Análise: transformado, Rahal renasce em 2015, alia arrojo à regularidade e já pode sonhar com título da temporada

Graham Rahal é um dos protagonistas da temporada 2015 da Indy. Arrojado desde o começo de sua trajetória e, agora, sabendo aliar sua coragem com boa regularidade de resultados, Rahal escancara seu crescimento e o de sua equipe, a RLL, brigando pelo caneco da temporada com três provas para o fim

A temporada 2015 vai para sempre ficar marcada na carreira de Graham Rahal independentemente do que aconteça nas últimas três provas do campeonato. Muito seguro de si, com o arrojo de sempre e a regularidade nunca antes apresentada, o americano deu um show em várias etapas e, em uma equipe de média para pequena – a RLL – disputa o título de 2015.
 
O trabalho que faz Rahal neste ano é louvável. Sempre muito criticado, o americano tem, em 13 provas, apenas um abandono, na corrida 1 em Detroit. Mas dá para dizer que o final de semana foi ruim? Rahal teve excepcional rendimento no domingo e foi ao pódio, fechando a corrida 2 em terceiro.
 
O Rahal de ontem
 
Filho do lendário Bobby Rahal, Graham teve alta expectativa em cima de si em seu início de carreira. E, de certa forma, não decepcionou. Em 2007, com 18 anos recém completados, Rahal foi ao pódio quatro vezes e fez top-10 em 11 das 14 provas, fechando seu primeiro ano de Champ Car em quinto lugar.
 
2008 também parecia ser um ano de sucesso para Graham. Vencendo pela primeira vez em São Petersburgo – segunda prova do campeonato –, o americano prometia brigar na ponta da Indy, mas seu rendimento foi caindo e os resultados não foram nada positivos até o fim do ano.
 
E os anos seguintes de Rahal foram terríveis. De promessa para fracasso em pouco tempo, já eram raros os casos dos que acreditavam em uma recuperação do piloto. Para se ter uma ideia, até o fim de 2014, Rahal não tinha vencido mais nenhuma prova, tinha acumulado mais sete pódios e uma série de acidentes e abandonos. 
 
Entretanto, quem ainda acreditava em Rahal tinha um embasamento. Afinal, ainda que os resultados não estivessem aparecendo, o americano sempre mostrou ser muito rápido e isso seguia acontecendo nos anos de seca de vitórias. Rahal vinha se transformando numa espécie de personagem controversa na Indy. Mais odiado que amado, recebia uma série de críticas de colegas de categorias e lutava para ficar longe dos problemas.
Rahal comemora com Power em Detroit. O segundo lugar em 2014 foi um dos poucos altos de seus últimos anos (Foto: IndyCar)
O Rahal de 2015
 
A temporada 2015 veio e, junto com ela, as primeiras apostas de que a Honda estaria muito atrás da Chevrolet nos motores e kits aerodinâmicos. E de fato estava atrás. Desta forma, imaginar sucesso de uma das equipes da montadora japonesa não era das missões mais fáceis.
 
Contudo, o otimismo pelos lados da RLL era claro desde o começo do ano. A equipe garantia que tinha um time de engenheiros e mecânicos fortes e que, Honda à parte, prepararia um carro de primeira linha. 
 
E assim vem sendo. Tanto em circuitos de rua ou mistos, quanto nos ovais, a RLL vem se mostrando forte. E não é apenas no desempenho, já que o time por algumas vezes já demonstrou ser bom também de estratégia.
 
E quanto a Rahal? Bom, se a RLL surpreende, Rahal surpreende ainda mais. O – ainda jovem – piloto se reinventou, entendeu completamente a proposta da equipe e vem mostrando uma regularidade inimaginável para ele.
 
Mantendo-se muito veloz, arrojadíssimo e até controverso – como no episódio com Helio Castroneves em Fontana – Rahal está no grupo dos protagonistas do campeonato e, hoje, já é candidato ao título.
 
Só em 2015, Rahal já conquistou cinco pódios, sendo que nas 500 Milhas de Fontana encerrou seu longo jejum de vitórias. Como ressaltado anteriormente, não apenas de bons resultados é feita a ascensão de Rahal. O americano já teve atuações memoráveis na temporada, a principal delas no Alabama, quando escalou o pelotão, deu uma aula de ultrapassagens e por pouco não bateu Josef Newgarden e encerrou mais cedo a seca de vitórias na Indy.
Graham Rahal vem brilhando intensamente em 2015 (Foto: Richard Dowdy/IndyCar)
O Rahal do fim do campeonato
 
Rahal já vinha como uma das boas surpresas do campeonato quando restavam seis provas para o final. Porém, a vantagem para o líder Juan Pablo Montoya ainda era grande e faltava ao americano e sua equipe mostrar que realmente poderiam vencer corridas.
 
Foi aí que veio a afirmação. Largando em uma modestíssima 19ª colocação, Rahal e a RLL acertaram em cheio durante toda a prova e o piloto de 26 anos venceu as 500 Milhas de Fontana, entrando no bolo dos principais adversários de Montoya.
 
Na sequência, nos dois ovais menores de Milwaukee e Iowa, Rahal não decepcionou. Um terceiro lugar na primeira, um quarto lugar na segunda e, contando com resultados fracos dos concorrentes, Rahal saltou para a vice-liderança da temporada.
 
Agora, com três corridas para o final do campeonato, as chances de título são reais. São 42 pontos a menos que Montoya, vantagem que o americano precisará tirar em Mid-Ohio, Pocono e Sonoma. 
 
Após mais uma vez escalar o pelotão e até lidar com sequenciais problemas nos boxes para chegar em quarto em Iowa, o piloto da RLL não quis saber de esconder a empolgação.
 
“Noites como a que tivemos ontem são daquelas que formam grandes campeões. Nós já provamos nosso potencial, estamos em segundo e em grande fase. Nós podemos dar este título à Honda”, disse Rahal no domingo.
 
Orgulhoso do feito em Iowa, Rahal depositou suas fichas especialmente nas duas provas em mistos que ainda restam.
 
“Ainda faltam três provas para o final do campeonato e eu acredito que estaremos muito fortes em duas delas: Sonoma e Mid-Ohio. Um dia em que o carro não esteve muito bem, fomos para trás e, mesmo assim, terminamos no topo, mostra o que é este time em 2015”, declarou.
 
Se vai ser campeão ou não, ainda não sabemos, mas Rahal é, certamente, um novo piloto. Respeitado e altamente competitivo, Graham dá toda a impressão de que, mais cedo ou mais tarde, vai erguer o caneco da Indy.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube