Três vezes vencedor das 24 Horas de Le Mans, Lotterer admite dificuldade com FE: “A coisa mais desafiadora que eu já fiz”

Estreante na Fórmula E neste fim de semana, em Hong Kong, André Lotterer teve dificuldades. Vindo das provas de longa duração, onde faturou três edições das 24 Horas de Le Mans, Lotterer não se furtou em admitir que teve dificuldades com os carros elétricos

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

André Lotterer é três vezes vencedor das 24 Horas de Le Mans, tem uma longa carreira no endurance e até nos monopostos – inclusive correndo em um GP de F1. Após estrear na Fórmula E no último fim de semana, no entanto, Lotterer afirmou que a categoria dos carros elétricos é a mais difícil de todas. 

 
Lotterer teve mais dificuldades nos treinos de classificação que nas corridas, onde até disputou posições. O momento mais marcante dele na estreia da temporada em Hong Kong, porém, foi o começo da primeira corrida. Para evitar um toque em Nelsinho Piquet, Lotterer abriu demais no contorno da curva, tocou na barreira de proteção e acabou causando um engavetamento que parou a corrida por meia hora. Depois, terminou a segunda corrida batendo no muro – e conseguiu completar.
 
Segundo Lotterer, as circunstâncias do fim de semana fizeram a estreia "parecer pior do que foi". Não escondeu, porém, que foi mesmo um começo bastante complexo. E por que a FE é tão difícil? Por ser diferente de tudo, aparentemente.
 
"É bem difícil, a coisa mais desafiadora que eu já fiz, porque não existe nada parecido. Quando você corre em diferentes categorias com carros completamente distintos mas ainda em pistas permanentes ainda é meio parecido. Isso aqui é completamente diferente, não há margem para erro, é complicado para controlar os carros", disse em entrevista para a revista inglesa 'Autosport'. "É bem interessante", seguiu.
André Lotterer em Hong Kong (Foto: Techeetah)
Lotterer também falou que a batida que causou o engavetamento foi produto de estar "no lugar errado e na hora errada". E lamentou ter sido ultrapassado por Sébastien Buemi na largada da segunda etapa.
 
"Foi uma pena ele ter me passado, porque acho que tínhamos um ritmo melhor que o deles. Em termos de ritmo de corrida nós estávamos muito bem. A equipe disse que eu estive no alvo o tempo inteiro. Precisamos ver como podemos melhorar o desempenho. Preciso classificar muito melhor, isso obviamente vai tornar a vida mais fácil", encerrou.
 
A segunda etapa da FE acontece em 13 de janeiro com o eP de Marrakesh.
FIM DE UMA GERAÇÃO

GIAFFONE: “BRASIL TEVE SORTE POR TER PILOTOS POR TANTO TEMPO NA F1”

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube