Vergne resiste a sequência de ataques de Di Grassi, vence eP de Punta del Leste e dispara na liderança do campeonato

A briga pela vitória do eP de Punta del Este ficou mesmo entre Jean-Éric Vergne e Lucas Di Grassi, último campeão e atual líder da Fórmula E. Com muito a perder, Vergne segurou todos os ataques que lhe foram apresentados e venceu de forma quase que heróica

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Embora se trate de uma pista muito rápida e onde a Fórmula E já produziu ótimas corridas, o eP de Punta del Este deste sábado (17) não foi excelente. Mas foi bom, sólido e com uma grande disputa pela vitória. Jean-Éric Vergne e Lucas Di Grassi largaram em primeiro e segundo e assim permaneceram durante toda a prova. Di Grassi foi para cima tantas vezes quanto foi possível, atacou, se afastou e aproximou de novo e procurou qualquer brecha. Não achou. Vergne venceu pela segunda vez na temporada e se manda na classificação do campeonato.

Vergne agora lidera o campeonato com 30 pontos em relação a Felix Rosenqvist e 33 para Sam Bird. O inglês da DS Virgin ganhou uma série de posições após partir na nona colocação e não apenas terminou em terceiro como também chegou a encostar nos ponteiros. Para Di Grassi é o reinício do qual ele havia falado: a primeira corrida sem alguma tipo de problema.
 
Mitch Evans teve a pole-position nas mãos depois das voltas canceladas na Superpole, mas ele próprio sofreu uma punição em virtude de entregar o carro abaixo do peso mínimo na inspeção pós-treino. Largou nas últimas colocações, mas ganhou um caminhão de posições. A mais destacada delas foi exatamente a quarta, ao executar uma bela ultrapassagem para cima de Rosenqvist. O sueco ficou com a quinta colocação com amargura ao notar que o campeonato está fugindo dele. 
 
Alex Lynn, Oliver Turvey, José María López, Jérôme D'Ambrosio e Maro Engel fechou o top-10 – e López também teve a volta mais rápida. Nelsinho Piquet e Sébastien Buemi sofreram quebras no carro ainda na primeira metade da prova, tiveram que trocar o bólido cedo demais e abandonaram antes do fim.
Jean-Éric Vergne (Foto: Dalton Yamashita/Grande Prêmio)
O que aconteceu pela primeira vez na categoria, algo esperado desde que o limite mínimo para pit-stop caiu, foi um piloto dar uma volta sem cinto de segurança. Daniel Abt saiu dos boxes com o cinto frouxo, soltou e voltou à garagem na passagem seguinte. 

A categoria volta em pouco menos de um mês, 14 de abril, com o debute do eP de Roma. 

Confira como foi o eP de Punta del Este

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

As posições definidas pelo treino classificatório mudaram completamente o grid em cima da hora para a corrida. Com Jean-Éric Vergne partindo da liderança, a FE corria um sério risco de ver o campeonato começar a se desenhar em favor ao francês da Techeetah. Logo após largar, Vergne precisou se defender de Lucas Di Grassi – algo que fez muito bem.

 
Ainda na primeira volta, no entanto, Nick Heidfeld teve problemas e encostou o carro na curva seis. Bandeira amarela localizada, mas no resto da pista o pega continuava. Na briga pela sétima colocação, Sam Bird passou Sébastien Buemi, mas o suíço respondeu com um xis.
 
Dada a dificuldade para extrair a Mahindra de Heidfeld, os comissários decretaram a entrada do safety-car no fim da quarta volta. Mesmo após a ordem, Maro Engel passou Bird – na sequência Bird voltou a tomar a posição dele e também passou André Lotterer, que despencou com claros problemas no carro.
 
O safety-car ficou por três giros na pista, mas a bandeira estava verde a partir da sexta volta. Vencedores do FanBoost foram anunciados pouco depois: Felix Rosenqvist, Daniel Abt e Buemi.
 
Na 12ª volta quem começou a ter problemas foi Buemi. Lento na pista, o piloto da Renault tentava brigar com um carro que não respondia – aparentemente com uma suspensão quebrada após traseirada no muro – e teve de ir para os boxes. Muito anos da metade da corrida, trocou o carro e se colocou em posição extremamente complicada para o resto da prova. Nelsinho Piquet também se viu às voltas com problemas após um começo encorajador e teve de mudar o carro.
 
Nas primeiras colocações, pouquíssima atividade. Vergne se mantinha 0s5 em vantagem para Di Grassi, enquanto Alex Lynn, Daniel Abt e Oliver Turvey mantinham os cinco lugares frontais. Atrás, Bird herdou a posição de Buemi e Rosenqvist, depois de largar bem atrás, aparecia na oitava colocação.
 
Outros dois pilotos adiantaram a parada. Edoardo Mortara, que tem mostrado ser excelente em controle de energia, trocou de carro na 16ª volta; Lotterer foi logo na seguinte. Quase todo o resto entrou na 19ª – apenas José María López e Jérôme D'Ambrosio continuaram mais um giro e Nicolas Prost resistiu duas voltas.
Vergne voltou ainda à frente, mas instantes depois Di Grassi atacou. Quase passou, mas traseirou e precisou segurar ferozmente para não deixar a corrida no muro. Vergne escapou e abriu um pequeno espaço para respirar. Quem se deu melhor nos boxes foi Sam Bird, que ganhou as posições de Turvey, Abt e Lynn, o companheiro. Aliás, os dois pilotos da DS Virgin foram liberados quase que ao mesmo tempo.
 
Nesta mesma toada, quem se deu pior foi Abt. O piloto da Audi teve de voltar ao pit-lane duas voltas mais tarde para apertar o cinto de segurança, que havia ficado frouxos.
Na frente, Di Grassi seguia loucamente buscando um espaço para tentar alcançar Vergne. A Audi era visivelmente mais rápida, mas Vergne conseguiu segurar cada uma das investidas. Tanto que Bird foi encostando e dando a impressão de que, caso um dos dois errasse, podia tomar proveito. Nada disso aconteceu.
Primeiros a parar, Buemi e Piquet abandonaram nas últimas voltas, sem energia. 
 
Se os três primeiros fugiam, Evans tomou a quarta colocação de Rosenqvist. Seria a única alteração na prova. Vergne venceu, com Di Grassi e Bird no pódio.

Fórmula E, eP de Punta del Este, Classificação Final:

1 JEAN-ÉRIC VERGNE FRA TECHEETAH 37 voltas  
2 LUCAS DI GRASSI BRA AUDI ABT +0.447  
3 SAM BIRD ING VIRGIN DS +2.611  
4 MITCH EVANS NZL JAGUAR +4.075  
5 FELIX ROSENQVIST SUE MAHINDRA +4.224  
6 ALEX LYNN ING VIRGIN DS +7.672  
7 OLIVER TURVEY ING NIO +11.818  
8 JOSÉ MARÍA LÓPEZ ARG DRAGON +12.612  
9 JÉRÔME D'AMBROSIO BEL DRAGON +22.242  
10 MARO ENGEL ALE VENTURI +26.293  
11 ANTÓNIO FÉLIX DA COSTA POR ANDRETTI +27.335  
12 ANDRÉ LOTTERER ALE TECHEETAH +38.731  
13 LUCA FILIPPI ITA NIO +39.926  
14 DANIEL ABT ALE AUDI ABT +43.139  
15 NICOLAS PROST FRA RENAULT +47.194  
16 TOM BLOMQVIST ING ANDRETTI +59.299  
17 EDOARDO MORTARA SUI VENTURI +1 volta  
18 SÉBASTIEN BUEMI SUI RENAULT +8 voltas NC
19 NELSINHO PIQUET BRA JAGUAR +12 voltas NC
20 NICK HEIDFELD ALE MAHINDRA +36 voltas NC

”VOCÊ TEM DE RESPEITAR”

EMOÇÃO GENUÍNA DE BARRICHELLO É EXEMPLO DE MOTIVAÇÃO

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube