Vergne crê que atitude com que encarou adversidades “tornou liderança possível”

Jean-Éric Vergne venceu mais que qualquer outro piloto na temporada 2018/19 da Fórmula E, mas ele acredita que a vantagem de 32 pontos com que vai para a decisão foi forjada com os pontos possíveis nas pistas em que as coisas deram errado

A vantagem de 32 pontos na liderança da Fórmula E para decidir o campeonato foi forjada nas corridas ruins, onde as coisas deram errado, não necessariamente nas vitórias. É o próprio Jean-Éric Vergne quem fez a afirmação e apontou alguns problemas, tanto dele mesmo quanto do carro da DS Techeetah.
 
O grande erro humano de Vergne na temporada aconteceu na segunda etapa, em Marrakech, quando ele largou no segundo posto e, com o carro mais veloz, quis forçar uma ultrapassagem contra Sam Bird logo na partida. Errou, rodou e acabou longe da briga pela vitória: mas conseguiu o quinto posto e dez pontos.
 
O francês destacou ainda Paris, quando rodou nos treinos e largou somente no 12º lugar, mas se recuperou para terminar em sexto e anotar oito tentos; e Roma, quando saiu de 16º para os pontos, mas acabou jogado para baixo do top-10 após a prova, penalizado por andar acima do limite de velocidade em FCY.
Jean-Éric Vergne (Foto: DS Techeetah)

"Não existe uma temporada em que um time ou um piloto não cometa erros, então maximizar os fins de semana em que as coisas não estão andando conforme o planejado é vital", avaliou ao site inglês 'E-Racing365'.

 
"É sempre uma questão de tirar o máximo dos fins de semana ruins que você tem. É fácil desistir em meio a um fim de semana ruim, especialmente se você não consegue vencer ou ir ao pódio. É fácil perder o controle, mas é importante manter tranquilidade e pensar nos pequenos pontos que podem ser somados, porque no fim da temporada é isso que importa", avaliou.
 
"É uma questão de tirar o melhor possível dos piores momentos. Em Paris, por exemplo, ou Roma, com os problemas na classificação, depois voltamos com força após a punição. Foi uma corrida ruim especialmente para mim, as coisas estavam contra mim, mas algumas dessas corridas tornaram minha liderança no campeonato possível", comentou. 
 
Além desses pequenos pontos, Vergne venceu três corridas – o que certamente ajudou. Apenas nessas três etapas, Sanya, Mônaco e Berna, anotou 75 tentos das vitórias, 3 pontos de uma pole e 1 ponto de uma volta mais rápida: 79 no total de 130 que tem na temporada.
 
Os 32 pontos de frente para o vice-líder, Lucas Di Grassi, e 43 e 44 para terceiro e quarto colocados, respectivamente Mitch Evans e André Lotterer, tornam Vergne o grande favorito para o bicampeonato no fim de semana. Apenas 58 pontos estão em disputa em Nova York.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube