Indy

Dixon diz que “tudo pode acontecer” na busca pelo título, mas vê Newgarden favorito

Scott Dixon valorizou a vitória em Mid-Ohio e a considerável reduzida na diferença para Josef Newgarden no campeonato, mas segue vendo o americano como homem a ser batido na temporada 2019

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Scott Dixon parecia carta fora do baralho na Indy 2019, mas tudo deu certo em Mid-Ohio e uma desvantagem que estava para subir dos 100 pontos desceu para quase 60. Com quatro provas pela frente, o neozelandês voltou a ter chances reais de mais um título, mas sabe que precisa ter cautela na empolgação e ainda vê Josef Newgarden como grande favorito.
 
Scott falou na meta de se manter vivo até a última prova, que é o mínimo que precisa para ter chances, mas sabe que realisticamente precisa estar bem mais próximo do ponteiro em Laguna Seca.
 
"Estávamos 98 pontos atrás, agora baixamos para 62, isso é uma tremenda mudança. São finais de semanas assim que precisamos para reagir. Sempre temos os 100 pontos como limite para chegar vivos na última prova, mas se ficar perto disso a coisa se torna impossível", explicou.
Scott Dixon crê na taça, mas sabe que Josef Newgarden é favorito (Foto: Indycar)
Para o veterano da Ganassi, erros como o de Newgarden no finalzinho em Mid-Ohio ao tocar Ryan Hunter-Reay acontecem e precisam estar na conta nas próximas provas. Mas agora, segundo o neozelandês, o americano voltará com sangue nos olhos.
 
"Você precisa aproveitar as oportunidades que pintam. Ninguém deseja mal a ninguém, mas erros acontecem. O Ryan mesmo disse que não entendeu o que o Josef quis fazer ali no fim da corrida, todo mundo ficou surpreso, mas isso acontece com todo mundo. Nós erramos, mas pode escrever que isso só vai tornar Josef uma fortaleza em Pocono. Ele ainda é o cara a ser batido, a equipe é muito forte e teremos trabalho para buscar", seguiu.
 
Para Dixon, o sonho de mais um título deve seguir, mas a distância para Newgarden, Alexander Rossi e Simon Pagenaud só cairá com bastante trabalho.
 
"Mas tudo pode acontecer, não sei, é manter os pés no chão. Não podemos ficar pensando no futuro, é tentar vencer corridas e ir melhorando nossa situação", completou.
 
Dixon vem em quarto com 442 pontos, 15 atrás de Pagenaud, 46 abaixo de Rossi e 62 atrasado em relação a Newgarden.
 

 
Paddockast #27
Schumacher e Vettel: UNIDOS POR UM RECORDE


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.