Sem Buemi na fase final, Félix da Costa surpreende e coloca Aguri na pole do eP de Long Beach. Di Grassi é 3º

Não é nada não é nada, Lucas Di Grassi ao menos conseguiu uma vantagem em relação a Sébastien Buemi. Com todas as melhoras do quarto grupo, o suíço foi relegado a uma largada na oitava colocação. pela primeira vez neste novo formato nenhuma das e.dams participou da superpole

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Sem as e.dams, as Dragon e com apenas Lucas Di Grassi entre os líderes do campeonato participando da superpole, a banda underground da F-E fez a festa no treino classificatório deste sábado (2) para o eP de Long Beach. A pole-position ficou com António Félix da Costa, sua primeira num ano em que parece carregar sozinho as expectativas da Aguri.

Félix da Costa começara o dia andando bem e rondando as primeiras colocações, mas só quando o último grupo da classificação apareceu é que ele mostrou que de fato estava muito forte. Foi a terceira vez no ano que chegou até a superpole, mas agora atropelou. Voltou a andar na casa de 57s1 – o necessário para bater todo mundo e sair com o bilhete para a ponta da primeira fila.

Do lado do luso na primeira fila sai Sam Bird, que fez a volta mais rápida do treino, diga-se, quando passou ainda no primeiro grupo. Sébastien Buemi esteve no mano a mano saindo do mesmo grupo e nem ele conseguiu parar Bird. Que ano do inglês, muito mais consistente que na temporada de debute, mas com um carro mais dispare em relação aos líderes.

Os cinco primeiros do grid de Long Beach (Foto: Mahindra)

 Lucas Di Grassi pode dizer que se deu até bem, dadas as condições. Vai sair no terceiro lugar, tudo bem, mas com Buemi apenas na oitava colocação, honestamente, sem tantas certezas assim que o ritmo da e.dams é completamente mais forte que o de todas as outras equipes. A pista de Long Beach é curta, estreita e muito veloz. Talvez seja a hora em que Buemi não consiga uma daquelas corridas impressionantes de recuperação. O líder do campeonato, aliás, larga na oitava colocação.

Stéphane Sarrazin e Nick Heidfeld, surpreendente numa Mahindra que capengava pela manhã, completaram a lista dos cinco pilotos que chegaram à superpole. Robin Frijns, tirado da fase final nos últimos segundos do último grupo, Daniel Abt, Buemi, Nicolas Prost e Jérôme D'Ambrosio encerraram o top-10. Bruno Senna sai na 11ª colocação, com Nelsinho Piquet em 15º.
 
A largada para o eP de Long Beach acontece às 20h.

Confira como foi o treino classificatório:

Bird atropela e Frijns deixa Buemi rezando

Grupo 1 – Sébastien Buemi, Jérôme D'Ambrosio, Oliver Turvey, Sam Bird e Robin Frijns
 
Querendo a primazia da pista, D'Ambrosio se apressou para sair primeiro. Turvey ainda conseguiu se posicionar melhor que Buemi para sair, apesar do início péssimo do dia da equipe China. 
 
O belga não fez uma volta ruim, mas se mostrou preso num grupo fortíssimo. O bom ritmo de classificação da Dragon não chegou a Long Beach, e o 57s2 foi bom o bastante para ficar à frente exatamente de Turvey.
 
Buemi, sempre o mais aguardado em treinos classificatórios, não conseguiu fazer o seu melhor tempo do dia na sessão e ficou tendo que esperar o que aconteceria na sequência. E o que acontecer foi que Bird destruiu sua volta ao cravar 56s821.
 
Mas foi ainda pior, porque Frijns seguiu o dia forte que a Andretti tem mostrado até agora ao fazer 57s145 – 0s044 mais rápido que Buemi. O suíço agora ficou esperando que mais 13 pilotos passassem sem que três fossem mais rápidos. 
Stéphane Sarrazin (Foto: Getty Images)

Sarrazin anda bem e empurra e.dams para beira do precipício

Grupo 2 – Simona de Silvestro, Loïc Duval, Stéphane Sarrazin, Nicolas Prost
 
Quem se apressou para sair na frente neste grupo foi Prost, que correu e não conseguiu desenvolver. Ao marcar apenas 57s284, colocou a e.dams num perigo real de pela primeira vez no formato de superpole não ter ninguém na fase final do treino de classificação.
 
Duval escapou e ficou na última posição geral, longe do resto. Simona, apesar de passar o dia andando bem, não fez mais que o suficiente para o sétimo lugar de nove.
 
No entanto, Sarrazin deu um pequeno show e colocou a Venturi em grandes condições de ir à superpole ao anotar 57s136 e o segundo posto geral. Buemi e Prost já se haviam nas posições quatro e cinco.

Abt aumenta ritmo de grupo bem morno

Grupo 3 – Daniel Abt, Salvador Durán, Nelsinho Piquet e Jean-Éric Vergne
 
O primeiro do grupo a completar volta foi Abt, já pulando para a quarta colocação e tirando Prost da jogada. Não foi a volta que havia feito no TL2, é bem verdade, mas o suficiente para se colocar em boas condições.
 
Na sequência, Vergne fez o oitavo tempo. Depois de fazer três poles na primeira temporada com o volante da Andretti, Jean-Éric tem tido uma desvantagem enorme em relação a Bird neste 2015/16.
 
Piquet superou o que conseguiu nos treinos livres e fez 58s0, 11º posto. Durán foi pior que ele apesar da participação animadora no TL1. Só Duval havia sido pior até então.

Três voltas que mexeram em tudo na superpole

Grupo 4 – Lucas Di Grassi, Bruno Senna, Nick Heidfeld, Mike Conway e António Félix da Costa
 
Di Grassi abriu a volta de 200 kw com tamanho sangue nos olhos que quase topou no muro bem de frente. Deu certo, porém. Lucas pulou para o segundo posto geral e extirpou Buemi da superpole. Mas ainda havia muito mais o que vir do grupo.
 
Félix da Costa cruzou quase junto com o brasileiro e andou melhor. O 57s079 foi bom o bastante para o segundo posto e para tirar Abt da jogada. E essa nem sequer foi a surpresa, porque Heidfeld conseguiu fazer sua melhor volta de classificação desde a lesão no punho. Cravou o terceiro tempo e tirou Frijns. 
 
Senna não conseguiu andar tão forte quanto o companheiro de Mahindra e fez o 11º tempo, enquanto Conway ficou ainda mais longe da outra Venturi e vai largar somente na 16ª colocação.
António Félix da Costa (Foto: F-E)

Félix da Costa domina e põe Aguri na fila

Superpole

O primeiro a ir à pista foi o autor da quinta volta mais rápida da fase de grupos do treino classificatório, Sarrazin. O francês não andou bem e terminou com 57s4 apenas. Escorregando e travando pneu, Di Grassi foi o seguinte e manteve seu estilo extravagante de voltas de classificação. Andou melhor, com 57s270, mas longe de ser uma grande volta. 
 
Quem seguiu foi Heidfeld, que errou em excessos na volta e passou alto, fora da briga pela pole. Mas Félix da Costa compensou. Voou, retornou à casa do 57s1 e colocou o desafio para Bird. Sam até passou bem, mas não o suficiente. AFC é pole, Bird larga ao seu lado na primeira fila; Di Grassi e Sarrazin saem na segunda; Heidfeld e Frijns partem da terceira fila.

F-E, Long Beach, Grid de Classificação:

1 ANTÓNIO FÉLIX DA COSTA POR AGURI 0:57.198
2 SAM BIRD ING VIRGIN 0:57.261
3 LUCAS DI GRASSI BRA AUDI ABT 0:57.270
4 STÉPHANE SARRAZIN FRA VENTURI 0:57.412
5 NICK HEIDFELD ALE MAHINDRA 0:57.825
6 ROBIN FRIJNS HOL ANDRETTI 0:57.145
7 DANIEL ABT ALE AUDI ABT 0:57.151
8 SÉBASTIEN BUEMI SUI E.DAMS 0:57.189
9 NICOLAS PROST FRA E.DAMS 0:57.284
10 JÉRÔME D'AMBROSIO BEL DRAGON 0:57.288
11 BRUNO SENNA BRA MAHINDRA 0:57.383
12 JEAN-ÉRIC VERGNE FRA VIRGIN 0:57.496
13 SIMONA DE SILVESTRO SUI ANDRETTI 0:57.696
14 OLIVER TURVEY ING CHINA 0:57.952
15 NELSINHO PIQUET BRA CHINA 0:58.015
16 MIKE CONWAY ING VENTURI 0:58.144
17 SALVADOR DURÁN MEX AGURI 0:58.417
18 LOÏC DUVAL FRA DRAGON 0:59.049

 

VEJA A EDIÇÃO #22 DO PADDOCK GP, COM PRÉVIAS DA F1, MOTOGP, INDY E F-E

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube