Herta brilha, sobrevive em corrida insana e fatura GP de Indianápolis 1 na chuva

Em dia maluco de chuva, Colton Herta acertou o tempo das trocas de pneus e teve pilotagem incrível para sair com sétima vitória da carreira. Líderes do campeonato tiveram dia esquecível

Colton Herta faturou a melhor corrida da Indy em 2022. O piloto da Andretti misturou estratégia com uma grande pilotagem para sair com a vitória no GP de Indianápolis 1, disputado neste sábado (14). O piloto largou da 14ª colocação, mas foi o primeiro a trocar para pneus de pista seca, no início da corrida, e também soube acertar o momento de ir aos boxes quando a água voltou na reta final.

Simon Pagenaud, que largou de 20º, foi outro que brilhou na chuva e ficou no segundo lugar, subindo ao pódio pela primeira vez desde que se transferiu para a Meyer Shank. Will Power, que largou na pole, salvou um pódio ao finalizar no terceiro lugar com a Penske e assumiu a liderança do campeonato.

Marcus Ericsson foi o melhor piloto da Ganassi ao fechar no quarto lugar, após largar de 18º. Ele foi seguido por Conor Daly, Felix Rosenqvist, Callum Ilott, Takuma Sato, Christian Lundgaard e o hexacampeão Scott Dixon, que fechou o top-10.

A prova foi um desastre para os principais candidatos ao título. Álex Palou, que entrou em Indianápolis como líder do campeonato, foi apenas 20º depois de rodar e perder uma volta no início da prova. Josef Newgarden foi 25º depois de sofrer um acidente e completar 15 voltas atrás do vencedor.

Scott McLaughlin até teve chance de vencer e liderou voltas, mas rodou duas vezes na pista molhada e foi apenas 18º, atrás de Pato O’Ward, da McLaren, que também flertou com vitória, mas o erro de estratégia na troca de pneus o fez ficar em 17º.

O brasileiro Helio Castroneves completou a prova na 14ª colocação. Ele chegou a estar no top-10 nas voltas finais, mas não conseguiu manter o ritmo.

A Indy retorna com a classificação das 500 Milhas de Indianápolis, que acontece entre os dias 21 e 22 de maio.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Colton Herta venceu o GP de Indianápolis 1 (Foto: Indycar/Mike Young)

Saiba como foi o GP de Indianápolis 1:

Após um atraso de 40 minutos, a largada foi autorizada às 16h46 (de Brasília). Power, Palou e Newgarden mantiveram as respectivas posições após largarem com bastante cautela, mas o espanhol assumiu a liderança ainda na primeira volta. Will acabou surpreendido também por Pato O’Ward, que também tirou Newgarden da frente e pulou para segundo.

Na penúltima curva, O’Ward passou Palou para assumir a liderança ainda no primeiro giro de corrida. Enquanto isso, Power acabou empurrando Newgarden para fora da pista, e o americano acabou despencando. Quem surgiu forte foi Felix Rosenqvist, que na segunda volta surpreendeu Álex e assumiu o segundo lugar.

Após um início bastante movimentado, o top-10 tinha O’Ward, Rosenqvist, Palou, Power, Daly, Grosjean, Harvey, Ilott, McLaughlin e Newgarden. O primeiro a trocar os pneus de pista molhada por macios foi Colton Herta, já na terceira volta. Takuma Sato repetiu a tática. Fora do top-10, Marcus Ericsson e Graham Rahal rodaram após um toque.

Boa parte do pelotão foi aos boxes para calçar pneus de pista seca. Felix Rosenqvist assumiu a liderança, com Palou em segundo. Em melhor ritmo com pneus de pista seca, Herta conseguiu ultrapassar O’Ward para assumir o 13º lugar. Antes, salvou o carro da Andretti de maneira espetacular.

Colton Herta segurou no braço sua Andretti (Foto: IndyCar)

Os carros restantes em pneus de chuva finalmente foram aos boxes, e a ordem dos líderes foi restabelecida com Herta em primeiro, O’Ward em segundo, seguido por Rosenqvist, Power e Daly. E na volta 6, a primeira amarela da corrida apareceu após Álex Palou escapar e rodar. O espanhol acabou virando retardatário ao ver a Ganassi morrer na pista.

Na volta 10, a bandeira verde surgiu. Herta conseguiu manter a primeira colocação na relargada, e era seguido por O’Ward, Rosenqvist, Power, Daly, Newgarden, Sato, Rossi, McLaughlin e Grosjean.

Daly foi ultrapassado por Newgarden na volta 12 e começou a perder ritmo de forma brusca, caindo para a 15ª colocação. Na liderança, Colton conseguiu abrir mais de 3s de frente para O’Ward. Já Kyle Kirkwood, que ocupava as últimas posições, rodou novamente, mas evitou bandeira amarela.

Em quinto, Josef Newgarden começou a perder ritmo e foi ultrapassado por Takuma Sato. Tentando evitar perder mais posições, o piloto da Penske sofreu um toque de Jack Harvey e rodou. Com pneu furado, não conseguiu trazer o carro de volta aos boxes por sentir mais danos, e acabou abandonando. A bandeira amarela surgiu de novo.

O incidente entre Josef Newgarden e Jack Harvey (Vídeo: IndyCar)

A relargada veio na volta 21. Herta mais uma vez escapou muito bem e não foi ameaçado por O’Ward. A bandeira amarela apareceu pela terceira vez por conta de Rinus VeeKay, que espremido por Callum Ilott, rodou ao passar pela grama e foi atingido por Devlin DeFrancesco.

A terceira relargada da prova aconteceu na volta 25. Herta mais uma vez pulou bem, e era seguido por O’Ward, Rosenqvist, Sato, Power, Rossi, Harvey, McLaughlin, Grosjean e Ilott. Pato conseguiu colocar bom ritmo para evitar que Colton abrisse vantagem superior a 1s. Enquanto isso, Jack Harvey veio forte e assumiu o sexto lugar.

Power cometeu um erro na reta principal e quase bateu. Com ritmo prejudicado, perdeu posições para Harvey e Rossi. Com 33 voltas, Herta foi aos boxes para trocar pneus e reabastecer, abrindo a janela de pit-stops para os candidatos à vitória. O’Ward parou no giro 34, Rosenqvist no 35, e voltou à frente do companheiro de equipe.

A amarela apareceu novamente, agora na volta 36 por conta de Dalton Kellett, que perdeu o controle sozinho da Foyt e parou na grama. Dixon, que era líder, trouxe o carro aos boxes já sofrendo de pane seca, e precisou ser empurrado pelos mecânicos até o pitbox.

A chuva começou a aparecer durante a bandeira amarela. Na relargada, na volta 42, Ericsson comandou o pelotão na liderança com bastante cautela. Pato O’Ward tentou um mergulho na curva 1 para ultrapassar o companheiro de equipe Rosenqvist, mas acabou rodando para evitar toque com Herta e foi atingido pelo sueco, causando nova entrada do pace-car. Sato rodou sozinho com pneus de pista seca.

Poucos pilotos decidiram trocar para os pneus de pista molhada. A relargada foi dada na volta 46, com Ericsson na liderança e bastante atacado por Herta, que acabou prejudicado por Dixon, que estava na frente do pelotão tentando descontar volta. Porém, na mesma volta, Colton conseguiu ultrapassar Marcus, que passou a perder ritmo e caiu para quinto, perdendo posições também para McLaughlin, Harvey e Grosjean.

Ericsson seguiu perdendo ritmo e caiu para a 10ª colocação. O’Ward, em grande recuperação após rodar, já despontava no sétimo lugar. Com 50 voltas completadas, o top-10 era formado por Herta, McLaughlin, Harvey, Grosjean, Pagenaud, Power, O’Ward, Ilott, Castroneves e Daly. Os pilotos que estavam com pneus de chuva trocaram para borracha de pista seca, já que o traçado não ficou molhado o suficiente.

Na disputa pelo terceiro lugar, Grosjean ousou demais e acabou tocado por Harvey e rodou. Quem se sobressaiu na confusão foi Pagenaud, pulando para o posto de pódio. Pato também se deu bem e aproveitou para ultrapassar vários carros, surgindo em quarto.

O’Ward ultrapassou Pagenaud e assumiu o terceiro lugar antes de uma nova bandeira amarela, agora causada por Jimmie Johnson, que rodou sozinho na curva 10 na volta 58. Com os pits abertos, vários pilotos optaram por mais um pit-stop, mas ninguém se arriscando com pneus de chuva. McLaughlin conseguiu sair à frente de Herta, assumindo a liderança virtual da corrida.

Porém, bastaram apenas duas voltas para a chuva apertar e diversos pilotos optarem pelos pneus de chuva, incluindo Colton Herta e Simon Pagenaud. Romain Grosjean, que era terceiro, rodou durante a bandeira amarela com pneus de pista seca.

Na marca de 63 voltas, o cronômetro já apontava 20 minutos restantes para as duas horas de corrida, que resultariam em bandeira quadriculada.

Quando a prova se preparava para o reinício, o líder Scott McLaughlin rodou sozinho. Com O’Ward na ponta, a relargada foi dada com 14 minutos para o fim. Herta, com pneus de pista molhada, partiu para cima de Pato e retomou a ponta, mas a amarela veio novamente, agora por McLaughlin, que rodou de novo.

O pace-car seguiu na pista, e O’Ward perdeu duas posições ao rodar com os pneus de pista seca. A relargada aconteceu com menos de 7 minutos para o fim. Herta largou muito bem e disparou na frente, e era seguido por Pagenaud, Power, Daly, Montoya, Ericsson, Castroneves, Ilott, Sato e Rosenqvist. Pato acabou parando para pneus de chuva.

Qualquer chance de tirar a vitória das mãos de Herta foi encerrada após uma pancada de Juan Pablo Montoya, que abandonou e trouxe o pace-car para a pista mais uma vez, agora até a bandeira quadriculada.

Indy 2022, GP de Indianápolis 1, Corrida:

1C HERTAAndretti Honda75 voltas 
2S PAGENAUDMeyer Shank Honda+3.098 
3W POWERPenske Chevrolet+7.153 
4M ERICSSONGanassi Honda+7.819 
5C DALYCarpenter Chevrolet+9.653 
6F ROSENQVISTMcLaren Chevrolet+11.094 
7C ILOTTJuncos Chevrolet+11.481 
8T SATODale Coyne Honda+11.510 
9C LUNDGAARDRLL Honda+11.804 
10S DIXONGanassi Honda+13.991 
11A ROSSIAndretti Honda+16.730 
12D MALUKASDale Coyne Honda+17.981 
13J HARVEYRLL Honda+19.574 
14H CASTRONEVESMeyer Shank Honda+24.488 
15T CALDERÓNFoyt Chevrolet+31.925 
16G RAHALRLL Honda+41.803 
17S MCLAUGHLINPenske Chevrolet+53.198 
18R GROSJEANAndretti Honda+1 volta 
19P O’WARDMcLaren Chevrolet+1 volta 
20A PALOUGanassi Honda+1 volta 
21D DEFRANCESCOAndretti Honda+2 voltas 
22J JOHNSONGanassi Honda+2 voltas 
23R VEEKAYCarpenter Chevrolet+2 voltas 
24J PABLO MONTOYAMcLaren Chevrolet+3 voltasNC
25J NEWGARDENPenske Chevrolet+15 voltas 
26K KIRKWOODFoyt Chevrolet+22 voltasNC
27D KELLETTFoyt Chevrolet+41 voltasNC
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar