FE

Vergne lamenta punição “mega severa” e fala em “milagre” por pontos em Ad Diriyah

O atual bicampeão da Fórmula E, Jean-Éric Vergne, não viveu um excelente fim de semana de abertura do campeonato na Arábia Saudita, mas conseguiu pontos milagrosos após uma corrida 2 recheada de fatores de complicação

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
O milagre de Ad Diriyah. Jean-Éric Vergne largou no fim do pelotão na corrida 2 da Arábia Saudita, no último sábado, e ainda teve de pagar uma punição de pista que qualificou como "muito severa". Mesmo assim, terminou na sétima colocação. No fim das contas, apesar de ter passado longe do ideal, o atual bicampeão da Fórmula E sabe que escapou bem da abertura do campeonato.
 
Vergne recordou as duas corridas que teve. Na inicial, ainda sexta-feira, o francês foi bem na classificação no grupo dos seis primeiros colocados da temporada passada, mas as condições da pista empurraram o #25 para baixo do pelotão. Logo no começo da prova 1, sofreu uma quebra no sistema de direção e abandonou.
 
Depois, no sábado, um erro no treino livre atrapalhou, mas a classificação acabou sendo razoável. Entretanto, veio a punição: largar do fim do pelotão, em vez do 11º posto, e ainda pagar um stop and go de 10s durante a corrida. Tudo isso por ter trocado a bateria. Numa avaliação geral, chegar em sétimo e marcar seis pontos após tudo isso foi milagroso. 
Jean-Éric Vergne (Foto: DS Techeetah)
"Considerando como foi o dia, acho que seria um milagre marcar pontos. Você precisa aceitar isso: a Fórmula E é extremamente difícil. Muita coisa pode acontecer, como vimos neste fim de semana. Sabemos que tudo o que pode acontecer vai sempre acontecer ao mesmo tempo", afirmou. 
 
"Na sexta-feira, fiz a pole do meu grupo. Na corrida 1, estava ganhando posições e o suporte do volante quebrou. No sábado, errei na classificação, o que não deu muito trabalho, o carro foi consertado em 15 segundos, mas a McLaren quis mudar a bateria. Na classificação, meu carro tinha uma roda apontada para cada direção, não estava bom, mas mesmo assim ficamos em 11º", contou.
 
"Estava apenas andando normal, poupando energia, e então o safety-car entrou e nós fomos de 17º ou 18º até 11º em quatro voltas. Dei duas boas voltas seguidas e passei dois caras nas mesmas curvas. Foi ataque máximo e me diverti", disse.
 
"E depois veio essa punição inacreditável. E quero dizer, mesmo, inacreditável. Não estou reclamando, é a regra, mas acho que é extremamente severa. Fui mandado para o fim do pelotão e ainda precisei cumprir um stop and go de 10s. Fui punido duas vezes, é mega severo. Gente que trapaceia na classificação não leva punição tão dura quanto a minha, que mudei a bateria apenas por questão de segurança", lamentou.
 
"Enfim, é assim que funciona, não tenho muito a dizer. Os pontos positivos é que fomos muito rápidos hoje e a temporada é bastante longa. Estou motivado para voltar ao topo", encerrou. 
 
A temporada segue em pouco menos de dois meses, com o eP de Santiago do dia 18 de janeiro.
 

Paddockast #42
QUEM É VOCÊ NO GP DO BRASIL?


Ouça:
Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.