Sony, Panasonic e Total entram na disputa para fornecimento de baterias da F-E a partir de 2018

Está muito concorrida a disputa para desbancar a Williams como fornecedora única de baterias da F-E para a a partir da temporada 2018/19. Com Sony, Panasonic e a SAFT, empresa especializada em baterias que tem a gigante petroquímica Total como dona, oficialmente na disputa, já são oito marcas disputando com a Williams

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Pelos próximos dois anos, as baterias da F-E seguem nas mãos da Williams Advanced Engineering. Depois disso, porém, é uma grande incógnita. A F-E, que realizaria o processo para escolher a fornecedora de baterias a partir da quinta temporada, em 2018, já adiou a decisão por conta do grande número de companhias gigantes do mercado na disputa. As três últimas a entrarem no balaio são Sony, Panasonic e Total.

 
A informação é do site norte-americano 'Motosport.com'. As duas tradicionais marcas japonesas do ramo eletrônico chegam a uma disputa que esperava desde o começo. As duas estavam com a F-E em sua mira desde a concepção da categoria, em 2013. 
 
A Sony pleiteia a participação numa candidatura em parceria com a McLaren Eletronic Systems, responsável pela produção de todos os motores da categoria na temporada de debute. Não é de hoje que a Sony tem um certo know-how no ramo, produzindo baterias de íon-lítio – como as da F-E – e também investiram na empresa ZMP, especialista no ramo de robótica.
A bateria da F-E (Foto: F-E)
Já a Panasonic teve um envolvimento com a categoria nas duas primeiras temporadas, sendo parceira tecnológica da Dragon por meio da Mouser. Com muito interesse no automobilismo historicamente, a Panasonic sempre mostrou que gostaria de ter um papel na F-E.
 
Outra grande companhia na briga é a Total. A francesa do setor petroquímico está na disputa em conjunto com a SAFT, uma empresa especializada em baterias que a Total comprou ainda este ano. Para a marca se trata de um atrativo ainda mais interessante pelas rivais: são duas grandes montadoras francesas, a Renault e a Citroën, já na categoria.
 
As três terão a própria Williams, a Red Bull Technologies, a Renault, a DS, a Mahindra e uma nona pleiteante que ainda não é conhecida na disputa. Embora ainda se recusem a falar sobre nomes ou decisões, FIA e F-E podem definir a escolhida no final do mês, quando as partes se encontrarem para os testes de pré-temporada em Donington Park.
 
PADDOCK GP #42 RECEBE LUCAS DI GRASSI

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube