Fora da Ganassi, Kanaan se acerta com Foyt e permanece na Indy pelo menos até temporada 2019

Tony Kannan já tem seu futuro na Indy definido. Fora da Ganassi, o brasileiro acertou com a Foyt e vai guiar o lendário #14. O contrato com o piloto de 42 anos é de uma temporada, com a opção de ser renovado por mais outra

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Tony Kanaan já tem seu futuro na Indy definido. Depois de quatro temporadas com a Ganassi, o piloto baiano acertou com a Foyt para guiar o lendário #14. O acordo com o campeão de 2004 da Indy e das 500 Milhas de Indianápolis de 2013 é válido por um ano, com opção de ser renovado por mais um, o GRANDE PRÊMIO pode confirmar.
 
Fora dos planos da Ganassi para a próxima temporada, Kanaan efetivamente esteve em contato com a Schmidt Peterson ― como revelou o GRANDE PRÊMIO ―, que elaborou uma enorme lista de candidatos à vaga.
Tony Kanaan vai guiar pela Foyt na próxima temporada da Indy (Foto: IndyCar)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

"Seria mais fácil dar a lista dos pilotos com quem a gente não falou”, disse Schmidt. “Desde a Indy 500, sempre penso que a porta do meu motorhome deveria ter a fechadura trocada, completou.
 
“Representantes de Ed Jones e Jack Hawksworth, de Takuma Sato, de Alexander Rossi e TK… alguns têm orçamento, alguns têm um pouco menos e outros estão pedindo coisas ridículas…", explicou. 

Kanaan vai partir para sua 21ª temporada na Indy e vai vestir as cores de sua sétima equipe na categoria. Tudo começou para o campeão da Indy Lights em 1997 no ano seguinte com a Tasman, mesmo time que defendia na categoria de acesso.

De lá, Tony passou pela Forsythe e Mo Nunn até chegar na Andretti, equipe pela qual conquistou o título da Indy em 2004. Depois, Kanaan foi para a KV, equipe modesta pela qual conquistou a Indy 500 de 2013, até chegar, finalmente, na Ganassi, time que defendeu por quatro anos.

 
A temporada 2017 da Foyt é bem fraca e essa fase não vem de hoje. Tidos como potenciais pilotos de ponta no futuro da categoria, Carlos Muñoz e Conor Daly não conseguiram basicamente nada até aqui e, para 2018, ainda não garantiram presença no grid.
Carlos Muñoz guia atualmente o #14 da Foyt (Foto: IndyCar)
Melhor posicionado entre os atuais representantes do time, o colombiano ocupa apenas a 16ª colocação no campeonato, 262 pontos atrás do líder Josef Newgarden. A Foyt, aliás, conquistou sua última vitória na Indy em 2013, com Takuma Sato subindo ao topo do pódio de Long Beach.
 
Kanaan, por sua vez, vive um jejum também longo. O piloto de 42 anos conquistou a última de suas 16 vitórias na Indy em 2014, quando venceu o GP de Fontana. Veterano, Tony é um dos poucos pilotos do grid atual da Indy com título da categoria e vitória na Indy 500 e faz uma temporada 2017 regular e na média das que teve anteriormente com a Ganassi. O brasileiro tem a nona posição, 185 pontos atrás do líder.
 
KUBICA TEM WILLIAMS COMO GRANDE CHANCE PARA VOLTAR À F1 EM 2018. E PODE "SOBRAR MUITO" PARA MASSA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube