Vandoorne cresce no fim e garante pole-position do último eP de Berlim da FE

Sébastien Buemi foi à pole-position com certo favoritismo, mas foi Stoffel Vandoorne quem encaixou grande volta no fim. O belga larga da posição de honra em grid que tem Sérgio Sette Câmara como melhor brasileiro, partindo do nono lugar

A Mercedes não começou o dia como favorita à pole-position, mas tratou de fazer um belo trabalho nesta quinta-feira (13). A equipe alemã não só colocou dois pilotos na superpole do sexto eP de Berlim como também acompanhou Stoffel Vandoorne melhorar drasticamente para assegurar a posição de honra, feito inédito para a marca na Fórmula E.

O belga foi 0s3 melhor na superpole do que na fase de grupos. Era necessário dar um salto desses para superar Sébastien Buemi, que tinha certo favoritismo, mas acabou 0s059 mais lento.

René Rast repetiu a aparição na superpole, agora conquistando o terceiro lugar no grid. Nyck de Vries, com a outra Mercedes, aparece em quarto. Robin Frijns foi quinto, seguido por Edoardo Mortara em sexto. Alex Lynn e Neel Jani foram sétimo e oitavo.

Stoffel Vandoorne é o último pole da temporada 2019/20 (Foto: Fórmula E)

Nenhum dos brasileiros alcançou a superpole, mas isso não quer dizer que todos fizeram trabalhos ruins. Sérgio Sette Câmara voltou a fazer uma boa classificação, garantindo o nono lugar no grid. Lucas Di Grassi apareceu em décimo, isso enquanto Felipe Massa surgiu em 11°, fechando uma trinca de compatriotas no grid.

A classificação não teve pilotos de ponta se atrapalhando e ficando sem tempo, mas volta a ter protagonistas no fim do grupo. Os seis que fizeram tempo no primeiro grupo acabaram nas últimas sete posições, com o vencedor de ontem, Maximilian Günther, indo direto para o 24° e último lugar no grid.

Saiba como foi a classificação do sexto eP de Berlim:

Grupo 1: Da Costa, Rowland, Vergne, Evans, Lotterer, Günther

Os pilotos repetiram o roteiro de 24 horas, deixando a ida à pista para o último momento possível. Restava saber se os seis seriam capazes de anotar volta dessa vez, preferencialmente sem brigar por posição e se atrapalhar.

Todos conseguiram abrir voltas, mas com um problema: as distâncias eram mínimas, o que provavelmente custaria tempo a todos. Isso ficou claro quando as voltas foram cronometradas: Maximilian Günther foi o melhor, mas apenas com 1min16s134, mais de 1s mais rápido do que o do treino livre. António Félix da Costa foi apenas um pouco pior, 0s042 mais lento.

André Lotterer, Jean-Éric Vergne, Mitch Evans e Oliver Rowland completaram a tabela de tempos inicial. Todos com tempos ruins, que dificilmente renderiam presença na superpole.

Sébastien Buemi larga em segundo(Foto: Fórmula E)

Grupo 2: Di Grassi, Buemi, Vandoorne, Frijns, Bird, Sims

Os pilotos do segundo grupo foram à pista também nos minutos finais, mas novamente com uma boa margem para evitar surpresas negativas com tráfego e falta de tempo.

Fazendo um trabalho melhor para evitar tráfego, o sexteto sobrou. Sébastien Buemi conseguiu uma volta muito boa e virou líder, anotando 1min15s660. Stoffel Vandoorne, 0s057 mais lento, tomou o segundo lugar.

Os outros quatro também foram mais rápidos do que os do primeiro grupo. Robin Frijns subiu para terceiro, com Lucas Di Grassi em quarto. Até Sam Bird e Alexander Sims, um pouco mais lento, surgiram em quinto e sexto. Günther, antes líder, aparecia somente em sétimo agora.

Grupo 3: De Vries, Mortara, D’Ambrosio, Rast, Lynn, Jani

Os pilotos do terceiro grupo, já beneficiados por uma pista consideravelmente melhor, permitiram-se deixar os boxes até com mais folga em relação ao fim do tempo.

A vantagem da pista mais aderente seguiu dando vantagem, com René Rast saltando para segundo e quase garantindo nova presença na superpole, sendo somente 0s028 pior que Buemi. Nyck de Vries foi o outro que entrou na zona da superpole, tomando o quarto lugar, enquanto Edoardo Mortara brotou em sexto. Di Grassi, Bird e Sims estavam fora da superpole.

Curiosamente, todos do terceiro grupo foram mais rápidos que os do primeiro. O sexteto inicial seguia na lanterna da tabela de tempo.

Sérgio Sette Câmara foi o melhor dos três brasileiros (Foto: Fórmula E)

Grupo 4: Abt, Massa, Turvey, Müller, Blomqvist, Sette Câmara

Se a tendência dos grupos anteriores seguisse verdade, o quarto grupo tinha motivos para acreditar em aparição na superpole. Era só fazer bom uso da pista progressivamente melhor.

Só que não seria tão simples assim. Com carros piores, os seis falharam em entrar na zona de superpole. O melhor foi Sérgio Sette Câmara, que conseguiu um ótimo nono lugar. Felipe Massa ficou 11°, logo atrás de Di Grassi em uma trinca brasileira no grid. Mais impressionante ainda foi ver que, ignorando Nico Müller em 22°, os seis pilotos do primeiro grupo estavam na seis últimas posições.

Superpole: Buemi, Rast, Vandoorne, De Vries, Frijns, Mortara

Mortara abriu os trabalhos da superpole, e sem fazer um trabalho brilhante. A volta de 1min16s055 era 0s2 mais lenta que a da fase de grupos, e seria facilmente superada pelos outros cinco candidatos.

Frijns tratou de comprovar isso. Mesmo sem sequer melhorar na comparação com a volta anterior, o holandês conseguiu 1min15s867, superando Mortara por 0s188.

E aí De Vries tratou de fazer uma volta realmente mais competitiva. O piloto repetiu desempenho parecido com o da fase de grupos, o que bastou para superar tanto Frijns quanto Mortara. 1min15s738 estava longe de garantir pole, mas mantinha alguma chance.

O problema de De Vries é que Vandoorne não teve qualquer piedade. O belga fez a primeira volta realmente forte da superpole, baixando para 1min15s468, nada menos do que 0s270 melhor que o companheiro de Mercedes.

Restava torcer para os dois últimos não terem muitas garrafas vazias para vender. Rast e Buemi vieram para a pista e fizeram boas voltas, mas não a ponto de derrotar o belga.

FE 2019/20, eP de Berlim 6, Tempelhof, grid de largada:

1S VANDOORNEMercedes1:15.468
2S BUEMINissan1:15.527+0.059
3R RASTAudi1:15.720+0.252
4N DE VRIESMercedes1:15.738+0.270
5R FRIJNSVirgin Audi1:15.867+0.399
6E MORTARAVenturi Mercedes1:16.055+0.587
7A LYNNMahindra1:15.851+0.383
8N JANIPorsche1:15.861+0.393
9S SETTE CÂMARADragon Penske1:15.904+0.436
10L DI GRASSIAudi1:15.915+0.447
11F MASSAVenturi Mercedes1:15.937+0.469
12O TURVEYNIO1:15.958+0.490
13T BLOMQVISTJaguar1:15.958+0.490
14S BIRDVirgin Audi1:16.002+0.534
15A SIMSBMW1:16.028+0.560
16J D’AMBROSIOMahindra1:16.057+0.589
17D ABTNIO1:16.109+0.641
18M GÜNTHERBMW1:16.134+0.666
19A F DA COSTADS Techeetah1:16.176+0.708
20A LOTTERERPorsche1:16.317+0.849
21J E VERGNEDS Techeetah1:16.393+0.925
22N MÜLLERDragon Penske1:16.409+0.941
23M EVANSJaguar1:16.449+0.981
24O ROWLANDNissan1:16.993+1.525

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube