Sem sustos no primeiro treino livre, Buemi abre 1-2 com Prost e indica domínio da Renault e.dams em Berlim

Se muita coisa mudou na F-E e no Aeroporto de Tempelhof após dois anos sem as partes se encontrarem, a situação segue a mesma com relação ao domínio de Sébastien Buemi em treinos livres. O líder do campeonato comandou as ações seguido de seu companheiro, Nicolas Prost, no TL1 em Berlim. Lucas Di Grassi, quase 2s atrás, foi apenas o nono

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

De volta ao Aeroporto Berlim-Tempelhof após dois anos, a F-E chegou com novos nomes e equipes à nova velha casa. Mas alguns hábitos continuaram os mesmos que aqueles da temporada inicial da categoria. Sébastien Buemi cravando a volta mais rápida de um treino livre com uma volta nos segundos finais, por exemplo. O líder do campeonato voou na hora da bandeira quadriculada e colocou o tempo mais rápido por mais de 0s5. Se a comparação for em relação ao mais rápido tirando o outro carro da Renault, do companheiro Nicolas Prost, a diferença é de mais de 1s. É um bom começo para quem precisa seguir abrindo vantagem na tabela de classificação. 

Atrás da dupla da Renault, ficou Felix Rosenqvist, seguido por José María López e Sam Bird. Com exceção de Buemi, os quatro outros pilotos no top-5 disputaram a frente por praticamente toda a sessão. Jean-Éric Vergne foi o sexto, seguido de Mitch Evans, Nick Heidfeld, Lucas Di Grassi e de Adam Carroll, fechando o top-10.
 
Com os olhos na briga pelo título, é interessante notar o desempenho de Di Grassi. O vice-líder foi discretíssimo e ficou basicamente apenas na simulação de corrida. Não é algo muito diferente da abordagem que ele tem tomado nas últimas etapas, mas os quase 2s de distância para Buemi saltam aos olhos.
 
Na 11ª colocação, Nelsinho Piquet foi o piloto que inaugurou uma das barreiras do novo traçado do Tempelhof. Um toque na curva quatro logo no começo do treino danificou a frente do China NextEV do campeão da categoria, mas nada que o tirasse de circulação por muito tempo. E Evans, que ainda acabou em sétimo, causou a bandeira vermelha do treino ao ter problemas e parar a Jaguar na pista. Outro com problemas foi Tom Dillmann, último a ir à pista por conta de uma questão com o câmbio. Por fim, deu 17 voltas – mais apenas que, vejam só, Buemi – e marcou a 19ª posição.

O treino que define o grid de largada está marcado para as 7h (de Brasília). A corrida é às 11h.  

Sébastien Buemi (Foto: Renault e.dams)
Confira como foi o TL1:
 
O primeiro treino livre começou com o de sempre: tráfego na pista. Após cinco minutos de sessão, apenas Tom Dillmann, agora titular da Venturi, não havia saído para a pista da capital alemã. Mas enquanto os pilotos ainda se aclimatavam à pista com voltas altas, o tranquilo treino foi parado para uma simulação de bandeira amarela para toda a pista – um procedimento que tem sido utilizado comumente.
Logo ficou claro que Dillmann não saíra porque tinha um problema. A caixa de câmbio não estava respondendo, por isso seguia fora da pista com dez minutos de sessão. Enquanto isso, Nelsinho Piquet danificou a asa dianteira esquerda do China NextEV ao tocar o muro após perder a traseira do carro na curva quatro. E ainda antes que os tempos baixasse do alto 1min10s0 que dava a liderança a Nick Heidfeld, Mitch Evans parou na pista. Era a primeira bandeira vermelha do fim de semana.

A liberação da pista chegou com 23 minutos no relógio, e logo os tempos começaram a entrar mais próximo do campo em que será visto na classificação. José María López anotou 1min09s369, então extremamente soberano com relação ao resto do pelotão. Nos minutos seguintes, Felix Rosenqvist, Nicolas Prost e Sam Bird se aproximaram com voltas na casa de 1min09s. 

 
Mesmo enquanto o pelotão parecia focar apenas em simulações de corrida, o tempo de López não foi deixado tranquilo. Rosenqvist melhorou ainda mais, cravou 1mon09s340 e foi para a liderança com 13 minutos no relógio. Entrando nos cinco minutos finais, Prost colocou o sarrafo ainda mais alto: 1min08s732, 0s5 à frente do sueco.
 
Então, antes dos 'negócios como de costume', Jean-Éric Vergne vinha em volta rápida quando passou direto na curva e quase causou estragos na Techeetah.
 
O que faltava, então, no minuto final do treino? Sim, Sébastien Buemi. O líder do campeonato apareceu colocando mais um ponto de exclamação na superioridade da Renault. Seu 1min08s151 foi mais que suficiente para liderar o treino inicial.

F-E, Berlim, TL1:

1 SÉBASTIEN BUEMI SUI RENAULT 1:08.151   16
2 NICOLAS PROST FRA RENAULT 1:08.732 +0.581 22
3 FELIX ROSENQVIST SUE MAHINDRA 1:09.225 +1.074 30
4 JOSÉ MARÍA LÓPEZ ARG VIRGIN DS 1:09.369 +1.218 22
5 SAM BIRD ING VIRGIN DS 1:09.649 +1.498 24
6 JEAN-ÉRIC VERGNE FRA TECHEETAH 1:09.805 +1.654 25
7 MITCH EVANS NVZ JAGUAR 1:09.869 +1.718 22
8 NICK HEIDFELD ALE MAHINDRA 1:10.082 +1.931 22
9 LUCAS DI GRASSI BRA AUDI ABT 1:10.116 +1.965 27
10 ADAM CARROLL NIR JAGUAR 1:10.137 +1.986 22
11 NELSINHO PIQUET BRA NEXTEV 1:10.201 +2.050 22
12 DANIEL ABT ALE AUDI ABT 1:10.204 +2.053 25
13 STÉPHANE SARRAZIN FRA TECHEETAH 1:10.213 +2.062 25
14 OLIVER TURVEY ING NEXTEV 1:10.291 +2.140 27
15 ROBIN FRIJNS HOL ANDRETTI 1:10.336 +2.185 25
16 JÉRÔME D'AMBROSIO BEL DRAGON 1:10.347 +2.196 21
17 MARO ENGEL ALE VENTURI 1:10.431 +2.280 27
18 LOÏC DUVAL FRA DRAGON 1:10.469 +2.318 18
19 TOM DILLMANN FRA VENTURI 1:11.000 +2.849 17
20 ANTONIO FÉLIX DA COSTA POR ANDRETTI 1:10.695 +2.544 25
 
A NOVA F1 SE APROXIMA MAIS DA INDY. E ÁUDIO EM MÔNACO É PROVA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube