Rosenqvist cruza na frente, mas é punido e entrega vitória da segunda prova em Berlim a Buemi. Di Grassi é 3º

Deu Felix Rosenqvist, mas a vitória da segunda corrida do fim de semana em Berlim foi de Sébastien Buemi. Graças a um erro da Mahindra, que liberou Rosenqvist dos boxes em situação perigosa e acabou tomando uma punição, Buemi nem precisou se agitar muito para ganhar na Alemanha e abrir mais alguns pontos na ponta do campeonato

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Sébastien Buemi tentou um único ataque durante as 46 voltas do eP de Berlim 2, neste domingo (11). E deu errado. Mesmo assim, administrando o segundo lugar atrás de Felix Rosenqvist por quase toda a prova, Buemi terminou com a vitória e mais 25 pontos na conta para agora virar a chave e pensar nas 24 Horas de Le Mans e na sequência da temporada do Mundial de Endurance. Rosenqvist foi punido e teve 10s acrescidos ao tempo final, então cruzar a bandeira quadriculada na ponta não valeu vitória. É a sexta corrida que Buemi ganha na temporada, mas a primeira num estilo menos dominante.

 
Buemi não escondeu isso ao sair do carro. "Felix foi o verdadeiro vencedor hoje", disse. E pode até ser, mas foi o suíço quem marcou 25 pontos. Rosenqvist deu mais uma demonstração de força após a punição ao não ceder a Di Grassi. Lucas tentava tirar 2s para ganhar a segunda colocação no relógio – e não deu. Rosenqvist foi roubado de uma varrida – e pela própria equipe. 
 
Di Grassi sai com 15 pontos e uma desvantagem de 32 para o algoz. É a hora da verdade. A ausência de Buemi é na próxima etapa, e Lucas terá que ser nada menos que preciso para se recuperar a montar alguma guarda para Montreal. Depois de largar em sétimo, os pontos valem muito para ele também. Foram, afinal, quatro ultrapassagens e uma tocada forte.
 
Daniel Abt seguiu o rastro do companheiro por todo o dia e foi seguido por José María López. O argentino, aliás, terá problemas em casa. Ele forçou uma batida quando estava sendo ultrapassado pelo companheiro Sam Bird pela terceira colocação. O encontrão atrapalhou ambos, tirou da briga pelo pódio e causou um problema de relações públicas. Jean-Éric Vergne e Bird seguiram, com Nicolas Prost, Oliver Turvey e Nick Heidfeld – depois de largar em último – fechando a zona de pontos. Maro Engel fez a volta mais rápida. 

O campeonato segue em 15 e 16 de julho, com o eP de Nova York. 

Sébastien Buemi (Foto: F-E)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Confira como foi a corrida:

Diferente da corrida do sábado, a largada da segunda prova do fim de semana foi confusa. Com direito a três lado a lado e a toque entre Maro Engel e Loïc Duval – que obrigou Engel a ir aos boxes e fez voar partes de carro. Na frente, tudo tranquilo, mas José María López foi para cima de Sébastien Buemi tentando aproveitar o embalo da largada antes que o líder do campeonato fosse embora. Lucas Di Grassi conseguiu ganhar duas colocações: a de Oliver Turvey e a do companheiro Daniel Abt. 
 
Nicolas Prost, por sua vez, começou a ganhar campo depois de largar em décimo. Mas nada tão impressionante como Nick Heidfeld. Depois de sair da última posição por um problema no acelerador durante o treino de classificação. Em seis voltas, Nick já ocupava o 12º lugar.
 
Rosenqvist e Buemi escaparam, ao passo que Seb estava claramente contente ao acompanhar o rival da Mahindra. O ataque podia esperar, mas o desafio da corrida duas voltas mais longas num local onde a bateria não é exatamente um mar de duração era mais forte. Quem atacou, de fato, foi Sam Bird. Atacou o companheiro.
 
Bird ultrapassou, ou pelo menos era a sensação. López não aceitou a derrota momentânea e forçou a barra na curva seguinte. Tocou o companheiro, que teve de fazer mágica para não ir ao muro. O encontrão permitiu que Jean-Éric Vergne e Di Grassi passassem Bird, que parabenizou Pechito no rádio da equipe – de forma irônica, evidente.
 
As DS Virgin ficaram afetadas pelo encontrão. Bird logo foi passado por Abt e Prost, enquanto López não segurou Vergne e Di Grassi por muito tempo. E era hora de ir, na 24ª de 46 voltas, para os boxes.
Rosenqvist ganhou, mas não levou o eP de Berlim (Foto: Mahindra)
Rosenqvist parou, mas na hora de ser liberado, alguém estava chegando. Era exatamente Heidfeld, o outro carro da equipe. Os dois quase bateram, Nick não gostou e o incidente passou a ser investigado quase que imediatamente. Para Buemi, Di Grassi e Abt era momento de pegar o segundo carro dotado de FanBoost.
 
O primeiro a acionar foi Buemi, que atacou Rosenqvist e não conseguiu passar. Di Grassi, enquanto isso, atacou e amoleceu Vergne. Primeiro, tomou o 'xis'; na sequência, ganhou a terceira colocação. No embalo e com o FanBoost, Abt tentou o mesmo. A defesa de Vergne fez com que os dois se tocassem, mas não afugentou o piloto da Audi ABT. Daniel enfim passou, seguindo no rastro do companheiro.
 
Nesse ponto, com 36 voltas, Engel já havia saído de cena com a melhor volta. Duval, 11 giros atrás da liderança, voltou à pista para tentar roubar a bonificação.
 
Eis que uma decisão mudou a corrida: Rosenqvist foi punido por liberação insegura no caso interno da Mahindra. 10s de acréscimo ao tempo final que basicamente davam a vitória a Buemi. A briga de Felix a partir de agora era segurar os 12s de vantagem para Di Grassi abaixo da marca dos 10s para garantir o segundo posto.

Buemi assentou com a vitória em mãos e ficou claro que Di Grassi não tiraria o tempo necessário em relação a Felix. A briga das últimas voltas ficou por conta das DS Virgin para cima de Vergne. Com rendimento em queda livre, o francês perdeu a briga com López, mas segurou Bird. Desta forma, Buemi, Rosenqvist e Di Grassi foram ao pódio, enquanto Abt, López, Vergne, Bird, Prost, Turvey e Heidfeld foram aos pontos. Engel ficou com a bonificação por volta mais rápida.

F-E, Berlim, Classificação Final:

1 SÉBASTIEN BUEMI SUI RENAULT 46 voltas  
2 FELIX ROSENQVIST SUE MAHINDRA +10.000 +10s
3 LUCAS DI GRASSI BRA AUDI ABT +10.862  
4 DANIEL ABT ALE AUDI ABT +13.631  
5 JOSÉ MARÍA LÓPEZ ARG VIRGIN DS +20.324  
6 JEAN-ÉRIC VERGNE FRA TECHEETAH +20.751  
7 SAM BIRD ING VIRGIN DS +21.959  
8 NICOLAS PROST FRA RENAULT +22.155  
9 OLIVER TURVEY ING NEXTEV +34.949  
10 NICK HEIDFELD ALE MAHINDRA +35.814  
11 ANTONIO FÉLIX DA COSTA POR ANDRETTI +44.057  
12 NELSINHO PIQUET BRA NEXTEV +44.439  
13 JÉRÔME D'AMBROSIO BEL DRAGON +47.336  
14 STÉPHANE SARRAZIN FRA TECHEETAH +51.653  
15 TOM DILLMANN FRA VENTURI +56.977  
16 ADAM CARROLL NIR JAGUAR +1:05.426  
17 MITCH EVANS NVZ JAGUAR +1:07.018  
18 ROBIN FRIJNS HOL ANDRETTI +1:12.083  
19 LOÏC DUVAL FRA DRAGON +12 voltas NC
20 MARO ENGEL ALE VENTURI +32 voltas NC

A NOVA F1 SE APROXIMA MAIS DA INDY. E ÁUDIO EM MÔNACO É PROVA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube