Dixon cita Kanaan e Castroneves como exemplos de longevidade na Indy e fala em correr mais “quatro, cinco ou seis anos”

Scott Dixon nem cogita se aposentar em breve da Indy. O neozelandês citou Tony Kanaan, Helio Castroneves, Juan Pablo Montoya e até Dario Franchitti para garantir que quer seguir correndo, pelo menos, por mais quatro anos

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Scott Dixon não pensa em aposentadoria. O veterano de 36 anos lembrou o exemplo de companheiros e ex-rivais na Indy para garantir que planeja ficar no grid da categoria, pelo menos, até os 40. 

 
Dixon, que foi campeão em 2015, citou os exemplos de Tony Kanaan, Helio Castroneves e Juan Pablo Montoya para apostar em pelo menos mais quatro anos de Indy.
 
"Tony, Helio, Montoya, todos fizeram 42 esse ano. O Dario, quando aposentou, tinha 40 ou 41. Todos esses caras ajudam na longevidade da categoria. Eu acho que ainda tenho mais quatro, cinco ou seis anos pela frente, mas a gente sabe que no automobilismo tudo pode mudar em um ano. A Indy é a categoria mais competitiva do mundo no momento, estou totalmente focado nela", disse ao jornal 'New Zealand Stuff'.
Scott Dixon nem cogita parar de correr (Foto: IndyCar)
O veterano, terceiro colocado em Le Mans, considerou possível fazer mais provas de endurance e até falou em passar mais dez anos correndo.
 
"O automobilismo pode tranquilamente preencher minha vida pelos próximos dez anos, mas tudo vai depender do que acontecer comigo e com a minha família nesse período. Hoje, estou totalmente focado no presente", completou.
 
Depois de nove anos terminando o campeonato no top-3, Dixon caiu um pouco em 2016 e foi apenas o sexto, anotando 477 pontos.
fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube