Indy

Franchitti exalta Rosenqvist após GP de Mid-Ohio: “Foi o piloto que contratamos”

Dario Franchitti valorizou a grande pilotagem e o segundo lugar de Felix Rosenqvist no GP de Mid-Ohio e botou várias fichas no sueco como grande piloto e rival de igual para igual com Scott Dixon

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Felix Rosenqvist passou muito perto de vencer o GP de Mid-Ohio da Indy. Com pilotagem agressiva e ótima estratégia da Ganassi, o sueco completou a dobradinha do time atrás de Scott Dixon, mas o desempenho rendeu muitos elogios, inclusive de Dario Franchitti.
 
O escocês, uma das lendas da Indy e atualmente atuando na Ganassi como peça da equipe do carro #10, exaltou Felix pelo desempenho e mostrou que confia no potencial do piloto, por mais que o início tenha sido naturalmente complicado.
 
"Aconteceu com ele, acontece com vários novatos, eu mesmo fiz isso, tive dificuldades para achar meu limite, para guiar tudo que podia. E eu estava sempre buscando guiar nos 120%, tentando voltas rápidas. Ele sofreu em St. Pete, tudo estava indo bem, quase venceu a prova. E acho que foi a pior coisa que poderia acontecer, colocou as expectativas lá no alto e não conseguiu manter. Aí o Chip conversou com ele", disse à revista norte-americana 'RACER'.
Felix Rosenqvist fez ótimo GP de Mid-Ohio (Foto: Indycar)
Dario seguiu falando das complicações que Rosenqvist enfrentou durante a primeira parte do ano e relatou os momentos de tensão quando o sueco apertou Dixon na última volta e os dois até se tocaram.
 
"É claro que o acidente em Indianápolis foi um choque, ele teve um período complicado, Texas foi duro também. Mas em Iowa ele mostrou que sabe o que tem de fazer, em Mid-Ohio mostrou a diferença que fax conhecer a pista e ficou bem confortável. Ele fez um ótimo trabalho com um carro que não era fácil de guiar. Foi uma bela pilotagem, passou o Power com estilo, algo raro do Will sofrer", seguiu.
 
"Preciso admitir que ficamos nervosos na última volta. Acho que ele teria vencido a prova se fosse outro piloto que não o Scott na frente. Felix viu que dava para vencer e seguiu nossas instruções o tempo todo, fez tudo na hora certa. Cuidou dos pneus, do combustível, atacou o tráfego o tempo todo e apertou o ritmo quando precisava", comentou.
 
Por fim, permitiu-se empolgar um pouco, lembrou que foi por isso que fecharam com Felix no carro #10 e quer ver o sueco brigando com Dixon mais vezes.
 
"Precisamos de alguém que compita com o Scott em igualdade e acho que o Felix vai. Ele mostrou o potencial dele mais de uma vez já. Essa pilotagem dele é o que nós esperávamos quando o contratamos. É assim que teremos um time forte", completou.
 
Rosenqvist vem em nono no campeonato com 296 pontos, 146 a menos que o companheiro e quarto colocado Dixon.
 

 
Paddockast #27
Schumacher e Vettel: UNIDOS POR UM RECORDE


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.