Dixon acerta retardatário Howard, decola e cai de ponta-cabeça em acidente que paralisa 500 Milhas de Indianápolis

Pole das 500 Milhas de Indianápolis, Scott Dixon se envolveu em um forte acidente com Jay Howard durante 53ª volta. O toque foi tão violento que fez o carro do neozelandês levantar voo bater com força no muro

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

As 500 Milhas de Indianápolis testemunharam seu primeiro grande acidente neste domingo (28). Scott Dixon vinha na 53ª volta quando tentou desviar do retardatário Jay Howard, que batera no muro. Sem espaço, os carros se tocaram, e Dixon foi lançado para o alto em uma pancada violenta. A batida provocou a paralisação da corrida, mas os dois pilotos saíram ilesos do acidente.

O neozelandês, que largara da pole-position em Indy, ocupava a oitava colocação na corrida que era liderada por Fernando Alonso. Howard, por sua vez, vinha uma volta atrás, quando perdeu a traseira do carro e bateu no muro entre a primeira e a segunda curvas do superoval. Dixon ainda tentou evitar a colisão, mas não conseguiu, sendo atingido em cheio por Jay.

Com a batida, a Ganassi de Scott levantou voo, chegou a ficar de ponta-cabeça e acertou a barreira de proteção de forma lateral – Helio Castroneves, que saía dos pits por pouco não foi atingido.

Dixon nada sofreu, assim como Howard. Ambos deixaram o cockpit sem maiores problemas. Porém, a barreira de proteção ficou danificada com o impacto da batida, por isso a direção de prova decidiu interromper as ações para a recuperação das barras de segurança.

Jay Howard e Scott Dixon protagonizaram um acidente fortíssimo em Indianápolis (Foto: Reprodução)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

"Estou bem. Crédito total à Indy e todos os envolvidos na construção deste carro. Estamos ambos seguros", disse Howard aos jornalistas após o acidente. "Estou feliz que o Scott esteja bem, porque ele foi arrastado para isso. Vocês sabem, é uma merda", completou o piloto.

Dixon também falou sobre a colisão. "Estou bem, apenas chateado pela equipe. Definitivamente, foi um acidente grave. Nós temos de agradecer aos fiscais e aos padrões de segurança que temos agora", disse.

O acidente entre Dixon e Howard é a segunda colisão grave desta semana de Indy 500. O primeiro aconteceu na semana passada, quando Sébastien Bourdais bateu com violência durante a classificação no último sábado. O impacto foi tão severo que provocou fraturas na bacia do francês da Dale Coyne.

A Indy confirmou agora que Dixon está bem e consciente. 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Acidente forte entre Jay Howard e Scott Dixon durante a Indy 500 (Foto: Reprodução)

A corrida

A edição 101 das 500 Milhas de Indianápolis foi de tirar o fôlego. Com briga intensa até os metros finais e muito equilíbrio entre as equipes e as fornecedoras, Takuma Sato chegou ao primeiro triunfo japonês na corrida principal do calendário da Indy. Neste domingo (28), Takuma guiou com maestria, soube atacar na hora certa e se defender de todos os ataques derradeiros de Helio Castroneves, que acabou batendo na trave e chegando em segundo.



“Inacreditável, é a melhor sensação. Foi lindo, não tenho como agradecer minha equipe o suficiente. Espero que o público tenha gostado. Com três voltas para o fim eu não sabia como, mas eu sabia que tinha que ir para cima”, disse o emocionado vencedor.

 
A terceira posição foi de um enjoado novato Ed Jones, que provou que a Dale Coyne vive, sim, a temporada da vida. Em quarto, Max Chilton espantou ao ser o melhor da Ganassi, dando pinta até de que poderia ter vencido. Tony Kanaan, mais uma vez, foi muito bem no IMS, terminando em quinto.
Sato comemora vitória em Indy (Foto: Beto Issa)
Fernando Alonso deixou a prova de uma das piores formas possíveis. O espanhol viu o fantasma do motor quebrado que tanto o assombra na F1 aparecer novamente e, assim, abandonou quando lutava pela vitória.

A sexta posição foi de Juan Pablo Montoya, que mostrou de novo que ainda tem lenha para queimar na Indy. Duas Andretti vieram na sequência, com Alexander Rossi em sétimo e Marco Andretti em oitavo.

O top-10 da corrida, que teve incríveis 853 ultrapassagens, ainda contou com dois colombianos que guiaram muito. Com dois dos carros mais fracos do grid, Gabby Chaves foi o nono e Carlos Muñoz chegou em décimo.

Alguns acidentes marcaram a prova. O mais feio deles foi ainda no início, com Jay Howard batendo no muro, voltando para a pista e sendo acertado por Scott Dixon, que decolou e foi parar com muita força no muro.

TÉO JOSÉ ACERTOU O PALPITE E CANTOU VITÓRIA ANTES: ASSISTA

google_ad_client = ‘ca-pub-6830925722933424’;
google_ad_slot = ‘8352893793’;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(‘crt_ftr’).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(‘cto_ifr’);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(‘px’)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write('’);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube