Ex-equipe de Wilson na F1 ainda como Minardi, Toro Rosso lembra: “Nós o conhecíamos tão bem desde 2003”

As duas equipes que Justin Wilson defendeu na F1, Minardi e Jaguar, não existem mais como um dia já aconteceu, mas sobrevivem de certa forma pelas sucessoras. Hoje Toro Rosso e Red Bull, as equipes homenagearam Wilson

Antes da longa carreira no automobilismo dos Estados Unidos, Justin Wilson se destacou nas competições europeias. Assim, chegou à F1 em 2003. Naquele ano, andou por duas equipes: Minardi e Jaguar. Estas equipes não existem mais, viraram Toro Rosso e Red Bull, respectivamente, e ambas fizeram homenagens ao piloto que morreu na noite desta segunda-feira (24), após não resistir aos ferimentos sofridos no acidente nas 500 Milhas de Pocono.
 
Ex-Minardi, a Toro Rosso ressaltou que o time conhecia bem o piloto desde 2003. Na verdade, mesmo antes disso, o inglês chegou a fazer testes para o time italiano.
 
"Nós o conhecíamos tão bem desde 2003… Justin Wilson, sua falta será sentida. Todos os nossos pensamentos estão com sua família", disse a Toro Rosso.

Franz Tost, chefe do atual time de Faenza, reverenciou o "talentoso e verdadeiro competidor" Wilson e mostrou pesar pela morte trágica do britânico.

“A carreira do inglês na F1 começou em 2003 aqui em Faenza, com a equipe Minardi. Portanto, muitos dos membros da nossa Scuderia Toro Rosso trabalharam com Justin na época, e lembro dele como uma pessoa gentil e amigável, um talentoso e verdadeiro competidor. É um dia muito triste. Em nome de toda a equipe, ofereço as nossas mais sinceras condolências à sua família e amigos neste momento difícil”, afirmou o dirigente austríaco, por meio de comunicado.

Justin Wilson nos tempos de Minardi (Foto: Toro Rosso)
Antiga Jaguar, a Red Bull também mandou sentimentos aos familiares e amigos do piloto, seguido por uma foto de Justin com macacão e boné da Jaguar.
 
"Uma perda trágica. Todos no time mandam as mais profundas condolências à família de Justin e aos amigos neste momento", divulgou a equipe dos energéticos.
Wilson morreu um dia após se envolver num acidente bizarro nas voltas finais das 500 Milhas de Pocono, quando Sage Karam, então líder, rodou e bateu na barreira de segurança. Um dos destroços do carro, um pedaço da asa, voou e acabou caindo na cabeça de Justin. Ele foi levado, mas entrou em coma e não resistiu aos ferimentos.
 
O piloto foi vencedor de sete provas na Indy, quatro na era CART e mais três nos tempos de IndyCar. Ele foi a primeira fatalidade da categoria desde Dan Wheldon, em 2011, e do desenvolvimento do DW12, carro considerado extremamente seguro, fabricado pela Dallara e que a Indy usa há quatro temporadas, desde 2012.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube