Satisfeito com estreia no Mundial de Endurance pela Porsche, Hülkenberg vê “futuro completamente aberto”

Em sua primeira corrida defendendo a Porsche no WEC, Nico Hülkenberg guiou o 919 Hybrid ao lado de Earl Bamber e Nick Tandy e ajudou o conjunto do carro #19 a terminar em sexto lugar no geral e na LMP1 nas 6 Horas de Spa-Francorchamps. Agora o alemão ‘muda o chip’ e mira o GP da Espanha de F1 pela Force India, mas deixou claro que seu futuro no automobilismo está em aberto

Nico Hülkenberg completou seu primeiro desafio no Mundial de Endurance. Contratado pela Porsche para fazer duas corridas do WEC na temporada de 2015, o alemão de 27 anos disputou no último sábado (2) as 6 Horas de Spa-Francorchamps com o Porsche 919 Hybrid ao lado de Earl Bamber e Nick Tandy. O trio terminou a prova em sexto lugar. Tudo serviu como preparação visando a corrida mais importante do calendário, as 24 Horas de Le Mans, que acontecem em junho.

A experiência foi totalmente nova para Hülkenberg, que se mostrou muito satisfeito por pilotar na LMP1, embora não tivesse gostado tanto da sua classificação final. É que a Porsche aproveitou a presença de um terceiro protótipo em Spa para realizar vários testes e coletar informações visando Le Mans. Mas no geral, o piloto passa a vislumbrar de vez no WEC um novo caminho para sua carreira, a ponto de considerar seu futuro no automobilismo completamente aberto.

Satisfeito com estreia no WEC, Hülkenberg vê novo horizonte na carreira e diz que futuro está em aberto (Foto: Getty Images)

“Para ser sincero, vou fazer esta corrida e vou fazer Le Mans, e então depois vou avaliar o quanto eu gostei disso. Se há um futuro ou não aqui ou na F1… acho que meu futuro está completamente aberto, e é muito cedo para dizer algo nesta época do ano”, declarou Nico ao site ‘Motorsport.com’ ainda antes da corrida em Spa. Nos treinos livres, o alemão foi um dos bons destaques do fim de semana, mostrando rápida adaptação ao protótipo da Porsche no desafiador circuito belga.

Após a corrida, Hülkenberg descreveu sua jornada nas 6 Horas de Spa-Francorchamps. “Gostei. Meus tempos no carro eram bons. Obviamente, perdemos um pouco de tempo no início, o que é uma pena. Mas é por isso que estamos aqui, para obtermos esse tipo de experiência. Foi bom que todos nós tivemos nosso devido tempo no carro.”

“Não trocamos pneus, fomos o mais longe possível tentando acumular informações para os outros carros, então nós fomos os eleitos para seguir com os mesmos pneus e ver como seria. E tudo correu bem, embora no fim da corrida corremos um pouco ‘sem pneus’. Obviamente que Le Mans é uma pista que exige mais potência, mas nós ainda temos algum trabalho a fazer nesse meio tempo. Tivemos alguns problemas em alguns carros, por isso ainda temos algum trabalho pela frente”, disse.

“Obviamente, foi a minha primeira vez neste tipo de corrida, e tudo foi novidade neste fim de semana. Levando tudo em conta, acho que correu tudo bem, embora, obviamente, não foi o resultado que a gente esperava”, complementou Hülkenberg, reiterando que não espera grandes dificuldades para voltar a acelerar na F1 neste fim de semana pela Force India no GP da Espanha, quinta etapa da temporada 2015. “Acho que tenho a F1 no meu corpo. É como se você pegasse um programa diferente na gaveta da escrivaninha e instalasse novamente na minha mente”, concluiu.

NA TRILHA DA RIVAL

Sebastian Vettel afirmou que ainda vai levar algum tempo para que a Ferrari de fato consiga brigar de igual para igual com a Mercedes, apesar do impressionante início de temporada da equipe italiana em 2015 na F1. Apesar da competitiva temporada, Seb se disse consciente de que alcançar os atuais campeões no restante do ano não será uma tarefa das mais fáceis. "Estamos tentando incomodar a Mercedes e precisamos ficar sempre por perto, para atacar se algo der errado com eles"

VAI REAGIR

Passadas as primeiras quatro corridas da temporada 2015 do Mundial de F1, o cenário dentro da Mercedes é amplamente favorável a Lewis Hamilton contra Nico Rosberg. O atual campeão do mundo venceu três corridas (Austrália, China e Bahrein) e soma 93 pontos. O alemão, por sua vez, tem como melhores resultados dois segundos lugares (Melbourne e Xangai) e, apesar de ser o vice-líder do campeonato, está bem atrás do companheiro de equipe, com 66 pontos. A grande diferença entre Lewis e Nico, no entanto, não mexe com Toto Wolff. O chefe de equipe da Mercedes acredita que Rosberg poderá virar o jogo e se tornar efetivamente um postulante ao título 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube