Rowland passeia em Berlim e vence pela primeira vez na Fórmula E

Mesmo sem maiores emoções em termos de disputa por campeonato, a quinta corrida da maratona de Berlim teve novidade na figura do vencedor

Um novo vencedor! Após António Félix da Costa confirmar o título da temporada 2019/20, ainda no último fim de semana, esta quarta-feira (12) foi dia de consagrar um novo nome no rol dos vencedores do campeonato: Oliver Rowland.

O piloto da Nissan fez a pole-position e dominou a prova sem jamais ser realmente incomodado pelo segundo colocado Robin Frijns. Vitória dominante que dá um gás ainda maior para a Nissan na briga para terminar o Campeonato de Equipes na segunda colocação.

Até hoje, Rowland tinha apenas dois segundos lugares como os melhores resultados. Agora, não mais. Frijns foi segundo e René Rast, vencedor de um duelo de verdade com André Lotterer, completou o pódio no terceiro posto.

Lotterer ficou com a quarta colocação e teve a companhia de Alex Lynn, Neel Jani, Mitch Evans, Edoardo Mortara, Stoffel Vandoorne e Sébastien Buemi fecharam o top-10. Apesar da volta mais rápida ter sido de Di Grassi, é Rowland quem leva o ponto: afinal, o brasileiro ficou fora do top-10. Todos os pontos foram para o inglês.

Por falar em Di Grassi, a corrida dele foi bastante problemática. Logo no começo, toque com Maximilian Günther; depois, colisão com António Félix da Costa pela qual foi punido em 5s e ainda rendeu furo de pneu.

Felipe Massa vinha nos pontos até errar a zona de ativação do modo ataque: jamais recuperou o lugar. Já Sérgio Sette Câmara se manteve por metade da corrida entre os pontos, mas não teve como ficar por mais tempo. Da Costa, com problemas no fim da corrida, não terminou.

A temporada da Fórmula E termina com a sexta prova, marcada para a quinta-feira.

Oliver Rowland (Foto: Fórmula E)

Confira como foi a corrida:

Já sem qualquer briga por título na Fórmula E, Equipes ou Pilotos, a última rodada dupla em Berlim teve a largada autorizada já quando o as longas sombradas de começo de noite cobriam totalmente a reta dos boxes do Tempelhof.

Oliver Rowland largou bem e escapou na dianteira, enquanto a confusão mesmo viria na segunda parte do pelotão. Um toque entre Lucas Di Grassi, Maximilian Günther e Jérôme D’Ambrosio. Günther acabou com pneu furado e levou a BMW para abandonar nos boxes. Sam Bird também rodou logo na saída.

Quem começava bem nas primeiras posições era André Lotterer, que rapidamente ganhava as posições de Tom Blomqvist, René Rast e Alex Lynn, assumindo o quarto lugar. Lá atrás, Jean-Éric Vergne recebia punição por refrigeração além do permitido na bateria.

A corrida de Di Grassi também acabou rapidamente. Um toque de António Félix da Costa fez a Audi rodar quando o brasileiro fechou demais para contornar a curva e também causou um furo de pneu – ainda seria punido em 5s por conta disso. O campeão confirmado, aliás, assumia a 15ª posição.

Lucas Di Grassi e António Félix da Costa se enroscaram (Foto: Reprodução/TV)

O FanBoost foi anunciado para Stoffel Vandoorne, Da Costa, Daniel Abt, Lotterer e Mitch Evans.

Felipe Massa vinha na oitava colocação, mas acabou errando a zona de ativação do modo ataque e, assim, perdeu três posições. Quando enfim pegou, estava em 16º. Situação complicada para uma prova que se ensaiava promissora. Sérgio Sette Câmara, por sua vez, se mantinha no top-10 após 19 voltas.

Somente depois da 20ª volta é que Robin Frijns começou a encostar em Rowland, mas ensejando uma disputa real pela vitória. René Rast recuperara a posição de Lotterer e ainda sacara Neel Jani da frente. Era o terceiro.

Apesar de aguentar na zona de pontos durante muito tempo, Sette Câmara começara a cair a partir do momento que foi alcançado pela sequência formada por Vandoorne, Sébastien Buemi e Da Costa. Mitch Evans, enquanto isso, confirmava a sétima colocação para, enfim, marcar pontos em Berlim.

A briga de verdade entre os primeiros era não pela vitória, mas pelo terceiro lugar: Lotterer ultrapassou Rast, que seguiu em cima. Os dois passaram a duelar a valer dali em diante. Rast, de maneira espetacular, conseguiu retomar a posição na volta final para fechar o pódio.

Da Costa, com problemas, afastou-se da briga por pontos e sequer completou as duas últimas voltas. Já Günther, fora desde a primeira volta, tentou retomar a participação no fim e ficou parado na pista, exigindo bandeira amarela. Por fim, vitória dominante de Rowland.

Fórmula E 2020, eP de Berlim, Tempelhof, Corrida 5, Resultado Final:

1O ROWLANDNissan36 voltas 
2R FRIJNSVirgin Audi+1.903 
3R RASTAudi+7.490 
4A LOTTERERPorsche+7.863 
5A LYNNMahindra+11.441 
6N JANIPorsche+12.922 
7M EVANSJaguar+14.106 
9S VANDOORNEMercedes+17.134 
10S BUEMINissan+18.949 
11A SIMSBMW+19.731 
12E MORTARAVenturi Mercedes+23.331 
12T BLOMQVISTJaguar+24.807 
13F MASSAVenturi Mercedes+27.775 
14N DE VRIESMercedes+28.723 
15S. SETTE CÂMARADragon Penske+31.132 
16J D’AMBROSIOMahindra+31.524 
17N MÜLLERDragon Penske+34.140 
18J.E VERGNEDS Techeetah+34.986 
19O TURVEYNIO+44.377 
20S BIRDVirgin Audi+46.591 
21L DI GRASSIAudi+1:15.119 
22A.F DA COSTADS Techeetah+1 voltaNC
23D ABTNIO+3 voltasNC
24M GÜNTHERBMW+33 voltasNC

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube