Indy

Alonso passa a integrar lista de campeões da F1 que não se classificaram para Indy 500

Fernando Alonso fracassou e não conseguiu um lugar no grid para a Indy 500 em 2019. O espanhol da McLaren se juntou a outros grandes nomes do automobilismo que foram campeões da Fórmula 1, mas não conseguiram correr no Brickyard por diferentes motivos

Grande Prêmio / GABRIEL CARVALHO, de Campinas
Fernando Alonso fracassou e não participará da Indy 500. O espanhol foi eliminado no 'Bump Day',  realizado neste domingo com apenas o 34º  tempo. O espanhol da McLaren não conseguiu se classificar para a prova e precisará adiar o desejo de conquistar a 'Tríplice Coroa' do automobilismo.

Alonso entrou em um seleto grupo de campeões da Fórmula 1 que não conseguiram se classificar para a maior prova do automobilismo mundial, agora composto por sete pilotos. O grupo envolve alguns dos maiores nomes de todos os tempos do automobilismo, que por motivos diversos, não participaram da Indy 500 mesmo com a inscrição feita. Confira a lista:

Giuseppe Farina
Nino Farina, de Ferrari, na Indy 500 de 1956 (Foto: Reprodução)
Primeiro campeão da história da Fórmula 1, Giuseppe Farina tentou, mas não conseguiu disputar as 500 Milhas. Em 1956, ‘Nino’ tentou participar com um carro da Kraft, de motor Ferrari. Porém, dois dos quatro dias de classificação foram cancelados por conta de uma forte chuva, deixando Farina sem a chance de tentar se classificar.
 
Ele chegou a planejar um retorno ao Brickyard em 1957, mas encontrou problemas de velocidade e balanço nos treinos. Seu companheiro, Keith Andrews, assumiu o carro em um teste, mas sofreu um acidente fatal ao tentar corrigir a direção e ser esmagado entre o capô e o tanque de combustível. Sem carro reserva, Farina nunca mais tentou competir em Indianápolis.

Juan Manuel Fangio
 
Pentacampeão mundial de Fórmula 1, Juan Manuel Fangio decidiu se aventurar na Indy 500 em 1958. O argentino, que na época tinha 47 anos, fez seu primeiro teste na categoria em abril daquele ano, com um carro da Kurtis-Offenhauser, equipe de George Walther Jr. Apesar de um bom início nos treinos, Fangio não gostou da queda de desempenho e das dificuldades do carro. Ele recebeu uma chance de pilotar um modelo oferecido por Lew Welch. Mesmo sendo o mais rápido em um dos treinos, a velocidade era mais lenta que a do primeiro carro, e o argentino entendeu que não teria chances de competir pela vitória no Brickyard.
 
Fangio optou por encerrar sua participação naquela Indy 500. O seu tempo, porém, seria suficiente para garantir o 31º lugar no grid, mas ele não quis correr.

Graham Hill
 
Três anos antes de vencer a Indy 500, Graham Hill não conseguiu se classificar para a corrida mais tradicional do automobilismo. Na época, o atual campeão da Fórmula 1 tentou levar o carro do engenheiro John Crosthwaite ao grid em 1963. Porém, sofreu um acidente nos treinos e não quis esperar os reparos no carro, já que tinha compromissos na Europa e não queria a chance de se classificar em uma posição ruim ou ser eliminado no Bump Day

Denny Hulme
 
Além do título da Fórmula em 1967, Denny Hulme foi quarto colocado na Indy 500 daquele ano e do seguinte. Em 1970, o neozelandês ficou de fora da corrida após sofrer um acidente nos treinos. Por conta de graves queimaduras nas mãos e nos pés, optou por não participar da prova.
 
Nelson Piquet
O acidente de Nelson Piquet (Foto: Reprodução)
Tricampeão mundial na F1, Nelson Piquet deixou a categoria ao final de 1991 e se aventurou na Indy 500 no ano seguinte, com a Team Menard. Apesar de um início bom nos treinos, rodou e sofreu um forte acidente entre as curvas 3 e 4, que causou diversas lesões, como nas mãos, cotovelo, tornozelo, pulsos, joelho direito e a perda de um pedaço do dedo do pé direito. Piquet fez uma incrível recuperação e retornou em 1993, mas abandonou a corrida.

Emerson Fittipaldi
Fittipaldi utilizou carro de Raul Boesel em 1995, mas não adiantou (Foto: Reprodução)
No Bump Day mais famoso da história, Emerson Fittipaldi não conseguiu se classificar para a Indy 500 de 1995. A Penske tinha um potente motor Mercedes em 1994, dando o título de pilotos para Al Unser Jr. e o vice para Fittipaldi, duas vezes vencedor da prova. Com o banimento do motor no ano seguinte, os dois pilotos tinham dificuldades com falhas de estrutura e anotavam tempos muito lentos. 
 
A situação ruim fez a Penske comprar chassis diferentes, e Fittipaldi quase conseguiu se classificar no sábado, se não fosse pela decisão equivocada de Roger Penske em anular a volta do piloto, com o argumento de que ele poderia ser mais rápido. Ele não foi e acabou eliminado por Stefan Johansson no domingo. A eliminação é lembrada como o maior fracasso da história da Penske e um dos maiores da Indy.
 
 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.