO, quanto mais parecido com as pistas impossíveis do jogo de videogame 'Mario Kart', melhor.
 
"Acho que eu e o carro funcionamos bem em pistas difíceis, pistas onduladas, travadas, complicadas. Porque eu pego a mão da pista muito rápido e me adapto rápido. Sempre andei em pistas diferentes toda hora, é o tipo de coisa que eu gosto. Mais uma pista nova, para mim, é ouro. Adoro essas coisas: quanto mais difícil, mais ondulada, mais 'Mario Kart' for a pista, mais eu gosto", analisou.
Piquet vence com Di Grassi em segundo em Moscou (Foto: AP)
Quanto ao fato de se tratar da primeira rodada dupla da categoria, Piquet não considera necessário traçar uma estratégia diferente. Apenas fazer o arroz com feijão da forma que a equipe China já vem trabalhando.
 
"Tem que fazer o café com leite tranquilo, a mesma coisa de sempre. Não tem que inventar história. Temos feito um trabalho consistente, sem nenhum erro, sem batida e confusão, e isso é o que vamos buscar novamente. Claro que sem deixar a pressão pegar nessa última fase do campeonato", seguiu.
 
Já Di Grassi, segundo colocado e 17 pontos atrás, é um fã do traçado do Parque Battersea. Ele mesmo já disse antes do começo da temporada. Mas não sabe exatamente se a pista vai dar vantagem a ele e a Audi ABT. E assim como Piquet, não vai mudar a estratégia. 
 
"É muito difícil de conseguir dizer se vai me favorecer. O que eu posso dizer é que a pista é bem diferente dos restos das pistas do campeonato. É bem estreita, é uma das pistas mais longas, também. Vai ser um desafio para todo mundo, incluindo eu. Acho que vai depender bastante da classificação e vai ser difícil fazer ultrapassagem", explicou ao GP.
A celebração de Di Grassi (Foto: AP)
"A gente vai com a mesma estratégia. Eu preciso recuperar os pontos, preciso ser mais agressivo. Se tivesse alguma margem para trabalhar, se eu estivesse na posição inversa poderia mudar um pouco a estratégia, mas nesse caso eu vou com a mesma mentalidade das outras corridas. Tentando vencer e recuperar o primeiro lugar que eu mantive a temporada inteira", concluiu.
 
O outro dos 'candidatos reais' ao título da F-E, Sébastien Buemi, 23 pontos fora da liderança, falou ao site da F-E que a intenção é vencer em Londres. Quanto ao título, é um passo seguinte.
 
"Claro que o objetivo é vencer a corrida. Não acho que vai ser possível vencer o campeonato sem ganhar a corrida ou sendo muito competitivo. Então temos de vencer, independente do que aconteça", disse Buemi aos site oficial da F-E.
 
O GRANDE PRÊMIO acompanha a rodada dupla que decide a F-E em detalhes a partir das 4h15 do sábado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube